Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Televisões por cabo poderão ter de baixar valores

Em alternativa, as operadoras poderão ter que conceder novos prazos para estes poderem rescindir, sem qualquer encargo, mesmo que estejam em período de fidelização. 

(Rádio Renascença)

 

Ver nota oficial publicada na página da Anacom.

Meu querido carro, que me levas à falência

Este mês já gastei quase €180 euros no carro.

Só de gasolina e estacionamento foram €108; o resto, as despesas anuais de impostos e inspecção. 

markus-spiske-611

 Markus Spiske

Ontem atestei o depósito, depois da baixa de preços que acompanho todas as semanas.

No domingo a bomba de gasolina tinha filas descomunais. Pus-me a pensar se aquelas pessoas não viam as notícias. 

 

A minha prática é a seguinte: 

- atesto o depósito com gasolina simples, no posto mais barato, perto de minha casa;

- se sei que o preço vai subir, atesto antes disso;

- se sei que o preço vai descer, adio a ida à gasolineira o mais que puder e só atesto antes de nova subida.

 

Um mês de poupanças livrescas

Tenho consciência que tenho sorte na biblioteca que tenho, mas como diria o outro: acredito muito na sorte, mas quanto mais trabalho, mais sorte tenho. O outro é uma das muitas personalidades a quem a citação foi atribuida. Podem escolher a que mais gostarem. 

 

O meu trabalho consiste em aproveitar a sorte que é ter uma biblioteca e utilizá-la com frequência. Todas as semanas vou, pelo menos um dia, á biblioteca durante o meu horário de almoço. Assim, vou sempre apanhando as novidades recentemente adquiridas.

 

Este foi o mês das novelas gráficas, que jamais teria lido, ou porque não tinha como adquiri-las todas (são caras) e porque, francamente, teria reservas em fazê-lo sem ter certeza de gostar do que iria ler.

 

É uma das vantagens de utilizar uma biblioteca - podemos "experimentar" novos autores e até géneros, sem gastar dinheiro.

 

Li novelas gráficas no valor de mais de €100, gostei mais de umas que outras, tenho algumas continuações para ler e outras já debaixo de olho. 

  • O árabe do futuro 1 - Riad Sattouf
  • Ana, uma investigação de Filipe Seems #1  - Nuno Artur Silva e António Jorge Gonçalves
  • A História do Tesouro Perdido, uma investigação de Filipe Seems #2 - Nuno Artur Silva e António Jorge Gonçalves 
  • A Tribo Dos Sonhos Cruzados, uma investigação de Filipe Seems #3 - Nuno Artur Silva e António Jorge Gonçalves 
  • As incríveis aventuras de Dog Mendonça e Pizza Boy - Filipe Melo e Juan Cavia 
  • As extraordinárias aventuras de Dog Mendonça e Pizza Boy II - Filipe Melo e Juan Cavia
  • Os vampiros - Filipe Melo e Juan Cavia
  • Tungstênio - Marcello Quintanilha

 

E novamente aqui entra o "trabalho": quando há livros que desejo ler, sugiro à biblioteca que os compre. E faço algum "trabalho", nomeadamente adicionando algumas notas: que o livro recebeu o prémio X, que é a continuação de outro que a biblioteca já tem, etc.

 

Agora vou desligar o computador para ler um livro que, em promoção, custava €25 e que na biblioteca foi grátis. Amanhã vou buscar mais 2 novelas gráficas, uma delas "encomendada" por mim. 

 

Também foi com algum "trabalho" que controlei um pouco o meu impulso de comprar livros. Ir com frequência à biblioteca ajudou e muito.