Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Bombeiros Voluntários Portugueses

Ao contrário do que eu acreditei, os Bombeiros Voluntários parecem ter esperança no movimento de portugueses. Encontrei alguns na entrada, à nossa espera.

 

É muito triste passar pelas bandeiras a meia haste, mas muito pior sabê-los lá, sentados à nossa espera, na esperança que - pelo menos hoje, simbolicamente hoje - sejamos capazes de reconhecer o quanto fazem todos os dias do ano. 

 

Inspiração (na verdade é um teste)

É muito fácil viver com pouco desde que a pessoa não gaste muito para ocultar que tem pouco.



Frase atribuida a Confúcio

Reinventar uma camisola básica com aplique

Há quem diga que não tem jeito, eu acho que é falta de prática. Há quem diga que não tem os materiais e eu recomendo que se fiquem pelos projectos que requeiram o menor investimento possível. 

 

Hoje decidi pegar na máquina de costura (que não domino, como irão perceber) para experimentar fazer um aplique numa tshirt básica. Comecei por experimentar com pedaços de tecidos velhos. 

 

Notam as linhas tortas? Também não fica muito melhor em linhas rectas. Estou a aprender. Este teste vai ser lavado alguma vezes para confirmar se a malha não desfia nas lavagens. Posteriormente actualizarei o post.

 

 

Para este projecto escolhi um coração. Utilizei um desenho da internet (pesquisa no google imagens "heart pattern") que transferi para papel vegetal da cozinha. 

 

Na frente da tshirt coloquei o desenho e na parte de trás o tecido. Prendi ambos com alfinentes à tshirt. 

 

 

 

Costurei por cima do papel, seguindo o desenho. Como não ainda estou a aprender, uma boa parte do desenho foi costurada rodando manualmente a agulha. Para contornos, levantava o pé quando a agulha estava enfiada no tecido (para não sair do sítio), rodava-o um pouco, voltava a descer o pé e continuava a costurar.

 

 

O verso:

 

 

Ao recortar o coração, convém deixar uma margem com cerca de 1 cm. em relação à linha de costura. 

 

A frente, depois de tirar o papel (sai facilmente) e recortar o interior do coração:

 

 

 

Uma alternativa é costurar o aplique com ponto zig zag, prendendo a margem. Confesso que gosto mais da versão inicial. Ainda assim, aqui fica a segunda versão:

 

 

 

No Google Imagens, se procurarem por "reverse applique" vão encontrar centenas de ideias com este tipo de técnica. Aliás, é uma técnica muito útil para dar nova vida a uma peça de vestuário básica (por exemplo para tapar publicidade) ou até para remendar um rasgão ou nódoa.

Pág. 1/4