Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Abril já terminou?!

O ano está a correr... sou a única a ter essa percepção?

poupanca.JPG

 

O que poupei em Abril já saiu da conta a débito para reforçar a minha conta poupança. Desta forma, não há ilusões sobre o saldo da conta.

Todos os meses fico apenas com o salário desse mês, depois de saírem as transferências automáticas para os "envelopes virtuais". 

 

O primeiro valor (€118) era o que "sobrou" da conta bancária e o segundo (que só me lembrei depois) é dinheiro que estava em casa e que serve para encher os envelopes de Maio.

 

E já é Maio....

Das carteiras de senhora

Recordam-me do meu casaco manchado por uma carteira com tinta? Pois bem, recuperei o casaco, mas a carteira perdeu-se. Fiz o possível: aproveitei o forro e todos os bocados de napa que pude.  

 

Precisava de uma carteira preta, clássica, mas não estava a conseguir arranjar nas trocas ou compras de usados. Decidi que não volto a comprar carteiras, ou que pelo menos não as compro novas. E isto, apesar de ter um cartão presente para uma loja de carteiras. E era muito fácil optar por ir comprar uma.

 

Fazer uma carteira simples com fecho é bastante mais fácil do que parece. Eu nunca tinha feito nenhuma, mas tenho descoberto que costurar é bastante mais intuitivo do que julguei e o You Tube ajuda colmatar as falhas. 

 

Um dos vídeos que mais me ajudou foi este: 

  

 

Sem fecho, é ainda mais fácil:

 

 

Mas a primeira carteira que fiz (mas que ficou demasiado pequena - cuidado com as dimensões) foi esta. Confirmo que é mesmo muito fácil de fazer. Para ficarem com uma ideia, foi a primeira coisa que fiz quando comprei a máquina de costura e estava a costurar com máquina pela primeira vez.

bagfinished2.jpg

 

 

Ou seja, esta semana poupei €20-€30. 

 

Vou também fazer uma carteira (a versão mais simples) reversível, ou seja, com dois tecidos que melhor combinem com a minha roupa. Dois em um e ambos grátis (aproveito tecidos que já tenho)!

 

Por isso, se têm uma máquina de costura e uns bocados de tecido (por exemplo de umas calças de ganga), experimentem.

Poupar com vestuário

Aqui está uma verba em que tenho poupado imenso dinheiro. 

 

No meu envelope de vestuário, coloco apenas €5.00 por mês. Mas nem isso gastei no ano passado, se a memória não me falha. Adicionalmente tenho cartões presente e cheques presente, ofertas de familiares.

 

Para ficarem com uma ideia, apenas em Novembro de 2014 gastei os cartões e cheques presentes que recebi no Natal de 2013. Gastei-os com a promoção Promofans que devolvia 50% do valor gasto. Mais, nem gastei tudo comigo. 

 

Tenho demasiada roupa para o que realmente utilizo. Não consigo continuar num ciclo de auto-justificação para comprar roupa nova que fica anos, no armário, com a etiqueta. Também não consigo continuar a justificar roupa que não uso a ocupar espaço que não tenho. Chega um momento em que temos de desistir de tentar recuperar o dinheiro que gastamos em algo. 

 

A roupa que não uso tem tido alguns destinos:

- doação a familiares

- trocas (troca-se.pt)

- doação a instituições de solidariedade social

 

Pode parecer estranho, mas quanto menos roupa tenho, mais consciência tenho do que realmente tenho (gira frase). Por exemplo, comprei há dias umas calças mais frescas de cor creme (usadas, por €1.00). No fim de semana, quando arrumava a roupa de inverno e a trocava pela da nova estação, adivinhem o que encontrei! Sim, outras calças creme, quase idênticas que também comprei usadas por €1.00. E ainda tenho um fato da mesma cor. 

 

Ou seja, eu posso poupar imenso em vestuário se realmente resistir à tentação de comprar por impulso e souber o que tenho.

Pág. 1/3