Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

2016 à vista!

sC1W48w.jpeg

 

Orçamento pessoal para 2016 (provisório)

Já terminei o meu orçamento e sistema de envelopes para 2016. Porém, uma mudança na minha vida profissional terá algumas implicações no meu orçamento... embora não tenha bem certeza quais serão.

 

Envelopes físicos Envelope virtual em conta bancária Pagamento pontual directamente do salário
Supermercado - €70/mês Saúde 2 - €30/mês + €30 (transitou de 2015) Telefone - €5/mês (valor sujeito a actualização)
Restauração - €40/mês Auto - € 50/mês + €110 (transitou de 2015) Gasolina - €50/mês (aproximadamente)
Maluquices - €10/mês Poupança reforma - €65/mês Obrigações fiscais/reforma - €203
Casa diversos - €10/mês Fundo emergência - €42/mês Estacionamento - sem verba orçada (aproximadamente)
Vestuário - €5/mês    
Electricidade - €55/mês + €150 (transitou de 2015)    
Quotas - €8/mês    
Material escolar/livros - €10/mês    
Saúde 1 - €12/mês            
Férias - €25/mês (6 meses)    
Miúdas - €15/mês    
Presentes - €15/mês    

 

As minhas finanças pessoais estão organizadas da seguinte forma: tenho os envelopes físicos, tenho contas poupança a prazo a que chamo "envelope virtual" com transferências programadas e tenho o remanescente do salário para ir pagando alguns itens com o cartão multibanco. Depois tenho sempre uma notinha extra no porta -moedas para pagar algo como o estacionamento (que não tem verba criada).

 

Sobre as rubricas assinaladas com cor, o meu objectivo é fazer uma mini-poupança de €50.00 (€4/mês) para gastar num espectáculo natalício, incluindo bilhetes e uma refeição. Na verdade, é uma ferramenta de motivação para poupar, em especial, na rubrica de restauração. 

 

 As rubricas:

Supermercado - €70/mês

Inclui alimentação, higiene e limpeza; neste momento preparo pouquíssimas refeições; ainda assim permiti-me um orçamento folgado para investir em stock, se houver oportunidade.

 

Restauração - €40.00/mês

Inclui refeições em saídas de lazer, almoços no trabalho e até os extras com bolos e afins. Assim, quando mais marmitas, mais sobra para o lazer. É uma rubrica em que quero poupar mais, por razões de saúde.

 

Maluquices - €10/mês

O meu dinheiro livre de culpas, desde despesas CTT com trocas, um bilhete de cinema ou um item que desejasse comprar. Para gastar livremente.

 

Casa diversos - €10/mês 

Incluir coisas tão diversas como papel e tinteiros, ou líquido para desentupir canalização. Não inclui extras como grandes reparações ou obras. 

 

Vestuário - €5.00/mês

Em 2016 não vou comprar qualquer item de vestuário, excepto aquele que necessitar de comprar para gastar cartões presentes. 

O meu objectivo é utilizar o que possuo e transitar para vestuário usado, obtido através de trocas ou feito por mim.

Porém, conto gastar mais em cabeleireiro, pois não sei cortar cabelo curto. Como não sei bem o que vou precisar, sinto que este envelope poderá ser alvo de ajustes.

 

Electricidade - €55/mês 

Não vejo necessidade de actualizar o valor. O inverno quente trouxe muita poupança para este envelope.

 

Quotas - €8.00/mês + 

Pagamento de quotas de associações diversas.

 

Material e livros escolares - €10.00/mês

 

Saúde 1 e 2 - € 12 + € 30/mês 

O primeiro envelope é físico e serve para medicamentos e taxas moderadoras. Já o segundo envelope é apenas virtual (com transferências automáticas) e serve para pagar valores maiores como consultas no sector privado ou lentes para óculos.

 

Férias - € 25/mês (6 meses)

Numa tentativa de substituir coisas por experiências, em 2015 fiz dois grandes passeios para que a pequenada conheça o nosso país (um dos passeios estava ligado a matérias que iriam estudar neste ano). Mas entre portagens, gasolina, entradas e refeições, foi fácil atingir os €200. 

Como é um valor que gostaria de gastar, vai passar a despesa orçamentada. Porque gostaria de ter €150 quando chegarem as férias escolares, vou juntar €25/mês nos próximos 6 meses. Depois, a despesa passa a despesa anual.

 

Miúdas - €15/mês

É uma despesa que desejo controlar porque apesar de resistir facilmente a comprar coisas para mim, já não é tão fácil quando se trata das minhas sobrinhas. Criar este envelope ajudou imenso e tenho sido mais cuidadosa em diminuir "tralhas". O meu objectivo é substituir coisas por experiências.

Também inclui entretenimento e despesas CTT com trocas.

 

Presentes - €15/mensal

A minha lista de presentes já está delimitada às pessoas mais próximas, ainda assim ultrapassei o orçamento. Este ano o meu objectivo é que, pelo menos, 50% dos meus presentes sejam caseiros.

 

Auto - €50/mês

Inclui seguro, imposto automóvel, inspecção anual e despesas com manutenção e ainda reparações de pouco valor. Em Dezembro, sobrou apenas €110 o que demonstra que os €50 são um bom valor médio.

 

Poupança reforma - €65/mês

Poupança feita com transferências automáticas para uma poupança a prazo, no início de cada mês. Quando atingo €1000 transfiro para certificados de aforro porque os juros são basicamente os mesmos. 

 

Poupança reforço fundo emergência - €42/mês + €31

O valor mensal é equivalente a uma poupança anual de cerca de €500. Este ano, provavelmente será um valor consumido por obras na casa. Como não consigo avaliar agora o que irá custar, prefiro reforçar o fundo de emergência. Aliás, além da transferência automática, toda a poupança mensal será para reforçar o fundo emergência.

Além de reforçar o fundo de emergência, vou "pagar" um valor que utilizei para antecipar uma pagamento que me permitirá uma poupança anual de €80.00 (ver Obrigações fiscais/reforma)

 

Telemóvel - €5.00/mês

Este valor poderá ser alvo de actualização.

 

Gasolina - €50/mês

É mais prático e rápido pagar na bomba exclusiva para pagamentos por multibanco, por isso sai directamente do salário. 

 

Obrigações fiscais/reforma - €203/mês 

Este é o calcanhar de Aquiles do orçamento. Até agora, a minha entidade patronal pagava metade deste valor. O remanescente era um reforço que quis fazer. Porém, no início de 2016 vou deixar de ter esta comparticipação mas não quero abdicar deste investimento na minha reforma. 

 

Entretando, decidi utilizar o fundo de emergência para antecipar o pagamento de uma quota profissional, que se traduzirá numa poupança mensal de €7.50 (ou anual de €80). Quando não tiver tantas despesas com a casa para planear, tenho mesmo de passar a incluir este valor no orçamento, para pagamento antecipado.

As contas de 2015

Nas contas de 2015, ao contrário do ano anterior, praticamente só sobrou dinheiro nos envelopes virtuais. 

 

No envelope para pagamento de quotas, o valor transita para 2016 simplesmente porque a cobrança não é feita de forma consistente. No envelope electricidade tenho €220, mas a conta a pagar deverá chegar em Janeiro. Como em Janeiro colocarei mais €55, optei por transferir €70 para o fundo de emergência (em Janeiro fico com €205). 

 

Nos envelopes virtuais/poupanças:

poupança obras da casa - €4000 

poupança reforma - €1034.79

poupança fundo de emergência - €285.73

envelope saúde 2 - €91.08

envelope auto - €110

 

Decidi manter no envelope saúde 2 a quantia de €30 e transferir o remanescente para o fundo de emergência.

 

Ao envelope do fundo de emergência, com o que poupei no mês de Dezembro (€67*), juntei mais cerca de €13, perfazendo o total de €500. Mas devo confessar que não estou particularmente satisfeita comigo por ter de recorrer a estas transferências para atingir o objectivo.

 

Mais, ultrapassei o orçamento de diversos envelopes o que resultou, necessariamente, em menor poupança. Por isso, acho particularmente importante que a poupança seja imputada como uma despesa, que os valores saiam da conta corrente logo no início do mês. 

 

E 2016 a bater à porta.

 

Entretanto apercebi-me que me posso ter esquecido de pagar uma despesa de Novembro. Ainda não encontrei o comprovativo.

Pág. 1/6