Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

As três perguntas: eu preciso? funciona? é útil?

3 

As coisas passaram-se do seguinte modo: vi num folheto e de imediato o meu cérebro começou a elencar as razões para comprar um (muito barato, "verde", iria fazer-me poupar dinheiro no futuro). Em suma, o meu cérebro esta a gritar: não percas esta oportunidade!

 

Felizmente, tenho feito algumas leituras sobre como o meu cérebro me engana e decidi colocá-lo à prova:

eu preciso?

funciona?

é útil? 

 

O que me diz o cérebro na versão "pensar depressa":

 

 

eu preciso MUITO disto

 

... posso carregar o telemóvel com energia solar, o que é uma conduta responsável do ponto de vista ambiental e do ponto de vista financeiro porque não custa dinheiro (rapidamente vou amortizar o custo do aparelho)

 

Agora vem o balde de realidade. Assim que tentei perceber se realmente são eficientes, comecei a ler que:

  • precisam de luz directa (nada de vidros de janela pelo meio)
  • precisam de um dia com muito sol
  • precisam de uma inclinação precisa para captar a luz
  • demoram HORAS a carregar

Num artigo que analisava modelos recentes a rodar os 100 dólares, o tempo de recarga era entre 90 minutos e 4 horas, além dos que nem mencionavam o tempo (raramente é bom sinal). 

 

Assim, qual a probabilidade de um carregador solar de €20 funcionar de forma eficiente? Baixa. Por isso, o "funciona" tinha muitos buracos pelo meio.

 

E assim chegamos ao útil. 

Quantas vezes iria estar na posição de estar horas, parada, debaixo de luz solar directa (e não por detrás do vidro de uma janela), a carregar o telemóvel?  Não é precisamente ao final do dia que colocamos o telemóvel a carregar?

 

Em suma, eu não preciso de um carregador solar, com as limitações que actualmente possuem. E no que respeita aos modelos mais eficientes, eu não preciso de um carregador a ESSE preço. 

Alianças de casamento - Uma opção mais económica e sustentável

Minerar ouro suficiente para uma aliança de casamento de tamanho médio, produz cerca de 20 toneladas de resíduos minérios perigosos, que por vezes são despejados em rios ou no mar. 

A História das Coisas - Annie Leonard

desiree-fawn-68030

Désirée Fawn 

 

Ao ler este pequeno trecho, voltei a lembrar-me de algo que li há muito tempo (e que agora, lamentavelmente, não consigo encontrar). 

Um casal, empenhado num casamento com o menor impacto ambiental possível, fez as suas alianças de casamento a partir de ouro doado por familiares

 

Desta forma, peças que provavelmente nem eram usadas, foram passadas para a geração seguinte. Ou imaginem alianças de familiares há muito perdidos, que acabam por unir-se noutros laços. Isto sim, é romantismo. 

 

Menos românticos são os custos da mão de obra (que desconheço) e a perda de ouro no processo (cerca de 10%). Ainda assim, são menos 20 toneladas de desperdícios...

O meu S. João

O meu S. João consistiu em fugir a todas as festividades e aproveitar para ir ao cinema. Resisti à tentação de ir comer ao shopping e jantei antes de sair de casa. A noite foi deliciosamente calma... e económica.

 

Cinema grátis + €0.58 de gomas (esponjas)

DSCF1034

Mais duas bolachinhas docinhas para o intervalo (€0.20):

  €1.39 - €0.40 (vale de desconto) = €0.99

Pág. 1/4