Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Esqueci-me do meu dinheiro a brincar

Capturar

Lembram-se do meu dinheiro a brincar? 

Está a render 24,19% enquanto o verdadeiro, se render 1% já é muito. Enfim, quem tem mais dinheiro, mais ganha.

Começar as poupanças do zero

Horas após escrever um post sobre começar do zero, entrou-me no bloglovin um post com o título "5 Tips To Build Your Savings From Zero", ou seja, 5 dias para construir as suas poupanças do zero. 

 

Como foi (claramente) escrito para mim, li as 5 dicas com atenção:

 

1. Definir prioridades/estabelecer objectivos

Neste momento, tenho um objectivo definido para Novembro: pagar do salário o seguro automóvel, a consulta médica e a electricidade. 

Apenas nesses três itens, estarão cerca de €400.

 

2. Fazer pequenas mudanças

Para um esforço sustentável ao longo do tempo. Concordo plenamente. Sempre acreditem na força do princípio "grão a grão".

 

3. Automatizar a poupança 

Sempre fiz isso, até com os envelopes digitais. Assim, fica apenas à ordem o dinheiro que será o disponível para gastar. 

 

 4. Arranjar um biscate

Se fique claro que os blogs não é um deles. Na Google, os três blogs "ganham" cerca de €0.50-€1.00/dia (antes de impostos) e como não faço outra monetarização (felizmente tenho emprego e ainda não preciso), tenho mesmo que biscatar para outras bandas.

Ora os meus biscates, até ao final do ano, serão fazer coisas para não ter de pagar outras pessoas:

- não vou pagar para me passarem a ferro (estaria no topo das minhas prioridades);

- vou pintar o tecto da casa de banho;

- vou pintar algumas madeiras e fazer umas mini reparações (a junta das paredes e faixas estalou por causa da trepidação e ainda quero experimentar uma massa acrílica);

- vou tentar fazer os presentes caseiros que tenho planeados, com material QUE JÁ COMPREI; nem vos digo há quantos anos... Lembram-se deste post? Entre planear e executar...

Fiz um, já não é mau. Mas ainda tenho aqui outro, quase pronto e depois tem de arrancar o 3º.

 

5. Planear

O impulso é o inimigo da poupança. 

 

Enfim, excelentes dicas que nos obrigam a reflectir.

A fechar uma fase - 2

Situação actual das minhas finanças pessoais:

 

1 - Utilizei o dinheiro de todos os envelopes que tinha: físicos ou digitais (das férias à electricidade, da reforma ao carro).

2 -  Tenho €1000 em certificados de Tesouro, que considero o meu fundo de emergência, embora fosse um valor poupado para a reforma.

3 - Tenho €92 de um cartão presente, que foi convertido em dinheiro por um familiar, que o utilizou por mim.

4 - De Outubro, sobrou a verba de €7.10.

5 - Tenho €5.00 num cartão de crédito recarregável. 

6 - Tenho €32 em vales de desconto para gastar no centro comercial (promoção/reembolso).

7 - Em Novembro, vou pagar €232.46 de seguro automóvel.

8 - Em Novembro TENHO de marcar uma consulta médica, que custará cerca de €80 e que ando a adiar à demasiado tempo. 

9 - Em Novembro deve vir nova conta da electricidade (?).

10 - Tenho acesso a crédito familiar imediato. Aliás, um post destes costuma gerar um email a oferecer-me dinheiro (poupo-te o trabalho: a resposta é não, obrigada).

 

Mais transparente que isto, não me parece que pudesse ser. Poderia despejar em vós as minhas ansiedades, mas isso não serviria a nenhum dos lados.

 

Poderia dizer que começo Novembro do zero. Mas não é verdade.

O que tenho aprendido nos últimos anos é uma ferramenta valiosíssima e confere-me uma paz que não tinha quando comecei.

O apoio familiar é uma bóia de segurança, a que poucos se podem agarrar.

 

Estou a encarar esta nova fase como um jogo. Calhei na casa errada, perdi o dinheiro todo e agora vou novamente para a casa da partida. Aqui vou eu!

Pág. 1/4