Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Destralhar vs. Desperdício Zero

Ando a debater-me com o que implica o "destralhar". Consegui vender inúmeras coisas de que não precisava, troquei outras, passei a resistir às compras de "quiquinhos" que iriam ocupar espaço, doei imenso, até mobiliário.

 

Ultimamente, mais assídua em lojas solidárias e grupos de doações vejo o estado a que chegou o nosso desperdício. Sinto-me entre a necessidade de retirar coisas de casa, mas ainda assim querer que realmente tenham utilidade e sejam entregues a quem as irá usar, em vez de serem inúteis noutro local ou acabarem no lixo.

 

Estou a tentar encontrar um equilíbrio.

1 (33).jpg

 

Deparei-me com uma camisola interior a descoser-se. O "destralhar" diz-me para me desfazer dela, mas o "desperdício zero" diz-me para a remendar, especialmente porque não será valorizada numa doação. 

 

Hoje ganhou o "desperdício zero". 

 

 

2 (21).jpg

Poupar como objectivo para 2018 : vamos começar em Fevereiro

Sabem aquela resolução de início de ano? Aposto que, para a generalidade de quem lê este blog, uma dela foi poupar mais.

 

Pois bem, já estamos quase a meio de Fevereiro. Está a correr bem? Sabem se está a correr bem? 

 

O primeiro erro com que me deparei, quando quis começar a poupar, foi precisamente não ter criado um objectivo concreto e mensurável: poupar uma quantia mensal durante um determinado tempo; poupar para uma despesa concreta, poupar um valor concreto; eliminar determinado tipo de gastos. 

 

Se concluíram que não fizeram nada disso e que até hoje não fizeram nada, a não ser resolver, informo que faltam 324 dias para terminar o ano. 

 

Uma das coisas que, para mim, foi mais importante para poupar, foi perceber para onde saía o dinheiro. Para isso, comecei a fazer um registo diário de despesas. Até que se tornasse um hábito, foram meses de tentativas. Tornou-se um hábito porque não desisti quando falhei... e falhei muitos meses. 

 

Em inúmeros meses esqueci-me de anotar despesas, por vezes durante semanas inteiras. Simplesmente continuei onde tinha parado, mesmo sabendo que, no final do mês, não teria totais realistas. Continuei.

 

Não gastei dinheiro para poupar. Cada um utiliza o método que funciona consigo, mas comigo a realidade era apenas esta: se eu comprasse aplicações ou agendas xpto de poupança, isso seria apenas uma desculpa para gastar dinheiro.

Dificilmente se poupa gastando mais dinheiro, da mesma forma que não saímos de um buraco escavando mais fundo. 

 

Eu continuo gastar demasiado em restauração. Mas o facto de falhar continuadamente, não significa que vá baixar os braços e desistir. 

 

Por isso, não desistam do vosso objectivo de poupar em 2018. 

 

Sugestão de leitura/re-leituraEstabelecer objectivos de poupança em níveis.