Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Livros lidos da biblioteca pública em 2016

Objectos cortantes, Gillian Flynn - Gestão de tempo para mulheres ocupadas, Maria José da Silvéria Núncio - Ao meu filho, Marilynne Robinson - Lila, Marilynne Robinson - A visita do brutamontes, Jennifer Egan - Room, Emma Donoghue- Poemas e fragmentos de Safo (tradução Eugénio de Andrade) - Orlando, Virginia Wolf - Harry Potter e o cálice de fogo, J.K. Rowling - Novas cartas portuguesas, Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa - A cidade das mulheres, Christine de Pisan - A vida misteriosa dos cadáveres, Mary Roach - Harry Potter e a Ordem da Fénix, J.K. Rowling - Harry Potter e o Príncipe Misterioso, J.K. Rowling - Tempos complicados, soluções simples, Bárbara Barroso - Do branco ao negro, várias autoras - Harry Potter e as relíquias da morte, J.K. Rowling - A morte da mãe, Maria Isabel Barreno - Viver pela liberdade, Maria Antónia Palla - O problema de ser norte, Filipa Leal - A história de uma serva, Margaret Atwood - Viúva, Fiona Barton - A sexta extinção, Elizabeth Kolbert - A infanta rebelde, Raquel Ochoa - A de Açor, Helen Macdonald - A rapariga no comboio, Paula Hawkins - Estação Onze - Emily St. John Mandel - Livro Negro, Hilary Mantel

 

28 livros e ainda tenho 2 para ler até ao final do ano.

 

Um dos meus objectivos para 2016 era não comprar livros para mim. Falhei por 1 e comprei um livro usado, difícil de aparecer e que foi o meu livro preferido de 2015 - Quinze de Rachel de Queiróz. Gastei menos de €2.00 (portes incluídos).

 

Não li menos por isso, não li com menos qualidade ou menos novidades. Até consegui o badalado A rapariga no comboio, Paula Hawkins (reservei-o e quando chegou a minha vez, telefonaram-me para o ir buscar).

 

Estou determinada a continuar a limitar as minhas compras, seja pela poupança monetária que quero fazer, seja de espaço físico.

 

Queria poder comprar alguns livros, nomeadamente livros que não chegaram a Portugal, mas sei que tenho de definir uma regra ou um valor claro, para me recordar que:

- eu não preciso de comprar livros para poder continuar a ler;

- o custo desses livros faz-me falta para atingir outros objectivos.

10 comentários

Comentar post