Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais - semana 45/2017

Bom, poupei imenso na semana passada, mas não posso sentir-me muito satisfeita com isso porque deveu-se a doenças e saltar refeições. 

 

Gastei:

€7.60 em restauração

€5.50 em restauração extra (saídas com a mamã)

€ 6.00 em casa (uma escova e uma ratoeira, que aliás foram os melhores €5.00 que gastei todo o ano)

€2.82 em supermercado

 

As contas desta semana já prometem ser muito diferentes.

 

 

Diário das minhas finanças pessoais - semana 44/2017

A semana passada foi atípica, pois praticamente não saí de casa. Quando pude, enchi o frigorífico, precisamente contando com uma estadia caseirinha. 

 

€ 44.58, supermercado

€ 5.20, lavandaria

€ 6.90, restauração

€ 3.20, restauração extra

€ 54.10, carro

 

Vou dar a contagem da luz. Ainda irei a tempo? Nunca sei.

A fechar uma fase - 2

Situação actual das minhas finanças pessoais:

 

1 - Utilizei o dinheiro de todos os envelopes que tinha: físicos ou digitais (das férias à electricidade, da reforma ao carro).

2 -  Tenho €1000 em certificados de Tesouro, que considero o meu fundo de emergência, embora fosse um valor poupado para a reforma.

3 - Tenho €92 de um cartão presente, que foi convertido em dinheiro por um familiar, que o utilizou por mim.

4 - De Outubro, sobrou a verba de €7.10.

5 - Tenho €5.00 num cartão de crédito recarregável. 

6 - Tenho €32 em vales de desconto para gastar no centro comercial (promoção/reembolso).

7 - Em Novembro, vou pagar €232.46 de seguro automóvel.

8 - Em Novembro TENHO de marcar uma consulta médica, que custará cerca de €80 e que ando a adiar à demasiado tempo. 

9 - Em Novembro deve vir nova conta da electricidade (?).

10 - Tenho acesso a crédito familiar imediato. Aliás, um post destes costuma gerar um email a oferecer-me dinheiro (poupo-te o trabalho: a resposta é não, obrigada).

 

Mais transparente que isto, não me parece que pudesse ser. Poderia despejar em vós as minhas ansiedades, mas isso não serviria a nenhum dos lados.

 

Poderia dizer que começo Novembro do zero. Mas não é verdade.

O que tenho aprendido nos últimos anos é uma ferramenta valiosíssima e confere-me uma paz que não tinha quando comecei.

O apoio familiar é uma bóia de segurança, a que poucos se podem agarrar.

 

Estou a encarar esta nova fase como um jogo. Calhei na casa errada, perdi o dinheiro todo e agora vou novamente para a casa da partida. Aqui vou eu!