Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Tirar o dinheiro do...

Esta semana ouvi algo que gostaria de partilhar convosco. Uma senhora reclamava (no café, em tom bastante alto) que um credor estava sempre a telefonar lá para casa e estava muito descontente com esse facto: o que é que ele quer que faça? Que tire dinheiro do c*? Não tenho dinheiro, não tenho dinheiro!

 

E depois continuou, dizendo para onde o havia mandado (usem a vossa imaginação). E continuou, aconselhando a amiga que fizesse como ela e comprasse uma Bimby a prestações.

 

Que fique claro, o meu único problema com a Bimby é não ter dinheiro e espaço de balcão. Só isso.

 

NÃO. Isso não é verdade. Eu TENHO dinheiro para comprar uma Bimby; tenho dinheiro para comprar um novo telemóvel com uma câmara xpto com zoom; tenho dinheiro para comprar um netbook; tenho dinheiro para comprar um gravador que ando a namorar. E a lista de eu quero seria imensa (nenhum destes itens está na lista eu preciso).

 

Mas eu ESCOLHO dar prioridade a outros gastos. Felizmente, eu tenho essa opção: posso decidir em que gastar o meu dinheiro. Nem todas as pessoas o podem fazer, limitam-se a fazer o possível por sobreviver com o que têm.

As minhas prioridades não são melhores ou piores, são as MINHAS. São escolhas que faço e por isso tenho de as assumir e mais, sentir-me feliz por esse controlo me pertencer.

 

Eu sei que estas reflexões não parecem muito relacionadas com a pequena história do início do post, mas foi o que me ocorreu quando li este post: ser honesta com as minhas escolhas e nunca presumir que tenho o direito de as impor a terceiros.

6 comentários

Comentar post