Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Um diário sobre finanças pessoais, produtividade e a busca pela positividade

Diário das minhas finanças pessoais

Um diário sobre finanças pessoais, produtividade e a busca pela positividade

Reflexões Financeiras: Entre Expectativas e Realidade

07.05.24

[Escrito em fluxo de consciência]

 

Mais do mesmo

Ao olhar para trás, percebo que as minhas reflexões sobre o síndrome do impostor, em Janeiro, sugeriam um caminho claro. No entanto, aqui estamos em Maio, e a realidade é tudo menos o que eu esperava.

Decidi não elaborar um "diário das minhas finanças pessoais" desta vez, simplesmente porque a situação é desoladora.

Eu e as finanças desta república

Hoje, reservei um tempo para rever as atividades registadas nas Finanças. Sinceramente, questiono-me por que motivo ainda mantenho a minha atividade aberta. Pagar 20€ mensais à Segurança Social, sem qualquer rendimento em contrapartida, parece um desperdício.

Além disso, a oportunidade de aceder a formação financiada, que foi a razão pela qual iniciei esta atividade, está agora fora do alcance dos trabalhadores independentes como eu.

 

Fuck You Google

Ao decidir encerrar a monetização do Descontos, em protesto contra a cumplicidade da Google no genocídio em Gaza (ver projeto Nimbus), percebo que as minhas esperanças em relação à monetização desvaneceram-se.

Embora possa não desfrutar de estabilidade financeira neste momento, pelo menos posso afirmar que as minhas ações estão alinhadas com os meus valores.

 

Et tu, SapoMail?

Hoje, venho pedir ajuda. O primeiro passo para desvincular-me da Google é fazer a transição para um serviço de email gratuito, seguro e confiável.

O email Sapo surge como uma opção viável? Ou estarei a correr o risco de investir num serviço que, eventualmente, será descontinuado, como aconteceu com outros serviços?

Quem já utiliza o Sapo recomenda? Estou aberta a conselhos e sugestões.

Agradeço desde já a tod@s os que partilharem a sua experiência e conhecimento. 

Escrevi este texto centenas de vezes

26.01.24

Este texto já foi escrito com leveza, lágrimas, raiva, esperança e desespero. O último ano foi um patchwork de emoções. O substantivo é apenas um: fracasso. Melhor dizendo, é um verbo: fracassei.

 

Não é propriamente fácil confessar os nossos fracassos. Embora possa ser um excelente storytelling quando estamos no auge, como uma história de superação, não é nada fácil quando nos sentimos no fundo do poço. 

 

Teoricamente, eu sei que o fracasso em conseguir transformar o Descontos numa fonte de rendimentos não define quem sou, mas não deixa de ser doloroso e intimidante.

 

Do fundo do poço, a esperança é uma luz muito ténue, quase imperceptível. Mas é luz e eu planeio segui-la. 

Decifrando os Sinais Iniciais da Síndrome do Impostor

24.01.24

Num estudo revelador de 2019, a investigação identificou quatro mudanças comportamentais que podem funcionar como sinais de alerta precoce para a Síndrome do Impostor. Estas "Quatro Ps" do Fenómeno do Impostor estão intrinsecamente ligadas às respostas tradicionais ao stress - luta, fuga, paralisia - com a recente adição da quarta resposta: a complacência.

 

1. Perfeccionismo:
O comportamento prejudicial do perfeccionismo manifesta-se através de uma dedicação excessiva ao trabalho, com horas prolongadas, resultando em exaustão, sobrecarga e comprometimento no desempenho.

2. Procrastinação:

Embora aparentem trabalhar para alcançar um objetivo, a ocupação com ações de pouco valor leva à estagnação em vez de progresso. Esta "ocupação" para preencher o tempo pode culminar em exaustão.

3. Paralisia:

A paralisia da Síndrome do Impostor é assemelhada a uma situação em que, ao acreditar que não conseguimos enfrentar a tarefa assustadora que evitamos, ficamos congelados. O receio de que a tarefa revele a nossa suposta inadequação leva-nos a usar a adrenalina de um prazo iminente para superar o medo e concluir o projeto com sucesso.

4. Complacência (People-Pleasing):
O "People-Pleasing" encaixa-se na faceta de "complacência" da resposta luta-fuga-congelamento. Dizer sim quando secretamente queremos dizer não, assumir projetos para ajudar outros, mesmo que isso afete as nossas obrigações existentes - tudo em busca de aprovação para sentir que pertencemos.

 

Conclusão: Entendendo e Enfrentando os Sinais da Síndrome do Impostor

Reconhecer esses sinais precoces é crucial para lidar eficazmente com a Síndrome do Impostor.

Se identificas estas Quatro Ps na tua vida ou na de alguém à tua volta, é vital procurar apoio e implementar estratégias para gerir o stress e promover um ambiente mais saudável e equilibrado. Compreender que a Síndrome do Impostor pode manifestar-se de formas subtis é o primeiro passo para superar esses padrões prejudiciais.

 

Fonte:

2019 IMPOSTER SYNDROME RESEARCH STUDY, Clare Rosa

Explorando os Tipos de Síndrome do Impostor: Desvendando Padrões Psicológicos Comuns

22.01.24

No universo complexo da Síndrome do Impostor, a Dra. Valerie Young conduziu uma pesquisa reveladora, identificando diferentes tipos de fenómeno do impostor.

 

1. O Perito: A Busca Infinita pelo Conhecimento
Hesitam perante ofertas de emprego por não preencher todos os requisitos ou procuram constantemente certificações. Este padrão é marcado por uma constante sensação de insuficiência, mesmo após anos no mesmo cargo.

 

2. O Solitário: A Crença na Independência Total
Aqueles que acreditam que todas as tarefas devem ser realizadas sozinhos, recusando créditos por qualquer assistência, são propensos ao fenómeno do impostor do tipo "O Solitário". Esta mentalidade muitas vezes resulta em relutância em pedir ajuda e na tendência de enquadrar pedidos em termos de exigências do projeto, negligenciando necessidades pessoais.

 

3. O Génio Natural: A Armadilha da Facilidade Constante
O tipo "O Génio Natural" destaca-se pela tendência para o sucesso sem grande esforço. Têm um histórico de vitórias fáceis e eram frequentemente rotulado como o "inteligente" na infância, evitando desafios por medo de não serem excelente.

 

4. O Perfeccionista: Padrões Impossíveis e Autocrítica Constante
Aqueles que estabelecem padrões extremamente elevados para si mesmos, punindo-se por falhas, podem estar a lidar com o fenómeno do impostor do tipo "O Perfeccionista". Esta mentalidade manifesta-se em dificuldade em delegar, hipercontrole e uma busca incessante pela perfeição.

 

5. A Supermulher/Superhomem: O Peso das Múltiplas Expectativas
Sentem pressão para sobressair em todos os papéis da vida, sacrificando o seu tempo e interesses pessoais. Este padrão muitas vezes resulta numa sensação persistente de não ter alcançado verdadeiramente o sucesso, independentemente das conquistas.

 

Conclusão: Superando a Síndrome do Impostor
Identificar o tipo específico da Síndrome do Impostor é o primeiro passo crucial para superar padrões negativos. Ao aumentar a consciência sobre o fenómeno do impostor e os seus efeitos, abrimos caminho para uma mentalidade mais saudável em relação às nossas competências e conquistas. Este é o ponto de partida para superar o desafio comum que é a Síndrome do Impostor.

 

 

[1] Wilding, Melody J. (n.d.) 5 Different Types of Imposter Syndrome (and 5 Ways to Battle Each One). https://www.themuse.com/advice/5-different-types-of-imposter-syndrome-and-5-ways-to-battle-eachone

https://www.tenpercent.com/podcast-episode/valerie-young-574

impos.JPG

Desvendando a Síndrome do Impostor: Uma Jornada Rumo à Autoconfiança

19.01.24

Se tu vendesses isso... Tu podias fazer... Já pensaste em ser... Mas isso é fantástico, se  fizesses...

 

Muitos de nós enfrentam a Síndrome do Impostor, uma barreira psicológica que nos faz duvidar das nossas competências e recear sermos descobertas/os como "fraudes". 

 

O Que é a Síndrome do Impostor:
Embora frequentemente referido como "Síndrome do Impostor" (o termo identificado por Suzanne Imes e Pauline Rose Clance nos anos 70), não é uma síndrome no sentido médico, mas uma experiência comum que afeta muitas pessoas.

O termo "fenómeno do impostor" tem sustituído o mais conhecido "síndrome do impostor" porque não é considerado uma síndrome no sentido médico da palavra. O sentimento não é um distúrbio ou algo que possa ser diagnosticado.

Surge quando nos questionamos sobre a nossa verdadeira capacidade e nos sentimos constantemente vulneráveis à ideia de sermos desmascarados.

 

Sentimentos de Inferioridade e a Dificuldade em Aceitar Conquistas:
Este padrão psicológico tece sentimentos de inadequação e insegurança, mesmo quando a evidência de competência e sucesso é clara. A pessoa que enfrenta a Síndrome do Impostor pode sentir ansiedade, auto-sabotagem e dificuldade em aceitar elogios, buscando incessantemente validação externa.

 

Impactos Profissionais e Pessoais:
A Síndrome do Impostor não conhece fronteiras profissionais e pode infiltrar-se em todas as áreas da vida. A constante preocupação em ser percebido como incompetente ou indigno pode prejudicar o desempenho no trabalho e os relacionamentos interpessoais.

 

Enfrentar a Síndrome do Impostor:
Superar a Síndrome do Impostor requer consciência e ação. Aumentar a compreensão sobre este fenómeno é crucial. Buscar apoio profissional pode ser um guia para identificar causas subjacentes e desenvolver estratégias para enfrentar esses sentimentos.

 

Criar um Ambiente de Trabalho Favorável:
Fomentar a autoconfiança e a autoaceitação é vital para superar a Síndrome do Impostor. Reconhecer os sintomas, procurar apoio e implementar estratégias para promover uma autopercepção saudável são passos fundamentais nesta jornada.

 

Conclusão:
Em resumo, a Síndrome do Impostor é uma experiência partilhada, mas não é uma sentença definitiva. Ao compreender os seus sintomas, procurar o apoio necessário e implementar estratégias positivas, é possível não apenas enfrentar, mas superar esses desafios, construindo uma mentalidade mais positiva em relação às nossas competências e conquistas. 

 

Fontes:
[1] https://www.cuf.pt/mais-saude/ja-ouviu-falar-de-sindrome-do-impostor
[2] https://www.valesaude.com.br/doencas-e-sintomas/sindrome-do-impostor/
[3] https://www.gupy.io/blog/sindrome-do-impostor
[4] https://www.napratica.org.br/o-que-e-sindrome-do-impostor/
[5] https://drauziovarella.uol.com.br/psiquiatria/sindrome-do-impostor-quem-pode-desenvolver-sintomas-e-tratamento/
[6] https://www.npr.org/2021/01/22/959656202/5-steps-to-shake-the-feeling-that-youre-an-impostor

Dia de Abandonar as Resoluções de Novo Ano

17.01.24

Muitas/os de nós já sentem o peso das Resoluções de Ano Novo que, inicialmente carregadas de promessas, agora parecem um tanto difíceis de manter.

Eis que chega o Dia de Abandonar as Resoluções de Ano Novo (17 de Janeiro), uma data peculiar que nos convida a soltar as amarras das metas utópicas estabelecidas há apenas algumas semanas.

 

Em vez de persistir em objetivos que podem parecer inatingíveis, somos encorajadas/os a celebrar a liberdade de reconhecer que a verdadeira transformação requer esforço consistente ao longo do ano.

 

Talvez, em vez de desistir, possamos direcionar as energias para metas mais realistas e alcançáveis. 

 

Atingir Metas Financeiras de Ano Novo com o Método SMART

Specific (Específico)

Measurable (Mensurável)

Achievable (Atingível)

Relevant (Relevante)

Time-bound (Temporal)

 

O método SMART é uma abordagem amplamente utilizado em gestão e psicologia organizacional, para definir metas que sejam Específicas, Mensuráveis, Atingíveis, Relevantes e Temporais, aumentando a probabilidade de sucesso ao tornar os objetivos mais claros e alcançáveis.

 

Manter as resoluções de Ano Novo relacionadas com poupança e finanças pessoais pode ser desafiante, mas ao aplicar o método SMART, é possível transformar objetivos genéricos em conquistas tangíveis.

 

Específico: Em vez de estabelecer uma meta genérica de "poupar dinheiro", seja específico em relação ao valor e à finalidade. Por exemplo, "poupar 500€ por mês para criar um fundo de emergência".

Mensurável: Estabeleça critérios claros para medir o seu progresso financeiro. Se o seu objetivo é reduzir despesas, defina uma quantia específica a ser poupada a cada mês.

Atingível: Certifique-se de que as suas metas financeiras são realistas e alcançáveis. 

Relevante: Escolha metas financeiras que estejam alinhadas com os seus valores e prioridades. Se a prioridade é saldar dívidas, estabeleça um plano realista para as liquidar.

Temporal: Defina prazos para as suas metas financeiras. Por exemplo, "pagar 50% das dívidas nos próximos seis meses". Isso cria um sentido de urgência e responsabilidade.

 

Aplicar uma estratégia com provas dadas ao longo do tempo e adotada em diversos contextos, incluindo gestão de projetos, desenvolvimento pessoal e definição de objetivos organizacionais, é não só aumenta as suas hipóteses de sucesso, mas também proporciona uma estrutura clara para monitorização e ajustes ao longo do ano.

 

Lembre-se, o Ano Novo é uma oportunidade para alcançar estabilidade financeira, e com o método SMART, está a utilizar as ferramentas certas, para transformar as suas resoluções financeiras em realidade duradoura.

 

Bom ano!

Fim da aplicação MINT

04.11.23

Más notícias para utilizadores/as da aplicação MINT. 

A aplicação será descontinuada. A empresa mãe estará a recomendar a sua alternativa - Credit Karma.

Para mim, não seria opção por uma razão simples: a "nova" aplicação não está na lista de aplicações da marca, na Google Store.

A única forma de instalar, é através de um download feito directamente na página da marca, Intuit. Isso parece-me pouco transparente, especialmente quando há um botão que supostamente direccionaria para as Apple e Goople Store. Ou seja, práticas pouco claras para uma empresa que irá agregar a nossa informação financeira? Não obrigada. 

mint.JPG

...

29.06.23

Há muito pouco coisa que conseguimos controlar nesta vida. Tudo o que podemos fazer é aceitar o que vier, aprender o que conseguirmos e agarrarmo-nos àquilo que amamos. E mais nada. No fim das contas, a única coisa que podes esperar controlar é tu mesma. Neste preciso momento. O que é simultaneamente um alívio e uma enorme responsabilidade.

Quando as Mulheres eram Dragões - Kelly Barnhill - Compra Livros ou ebook  na Fnac.pt

 

Apoio Financeiro para Famílias Carenciadas

23.05.23

A Portaria n.º 133/2023, de 15 de maio de 2023, atualiza o apoio financeiro disponível para pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade.

Esta atualização segue-se à Portaria n.º 45-A/2023, que concedia um apoio semelhante, mas por um período limitado de dois meses.

 

Quem Pode Beneficiar deste Apoio?

Este apoio financeiro está destinado a indivíduos e famílias em situação de carência económica ou de perda de rendimentos que beneficiem do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (POAPMC).

Quanto e Por Quanto Tempo?

O valor do subsídio é fixado em 30 euros mensais por cada membro do agregado familiar e será atribuído mensalmente, até um máximo de dois meses.

Como Solicitar o Apoio?

O processo de concessão do subsídio depende de um diagnóstico e avaliação oficiosa da situação do beneficiário do POAPMC.

A análise e decisão sobre a concessão do subsídio serão realizadas automaticamente.

Pagamento e Obrigações dos Beneficiários

O pagamento do subsídio será efetuado pelos serviços da segurança social, podendo ser realizado por depósito em conta bancária ou por vale postal.

O subsídio é pago diretamente ao beneficiário ou, quando aplicável, ao seu representante legal. Importante salientar que os beneficiários deste apoio têm a obrigação de informar aos serviços da segurança social qualquer alteração que possa influenciar a atribuição ou manutenção do apoio.

Acumulação de Apoios

Este subsídio pode ser acumulado com outros apoios ou prestações, independentemente da sua natureza.

 

Para concluir, é importante esclarecer que o diploma não menciona o objectivo real que é colmatar falhas no fornecimento de cabazes alimentares aos mais carenciados. Estes cabazes, por vezes, chegam atrasados ou incompletos, faltando-lhes produtos essenciais como leite e arroz.

Por isso, o real objetivo deste apoio complementar, excecional e temporário é justamente colmatar estas falhas, garantindo que todos tenham acesso a alimentos básicos e essenciais para a sua subsistência.

Motivação - Faz como os estóicos

25.03.23

A propósito de uma série de publicações que li, sobre motivação para limpar a casa, fiquei a pensar sobre o que é, na verdade, a motivação

 

O que é a motivação

Frequentemente, quando falamos de motivação associada à formação de hábitos, estamos a associar a estímulo, a uma força motriz interna por detrás do nosso comportamento, que nos obriga a agir em direcção a um objectivo. 

 

Mas a motivação, na verdade, pode ser interna ou externa (embora os estóicos defendam que a verdadeira motivação é interna). 

A motivação interna ou intrínseca vem de dentro de nós e poderá ser impulsionada pelo prazer ou satisfação pessoal.

Muitas vezes, é associado a atividades que são feitas por si mesmas, como passatempos ou atividades criativas. Mas também poderá ser motivada pelo amor que temos às pessoas que nos rodeiam: limpar o bébé pela 10256 vez porque o amamos ou fazer algo (sem qualquer prazer) porque se alinha com os nossos valores.

A motivação externa ou extrínseca, vem de recompensas ou consequências externas, como dinheiro ou reconhecimento. Muitas vezes, é associado a atividades realizadas para alcançar um resultado específico, como trabalho ou metas académicas.

 

Há quem seja capaz de viver sempre com forte motivação interna em relação aos seus objectivos, guiada/o por um forte sentido de propósito. Porém, atrevo-me a dizer que a generalidade de nós vive com dificuldade em manter a motivação, face aos obstáculos que as nossas vidas mundanas nos vão colocando. 

 Eu sou uma dessas pessoas, por isso, procuro implementar sistemas / hábitos e cultivar estratégias para atingir progresso. 

everdrop-gmbh-SqOMDOQb3ws-unsplash.jpg

Entra o Estoicismo (filosofia enfatiza o autocontrole, a resiliência e o foco no que está dentro do nosso controle) e práticas e princípios dos estóicos para manter a motivação enquanto limpamos a casa:

 

Focar naquilo que está sob o nosso controlo

Se não é possível resolver num dia o que demorou semanas a desarrumar ou acumular ou sujar, concentramo-nos no que é preciso fazer naquele momento. 

 

Objectivos realistas

Em vez de estabelecer como objectivo a limpeza de toda a casa, criar objectivos menores, como limpar uma divisão (ou só uma gaveta) ou até uma tarefa muito específica, como tirar a louça da máquina ou deixar a banca limpa todas as noites

Para mim, tem passado por utilizar a estratégia "âncora", para voltar a uma divisão/tarefa, assim que tenho de abandonar uma tarefa, para ir fazer outra coisa qualquer.

 

Disciplina

Há quem goste de limpar a casa, mas atrevo-me a dizer que estão em minoria. A generalidade das pessoas precisa de disciplina para fazer algo que é desagradável. 
E quanto há falta de motivação e disciplina, o melhor é começar por pequenas tarefas e rotinas: em vez de "limpar a casa de banho", arrumar as coisas que estão em cima do lavatório e passar um pano na superfície. 

 

Aceitar contratempos, procurar soluções

Decidem limpar uma prateleira e cai a garrafa de azeite. Imediatamente pensam: para quê? Ou: porque só me acontece a mim? Dependendo do grau de dramatismo em que se encontram no momento.

Quando acontecem os contratempos, o melhor é respirar fundo e focar na solução desse problema.

 

Apreciar o progresso

Quando atingimos um objectivo (pequeno ou grande), devemos parar (literamente parar) para apreciar o progresso. 

Alterar o foco do negativo (desarrumação) para o positivo (arrumação), poderá motivar-nos para a próxima tarefa e reforçar os aspectos positivos de viver numa casa organizada.

 

E para as/os mais distraídas/os na fila de trás, isto não é apenas sobre arrumação da casa.

 

Acima de tudo, é importante não ficar presa/o em autocrítica e pensamentos negativos. A vida já é suficientemente dura. E definitivamente, não o permitir de terceiros.

Façam pausas. Peçam ajuda. Celebrem pequenas e grandes vitórias. Cuidem-se.

 

 

Sugestões de Leitura:

Hábitos Atómico - James Clear

Meditações -  Marcus Aurelius (*)

FlyLady

 

Navy SImple Things to do to Train the Stoicism Thinking Pattern Infographic (1).jpg