Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Medicamentos: novas regras para receitas electrónicas

Descontos, 10.04.20

Durante o período de vigência do estado de emergência (e suas renovações), algumas receitas eletrónicas de medicamentos, cujo prazo de validade termine, consideram-se automaticamente renovadas por igual período.

 

Incluem-se entre essas:

1) Receitas de medicamentos com validade de seis meses;

2) Receitas de medicamentos pertencente ao grupo 4.3.1.4 -Outros Anticoagulantes;

3) Produtos dietéticos indicados para satisfazer as necessidades nutricionais dos doentes afetados de erros congénitos do metabolismo;

4) Alimentos e suplementos alimentares prescritos a crianças com sequelas respiratórias, neurológicas e/ou alimentares secundárias à prematuridade extrema;

5) Dispositivos médicos comparticipados que se destinem a tratamentos de longa duração.

 

A portaria agora publicada, também prevê que no caso das receitas médicas com validade de seis meses, a farmácias não poderão dispensar o medicamento num único momento, mas apenas o número de embalagens necessário para tratamento até dois meses.

 

Estabelece ainda algumas situações em que o farmacêutico poderá substituir o medicamento prescrito, face à impossibilidade de dispensa do medicamento prescrito ou de outro de preço inferior.

Planificação de tarefas - O método Alastair (alastairjohnston.com)

Descontos, 01.04.20

Como já fui referindo, eu sou utilizadora do sistema de organização/produtividade conhecido como Bullet Journal (https://bulletjournal.com), que na prática se traduz numa agenda sem dias pré-marcados que permite utilizar um qualquer caderno, e transformá-lo numa agenda que também é planificador, que também é registo de notas e até, se desejarmos, um registo de memórias e reflexões.

 

É essa versatilidade que faz com que tantas pessoas o adaptem às suas necessidades com bastante criatividade e até laivos de genialidade.

 

O método Alastair (criado por Alastair Johnston) surgiu como uma solução elegante para resolver a necessidade de registar, de forma intuitiva, os eventos/tarefas futuras.

 

Porém, eu tinha outra necessidade, que era planificar de forma mais simples e visual as tarefas semanais, de modo a distribuí-las equilibradamente, certificar-me que alguma era concluída num dia em concreto, ou simplesmente ter um lembrete visual para não sobrecarregar alguns dias.

 


Ultimamente, em teletrabalho, tem servido para organizar as tarefas profissionais.

Numa página, listo tudo o que tenho de fazer, grande ou pequeno: projectos em que estou a trabalhar ou tarefas em concreto.

Não precisa de ser particularmente organizado, mas precisa de sair da minha cabeça para o papel. Tudo que tenho receio de me vir esquecer, vai para o papel.

 

Depois, vou alocando as tarefas aos dias e/ou registando os dias em que trabalho em algo. Fico com algo deste género:

2.JPG

Se mudar de ideias quanto ao dia em que vou fazer uma tarefa, simplesmente coloco uma seta, que significa que "transportei" a tarefa para outro dia.

 

Neste momento, estou apenas a registar antecipadamente com uma cruz as tarefas com dia obrigatório. Depois vou assinalando os dias em que trabalho em determinada tarefa/projecto, que não têm prazo.

 

Se concluir determinada tarefa/projecto, simplesmente corto com um risco os restantes dias.

3.JPG

 

Outra estratégia, que de vez em quando utilizo, é com bolinhas em vez de cruzes. Assinalo com bolas o que são os planos e em cima de cada, posso colocar um visto (se fiz) ou uma cruz (se não fiz).

 

Em suma, só precisam de uma folha qualquer e uma caneta. A simplicidade e flexibilidade do método permitem adequar às nossas preferências e necessidades de cada momento.

 

E permite-se a tudo. Pode ser uma lista profissional, uma lista de refeições a preparar com os ingredientes do congelador, uma lista de limpeza, uma lista de familiares e amigo a quem querem ir ligando pontualmente.

 

Pode ser para 2, 7 ou 15 dias... ou aqueles que desejarem e conseguirem encaixar na folha. Pode ser uma lista para meses, em vez de dias... para se lembrarem de despesas anuais, aniversários ou a inspecção do automóvel. 

 

Seja o que for para vós, espero que vos seja útil.

Abril

Descontos, 01.04.20

2020-04-01_111240.jpg

2020-04-01_111205.jpg

É estranho abrir um mês sem consultas, marcações. Mas aqui estamos, um mês de isolamento social, se tivermos a sorte de poder estar em casa, protegidas/os.

 

Como sempre, a minha agenda é feita de recortes de revistas e jornais que vou guardando. A imagem que escolhi para hoje pareceu-me a indicada.

Uma janela fechada e o mundo do lado de fora. Deveras poético, não é?

Quando a escolhi, era simplesmente uma imagem bonita. Continua a ser e por isso colei-a na minha agenda, como uma espécie de separador entre os meses.

 

Fiquem bem!

É importante diminuir a actividade: internet

Descontos, 25.03.20

A julgar pelas notícias e até pela legislação que foi aprovada, a sobrecarga da internet é uma realidade que estará a necessitar de medidas drásticas.

 

Passam a ser considerados como serviços prioritários:

- “acesso ininterrupto aos serviços de emergência”;

- comunicações “de voz e de mensagens curtas (SMS) suportados em redes fixas e móveis”;

- a “distribuição de sinais de televisão linear e televisão digital terrestre”.

 

Para assegurar esses serviços, as empresas poderão gerir as redes de tráfego e até desligar serviços, o que em última análise poderá levar a que serviços como filmes, jogos e afins passem a ter tráfego limitado ou até possam ser suspensos.

 

Por isso, devemos fazer um esforço para diminuir o nosso consumo desse tipo de serviços.

E aqui, acredito que os pequenos gestos de muitos, podem fazer a diferença.

Por exemplo, ouvindo música no rádio, em vez de plataformas digitais como o YouTube ou Spotify. Ver os DVD que estão por casa, em vez do Netflix. Diminuindo a resolução no YouTube, se vamos usá-lo. Se têm um pacote de chamadas de voz, preferir um telefonema, a uma chamada via WhatsApp.

Melhor que reduzir, é descobrir que nem podemos trabalhar com o computador.

 

E por falar nisso, há quanto tempo não fazem uma cópia de segurança dos vossos documentos? E está tudo na Cloud?

Mais vale prevenir que remediar.

 

Colorir e outros passatempos em casa

Descontos, 15.03.20

Aqui ficam um apanhado de algumas publicações com recursos para passatempos em casa, em especial: colorir e unir pontos.

 

Peço desculpa se alguns dos recursos já não estão disponíveis.

 

DIY - Imprimir livro de actividades para a miudagem

DIY - Páginas de colorir para todas as idades

38 páginas de colorir para adultos - grátis

Ligar os pontos - versão para pessoas graúdas

Livros de colorir para adultos - museus

Livros de colorir para adultos - grátis

Pinguinho on the road

Descontos, 11.03.20

IMG_20200311_182140_006.jpg

Um dos efeitos da pandemia: estou a evitar as idas à restauração com a minha mãe.

 

Hoje, ao sairmos de uma consulta, consegui fazê-la rir, com o meu kit "pingo on the road". Desviei o carro para um local com árvores e bebemos o nosso pinguinho.

 

Assim, evitei uma ida à restauração, mas penso que também o sentimento de privação do momento de lazer.

Preparação: reforço da medicação

Descontos, 08.03.20

Com uma doente crónica em casa, não me preparar para a eminência de uma epidemia, não era uma opção.

Há duas semanas comecei com alguns preparativos básicos, que me permitissem manter a minha sanidade mental.

Em especial, pedi receitas médicas, certificando-me que tenho um bom reforço de medicação da minha mãe. 

Deste modo, não terei de me preocupar em incomodar médicos num pico da epidemia (para pedir receitas) ou com falhas na distribuição (que aliás já acontecem pontualmente, sem nada que o justifique).

 

Screen-Shot-2018-05-14-at-09.06.04.png

Anxiety Chart

O que não poupei esta semana

Descontos, 01.03.20

Estou furiosa comigo.

 

Mais uma vez, o deixa andar fez-me gastar o que poderia ter poupado.

 

Este mês tive de levar o carro à inspecção. Antes, fui ao eletricista porque tinha de alinhar os faróis. Aproveitei para pedir orçamento dos amortecedores da porta da bagageira, que estavam a falhar de vez em quando (em cima da minha cabeça). Qual não é a minha surpresa, quando ele me diz que isso levaria à reprovação do carro.

 

Orçamento das peças: €20.00/cada (já não quis saber o valor da mão de obra)

Por razões diversas, decidi levar o carro a outro local. No final, paguei €50.

1.JPG

As peças encontram-se em várias lojas online, desde os €5. E a substituição é tão simples, que qualquer pessoa pode fazê-la.

Também mudei as escovas limpa vidros. As da frente, custaram €4/cada, a de trás custou €13 porque não consegui encontrar mais barata e faltou o tempo para encomendar online.

 

Por favor aprendam com os meus erros.

 

Já agora, sabem onde posso encontrar os pinos que suportam os fios da bagageira? É ridículo pensar que tenho que comprar online uma coisa tão básica.

pinos.JPG

Desabafo

Descontos, 29.02.20

Começo a ficar cansada das piadas acerca de máscaras e dos receios em relação ao novo coronavírus.

Claramente só pode vir de pessoas que não leram os relatos horríveis de quem viveu a experiência, como por exemplo, de ter de escolher que familiar iria ter acesso a internamento, porque não havia lugar para todos.

Se acham que o nosso SNS não vai colapsar imediatamente numa situação grave, então é óbvio que não lêem notícias, nos últimos anos.

 

Outra moda, é aligeirar o impacto da doença, comparando-a à gripe.

Ora, para a gripe há vacina, para a pneumonia há vacina (cá em casa todos se vacinam), o que não acontece no novo coronavírus.

Pelo que li (e escolho canais de informação fidedignos) a taxa de mortalidade da gripe anda pelos 0.01-0.05%. Já a taxa de mortalidade do coronavírus em dois dos grupos de alta mortalidade (em que a minha mãe se insere), está a ser apontada como sendo de até 14%, ou seja, mil vezes superior.

 

Por isso, lamento não aderir à moda da minimização de uma doença que já matou quase 3000 pessoas, em cerca de 2 meses.

 

Porque na verdade, a ideia de a minha mãe morrer sozinha, numa situação de isolamento hospitalar, não só está a deixar-me alarmada, como absolutamente aterrorizada.

 

P.S.1 - A última vez em que a minha mãe esteve "internada" num hospital público, foi um internamento de 3 dias no corredor das urgências. Eu sei o que vi, durante esses 3 dias (em que não saí de lá).

 

P.S.2 - Talvez houvesse menor alarmismo, se as nossas autoridades primassem pela informação em vez do "aqui não passa nada".

No primeiro caso suspeito, foi o que se viu. Num dos últimos, vimos que as teóricas salas de isolamentos não passam de ficção e que, na verdade, o isolamento se faz no corredor da casa de banho.