Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Cuidar de mim #3 - Um banho relaxante

01.12.20

Uma actividade simples, de autocuidado: um banho quente. Recomendo vivamente, para quem tem banheira. Era um dos meus prazeres preferidos.

 

Mas a vida muda e agora não tenho banheira. Poderia tomar um duche longo, mas o sentimento de culpa pela água desperdiçada tornaria a actividade tudo, menos relaxante.

 

Mas ao procurar alternativas, fui confrontada com as actividades básicas de autocuidado que vou esquecendo.

 

Por isso, foi uma noite dedicada aos "extras" e o duche foi seguido por creme hidratante, do rosto aos pés.

 

Foi um momento de reflexão importante.

 

Os "extras" deveriam ser essenciais. Em tenho eczema atópico e não estar a fazer hidratação do corpo, tem levado ao reaparecimento dos sintomas: pele seca a escamar e comichão.

 

Não há justificação para não ter cuidado com a minha pele. Eu não posso dizer que não tenha 5 minutos depois do duche para me hidratar.

 

E se formos verdadeiras/os connosco próprias/os, temos muitos 5 minutos, que escolhemos alocar frente a um ecrã, em vez de priorizar a nossa saúde e bem-estar.

 

É isso que preciso de mudar: dar prioridade aos hábitos de autocuidado.

Cuidar de mim #2 - Fazer uma sesta

29.11.20

curtis-thornton-8I37xRnjd8k-unsplash.jpg

Foto de  Curtis Thornton - Unsplash

 

A manhã de sábado é sempre esgotante, física e mentalmente. Obriga-me a concentrar toda a limpeza de uma casa, mais duas máquinas de roupa, sem falar das restantes solicitações que caem nas atribuições de cuidadora.

 

Por isso, escolher a sesta para um sábado depois do almoço era mais que óbvio. E se o sol estiver a bater no sofá, ainda melhor.

Não estava. Tive de ir apanhar a roupa porque estava a começar a chover.

A vida não está nem aí para o teu planejamento.

 

Ainda assim, com interrupções pelo meio, só me levantei do sofá depois das 16h00.

 

A curiosidade levou-me a ler alguns artigos verdadeiramente fascinantes sobre a sesta e o padrão de sono bifásico.

Pelas leituras que fiz, o sono bifásico é o mais natural e surge com o advento da agricultura e só entramos no sono monofásico com a revolução industrial. Fascinante.

 

Acho que vou tentar incorporar mais vezes, a sesta na minha rotina diária. Até porque, estando em teletrabalho, é perfeitamente exequível.

 

Eu tenho um sono muito leve e sinto frequentemente que já acordo cansada. Talvez seja o momento ser mais cuidadosa com a minha higiene de sono.

Cuidar de mim #1 - Elogiar alguém

28.11.20

kelly-sikkema-4le7k9XVYjE-unsplash.jpg

Kelly Sikkema - Unsplash

 

Hoje optei por uma actividade fácil - elogiar alguém.

 

Foi fácil porque era alguém que se encontrava a celebrar o evento importante da sua vida (que manterei privada, por razões óbvias).

 

Porém, não pude deixar de notar que nessa celebração, não estava a valorizar suficiente o esforço colossal de atingir essa meta.

Falou de sorte e de Deus e por isso eu relembrei-a dos SEUS anos de trabalho, dos sacrifícios pessoais que fez, do esforço em continuar quando seria mais fácil desistir.

1.JPG

Ficou claramente embaraçada, mas também emocionada.

Já repararam como acreditamos mais facilmente nos insultos, que nos elogios?

 

 

30 dias de autocuidado

27.11.20

Nada como uns dias doente para nos relembrar de ter cuidado com a nossa saúde (especialmente agora).

Tropecei numa deliciosa lista de "30-day at-home self-care" (calendário de 30 dias de autocuidado em casa) e decidi que a vou incorporar na minha rotina diária. 

30-day-at-home-self-care-calendar-OurMindfulLife.c

Mas em vez de seguir o calendário diariamente, vou escolher uma actividade por dia, até porque não faço ideia como "fazer um novo amigo" em plena pandemia. Talvez um amigo imaginário?

 

As actividades sugeridas têm como base 4 pilares: saúde, nutrir a mente, actividade física, ligações sociais.

 

Uma lista, parece-me uma boa estratégia para manter uma rotina mais estruturada, que é o que necessito, neste momento.

 

E tudo, claro, em casa e sem gastar dinheiro.

Produtividade e organização em tempos COVID

20.11.20

Estou numa segunda fase de teletrabalho e isso significa que a procrastinação se está a instalar.

Na verdade a falta de produtividade também é provocada pelas circunstâncias: há vários serviços com quem trabalho, que estão a funcionar mais lentamente e a adiar tarefas não urgentes.

 

Infelizmente, a motivação e concentração para fazer deep work falta, especialmente porque passo grande parte do dia com a minha mãe, sempre com o televisor ligado no fundo.

 

Mas como a motivação não é condição para o trabalho, estou a planificar os meus dias por temas e quando não tenho trabalho, dedico-me a ouvir conferências online ou a ler sobre esse tema. Em suma, a fazer o trabalho que nunca tinha tempo para fazer antes.

 

Há algumas pequenas estratégias que estou a utilizar:

 

1.

No final da semana, faço um apanhado das tarefas/projectos e faço uma súmula para enviar ao meu superior hierárquico.

 

2.

Criei uma subpasta na minha caixa de correio, denominada "processado".

Especialmente no teletrabalho, as mensagens de email ou são coisas que tenho de tratar ou arquivar:

- pasta de entrada (inbox): o que tenho de fazer ou aguardo que alguém dê seguimento;

- sub pasta "processado": o que está tratado.

 

Assim, apenas ficam visíveis as tarefas a tratar. Porém, a qualquer momento, tenho todos os restantes emails na pasta de "processado", para aceder, caso necessário.

Basta arrastar as mensagens de uma divisória para outra.

 

 

Paralelamente, alguns eventos online para desenvolvimento pessoal e para dar alguma estrutura aos dias.

 

20 Novembro, 18h00

Notion Office Hours: Mindful Workflows (Crowdcast)

 

20 Novembro, 22h00

The Science of Motivation - Scott Young (YouTube)

 

Mas não esquecendo o lazer:

 

21 de Novembro, 21H00

TeatroNacional21 (Facebook)

Outubro em revista

Cinema em casa

08.11.20

3.JPG

Manter uma espécie de diário visual*, do cinema e televisão que vou vendo, permite-me uma sensação de satisfação, que dificilmente teria, sem esse lembrete.

Qual de nós consegue fazer balanços positivos do que viu na televisão, em determinado período? Já uma lista, dá-nos uma completude.

 

Todos estes filmes foram vistos a partir da minha estante, emprestados ou vistos na televisão de sinal aberto. Alguns vistos pela primeira vez, outros revisitados.

 

Como já disse várias vezes, eu costumo ir gravando os filmes que me interessam (o meu aparelho de TDT tem essa opção) e depois vejo, num melhor horário e melhor dia.  Também uso a RTP Play, para filmes e séries.

Alguns clássicos, que sei que irei ver e rever, compro em lojas solidárias a 0.50 € -1.00 €.

 

Mesmo com o entretenimento é possível poupar dinheiro.

E como poderão ver pela minha selecção, poupança não é sinónimo de pouca qualidade.

 

* Este registo foi criado em Notion.

Coisas preferidas

30.10.20

1 - Onde posso investir 10.000 € e ganhar 60 € por mês?

 

2 - Um excelente texto sobre a importância de ter um fundo de emergência em tempos de crise.

 

3 - Uma receita, que é mais uma inspiração para fazer marmelada sem açúcar.

 

4 - A conta de Instagram da Joana Roque.

 

5 - Os verdadeiros "heróis do mar" que fazem a conta de Instagram do Guardião do Oceano.

 

6 - O retorno à blogosfera da A Vida da Gorduchita.

 

7 - O grupo de Facebook Bimby sem limites. (Obrigada pela dica!)

Passear com uma doente de risco, com mobilidade reduzida e em tempos de pandemia

Ufff.....

29.10.20

IMG_20201029_163414_692.jpg

 

Com a pandemia, eu não tenho levado a mamã a passeios longos, como gostavamos de fazer. Sair de casa (Gaia) pela manhã, e ir pela beira rio até ao Pinhão.
 
Se o piquenique seria fácil, confiar na acessibilidade a uma casa de banho, já não.
 
 
Hoje fomos até à barragem de Lever-Crestuma. Pelo caminho vimos 2 a 3 vendedores/as de beira de estrada.
 
Infelizmente, dei semelhante volta que depois já não voltei pela EN222. :)
 
Se tudo correr bem, na minha próxima folga, vamos seguir pela EN222 só para fazer compras à beira da estrada.
 
Doidas? 😜
Provavelmente, mas a mamã Descontos está a precisar de arejar, especialmente agora, com o Inverno à porta.
 
Fazer compras na EN222, num dia com sol, parece-me muito mais interessante que ir para dentro de um supermercado.
 
 
Outros "passeios":
- da foz de Gaia à foz do Porto e aí parar para comer castanhas assadas (sem sair do carro)
- ir para a foz de Gaia com uma garrafa térmica com chá e pão, para um lanche à beira-mar (sem sair do carro)
 
Aceitam-se sugestões.

És a Bimby que tens...

17.10.20
Estranhamente hoje fui acusada de não ser solidária porque comprava em lojas solidárias.
 
A pessoa em questão via essas lojas como destinadas a pessoas sem posses.
Eu discordo e as instituições também. Aliás, à entrada de uma onde vou, há um enorme cartaz a dizer "a sua comprar apoia os nossos projectos...".
 
 
Interpretações à parte, porque sinceramente acho que o tópico é outro:
 
 
Há ANOS que publico sobre o que compro, quanto custou, o que visto, seja de uma loja solidária ou de roupa que recolho junto a contentores de lixo.
 
NUNCA ninguém questionou essas aquisições como falta de solidariedade. E nunca me acusaram de, ao fazê-lo, estar a gabar-me.
 
 
Eu compreendo porquê. E para mim, esse é o assunto mais importante.
 
 
A razão pela qual ninguém viu esses post como gabarolice é porque o comportamento ou o item não era valorizado.
 
Ainda há muito estigma à volta de comprar coisas usadas, porque é associado a falta de dinheiro e falta de higiene.
 
 
Mas, um item de alto valor já é tido como desejável e valorizado.
 
Uma Bimby, pelo seu preço, é quase um símbolo de status social: se tens Bimby, tens dinheiro e isso (infelizmente) é valorizado socialmente.
 
És a Bimby que tens...
 
 
 
Eu continuo a ser a mesma.
 
Mas depois deste triste episódio, sinto-me a pregar aos peixes. Há anos que digo: comprem nas lojas solidárias, vistam-se das lojas solidárias, doem a lojas solidárias.
 
 
Antes,  era "coisa de pobre" porque isso é "o que não presta", mas agora também querem "o melhor".
 
IMG_20201007_134327_938.jpg
 
Comprei este caderno há dias, tem algumas páginas escritas e rasgadas, mas ainda está bastante funcional. Até já o encadernei com uma capa de uma revista. É tamanho A5.
 
Tem umas páginas escritas em latim, que não compreendo, mas acho curioso e até decorativo. Bónus de curiosidade: é do Carrefour.
 
 
Alguém quer comprar? Vendo ao mesmo preço a que comprei na loja: 0.50€. 
Longe de mim estar a tirar a vez a "alguma criança".
 

 

 

A minha primeira opção é comprar usado, de modo a diminuir o meu impacto ambiental. De preferência, faço-o em lojas solidárias, almejando ajudar as instutuições de solidariedade social.

 

Faço-o há anos, divulgo-o há anos, encorajo há anos. Se não ouviram e só arrebitaram as orelhas quando leram Bimby, então é melhor começar a prestar mais atenção porque não perceberam, de todo, de que tratam os meus blogs.

 

1.JPG