Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Poupar em despesas de telemóvel

Descontos, 06.02.13

O telemóvel, se não temos cuidado poderá tornar-se numa despesa elevada. Numa fase em que o utilizada profissionalmente, chegava a gastar €20.00/mês em cada um (possuía dois) e isto incluindo a poupança de ter duas redes distintas para maximizar a poupança.

 

Mas essas contas são do passado. Actualmente gasto menos de €10.00/mês, mas quando faço uma chamada mais longa fora da rede o seu impacto nos custos é notório.

 

Este mês foi bastante produtivo na poupança de telemóvel e na obtenção de fontes alternativas de financiamento para o mesmo. Por exemplo:

- utilizei os pontos atribuídos pela minha operadora para os converter em chamadas (possuo pontos pela conta de telemóvel e pela conta de ADSL+telefone);

- utilizei a promoção da Planta para obter €10.00 de carregamento adicional.

 

 

Com estes dois actos obtive €10.00 + 2.50 para o meu telemóvel e €5.00 para o telemóvel da minha mãe.

 

Optar por trocar pontos por minutos de comunicações em detrimento de os acumular para outro telemóvel é para mim uma estratégia de poupança. 

A dura realidade

Descontos, 06.02.13
A dura realidade é que custa poupar. É fácil, muito fácil comprar isto ou aquilo, em especial pequenos valores que depois se somam em grandes valores no final do mês. Poupar é custoso, implica organização e determinação.


Ando desorganizada por falta de sistema de registo das despesas. Havia instalado uma aplicação informática que estava a funcionar lindamente até eu descobrir que afinal era uma versão de teste de 30 dias. Pagar por ela, está fora de questão.


Mais, percebi que esse registo é importante para me manter consciente de quanto gasto e de quanto tenho ainda disponível. Por isso, passei a fazer o registo na agenda, até arranjar algo que me satisfaça mais (estou a conciliar-me com o facto que sou uma pessoa que prefere papel).


Este mês, está a ser um desastre: electricidade + obrigações fiscais. Apenas duas despesas que são quase 50% do meu salário. Assim, este mês nada poupo, o que é desanimador.


A nota positiva é que, porque criei o fundo de emergência, tenho sempre como fazer face a despesas inesperadas (até certo valor, claro).


Assim, ganha renovada importância a implementação do sistema de registo de gastos. Todos os gastos. 

Ida ao cinema: 5 pessoas = €3.70

Descontos, 05.02.13

Não estou a brincar, foi mesmo o que pagamos, se não contar com 1 garrafa de água que veio de casa, 2 pacotinhos de sumo e uns saquinhos de plástico. 

 

Em grandes centros comerciais têm sido disponibilizados eventos para famílias, nomeadamente sessões gratuitas de cinema infantil. Foi esse o caso.  Na data prevista levantei 5 bilhetes de cinema gratuitos. Depois, comprámos 1 pacote de pipocas grande (€3.70) que dividimos pelas 3 crianças (levei os sacos de plástico de casa).

 

As bebidas foram levadas de casa: 1 garrafa de água e sumos Um Bongo porque a estação não se compadece de bebidas geladas como as que saem das máquinas.

 

Com tanta poupança ainda me pude dar ao luxo de dar €1.00 para cada criança poder escolher um "ovo" com brinde nas máquinas automáticas.

 

Se é como eu e gosta de pipocas no cinema, não se prive. Mas optar por combinar um saco de pipocas com uma pequena garrafa de água ou um pacote de sumo levado de casa, poderá resultar em significativas poupanças.


Se possui um cartão que possui ofertas (Zon Card, Fast Galp, etc...), aproveite-as.

Conforto do gastar vs. liberdade da ausência de dívida

Descontos, 05.02.13

Uma das minhas leituras preferidas foi o texto da Miranda Marquit, no blog Being Frugal sobre o desconforto de ter de sacrificar algumas coisas, quando decidimos poupar para eliminar a dívida.

No fundo ela reflecte sobre o nível de conforto que podemos ter com as nossas dívidas e de que forma isso poderá influenciar a nossa decisão de nos sacrificarmos mais ou menos com a redução de gastos, de modo a poder eliminar a dívida num tempo mais rápido.
Quando comecei a poupar, tinha uma dívida de mais de €2.000 num crédito pessoal (obras da casa) e mais de €2.000 em cartões de crédito (gastos pessoais e até para cobrir despesas mensais). Do outro lado, um salário modesto a recibos verdes. 
Feitas as contas, o meu nível de conforto com as minhas dívidas era muito baixo, aliás, poderia dizer que tinha um alto nível de desconforto. Por isso, decidi, de forma intencional cortar nos gastos e intencionalmente poupar com o objectivo de reduzir essa dívida. Foi assim que poupei o suficiente para pagar ambos os cartões de créditos e pagar a prestação mensal do crédito de obras. 
Nesse momento, passei a sentir que esse desconforto desapareceu e que apesar de não estar confortável com a minha dívida do crédito de obras, essa é estável e não precisa de uma abordagem muito radical. 
Não quero com isso dizer que passei a não ter como objectivo eliminá-la, porém, é mais urgente reforçar o fundo de emergência para fazer face a uma situação de emergência (por exemplo não me voltar a endividar para fazer face a despesas com a manutenção da casa ou carro) ou um desemprego. 
O mais importante, para mim, foi a resolução de intencionalmente passar a eliminar a dívida, já que o fiz num período em que as minhas finanças pessoais tinham menos rendimentos.

Extreme Couponing - Época 1

Descontos, 02.02.13

A primeira série do Extreme Couponing. Onde começou a aventura...


Basta assistir a um episódio e facilmente fica claro que criar expectativas com base nestes programas é completamente irrealista. Com efeito, quem acompanha as discussões à volta destes programas, nos EUA, sabe perfeitamente que são irrealistas até os EUA. A pior das notícias passa pela falsificação de vales de desconto; acusação de que não se livrou a primeira protagonista deste 1º episódio.

 

Todavia, foi ao conhecer este programa (via youtube) que passei a fazer stocks e a ver os vales de desconto e promoções de uma forma completamente diferente.

 

Os links para todos os episódios (completos mas sem legendas) da 1ª época:


Episódio 1
Episódio 2
Episódio 3
Episódio 4
Episódio 5
Episódio 6
Episódio 7
Episódio 8
Episódio 9
Episódio 10
Episódio 11
Episódio 12

Como cortar as franjas

Descontos, 01.02.13

É incrível como cortar as "repas" pode tornar-se um acto de libertação, de afirmação e traduzir uma linha editorial. Eu passo a explicar:

 

EU FIZ

 

Consegui fazer algo novo e que sempre temi arriscar. Consegui fazer algo que costumo pagar a outras pessoas para me prestar o serviço e como tal passei a ser auto-suficiente (se precisar, sei que a única coisa entre mim e um corte de cabelo grátis é um vídeo no YouTube; pode não ser um bom corte de cabelo, mas é possível).

 

Essa pequena vitória, deu-me tal satisfação pessoal que não resisti a ir a casa dos meus pais e partilhar com a minha mãe o meu sucesso (sabia que ela iria apreciar o acto). Depois, escrevi à Inês (uma leitora do blog com quem costumo discutir uma versão mais hard core da poupança e que sei que também iria compreender a importância do gesto).

 

 

 EU SÓ POUPEI € 12.00



É verdade que poderia ter ido ao cabeleireiro. Custar-me-ia €12.00. Mas a verdade é que também é mentira que todas as mulheres gostam de cabeleireiro. Eu odeio. Na última visita cortaram pouco as franjas e a visibilidade estava a ficar condicionada. Tinham de ir e a ideia de perder 2 horas no acto deixava-me fula.

 

Eu só poupei €12.00. Não foi muito, mas poupei. Mas é igualmente importante dizer o que não poupei. Eu não poupei €12.00 x 4 = €48.00/mês ou €576.00/ano....UAUUUU!!! [Agora imaginem assobios e luzes a picar à volta dos números].

 

Eu não poupei esses valores porque não os gasto. Se for 1 vez cada 2 meses é muito.

 

Isto para dizer que não esperem encontrar aqui textos a anunciar poupança de centenas de euros em dias ou como ficar milionário na internet. Eu não sei fazer isso. Eu estou a aprender a poupar um pouco em cada gasto; a maximizar o pouco que recebo; a poupar para fundos de emergência para saúde, desemprego, manutenção da casa ou do carro. A poupar mas com objectivos.

 

TAMBÉM CONSEGUIRÁ!


Eu não sou criativa, genial ou omnisciente. Eu sou uma fascinada pela democratização da partilha na internet, pela criatividade, genialidade e sapiência que por ela prolifera.

 

Por isso, aqui partilho sempre as ferramentas. Se o fiz (ainda que com mera inspiração) com base do trabalho de outrem, aqui encontrarão os créditos e as instruções.

 

A inspiração para a audácia de cortar o meu cabelo veio da Anna (And then she saved) que até fez uma segunda versão inspirada na Zooey Deschanel. 

 

CORTAR AS FRANJAS


Confesso que apenas utilizei  uma pequena tesoura de costura, nem pente por isso utilizei a escova.

 

Utilizei como principal referência o vídeo da AngelaMinjiKim que poderão ver aqui.

 

Deste vídeo retirei 3 dicas importantes: cortar com o cabelo seco; simplicidade a apanhar o cabelo; o método de utilizar a tesoura. 

 

Da loveinsideoutmaui retirei uma outra dica (que também vi noutras fontes): para as franjas laterais (diz-se assim?) puxa-se o cabelo para o lado oposto ao decaimento que se pretende para a franja [vejam por favor o minuto 1:19]
Na verdade  foi muito fácil.

Diário das minhas finanças pessoais

Descontos, 01.02.13

Este blog é o diário das minhas finanças pessoais. É o meu percurso de autoresponsabilização e motivação. Espero que, a minha caminhada possa ser o impulso para o percurso de outras/os.

 

É também para pessoas como a Lise que tendo descoberto o meu alter-ego foi dando o incentivo e o necessário puxão de orelhas para aqui me assumir:

 

Olá! Eu conheci este blog logo no primeiro post. Li cada uma das publicações e aprendi com elas. Coloquei-o nos meus favoritos e vinha cá todos os dias, até mais do que uma vez, à espera de algo novo. Depois houve um retomar da actividade e eu fiquei toda contente mas...voltou a parar e desde novembro que não ha novidades.. :( 
É uma pena, porque o blog estava tao bom, tão útil, tão necessário! Adoro a forma como escreve, adoro o que escreve e adoro o que ensina. 
Por favor, volte a escrever e a ensinar aqueles que como eu, continuam a passar por cá na expectativa de encontrar novas publicações. Beijinho Grande


 

Cara L.,

 

aqui estou, coloco-me a jeito para mais de 8000 pessoas a puxar as orelhas. Porque não desistiu de mim, eu também não.

Pág. 4/4