Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

O meu primeiro contacto com a racionalidade das finanças pessoais

Descontos, 04.04.13

A primeira vez que pensei que teria de pensar na forma como gastava dinheiro foi a ver a Oprah e um programa que trabalhava com os casais métodos para eliminar dívida. 

 

O programa começou por pagar dívidas, dando a estas pessoas uma segunda oportunidade. Porém, parece que a apresentadora terá sentido que isso não seria nem suficiente nem pedagógico e foi aí que começou a vertente "Debt Diet" que no fundo se traduz em fazer dieta, no que respeita às finanças pessoais com vista ao pagamento da dívida pessoal.

 

Recordo-me que a primeira coisa que fiz foi testar os meus rendimentos e gastos face à planificação da guru das finanças pessoais: Suzie Orman. De acordo com esta, os nossos rendimentos deveriam dividir-se da seguinte forma:

 

35% Habitação

Despesas com hipoteca, seguros, impostos,  manutenção e gastos com consumos como água, luz, telefone, gás,...

 

25% Custos de vida

Despesas com alimentação, limpeza, saúde, entretenimento (ex: cinema, jantar fora, férias...), vestuário e presentes.

 

15% Transportes

Despesas com combustível, seguros, impostos, manutenção, estacionamento, multas, passes, bilhetes.

 

15% Dívida

Despesas com pagamento de créditos pessoais e/ou cartões de crédito.

 

10%

Poupanças

 

 

O meu problema sempre foi o facto de os meus "rendimentos" terem uma forte componente de obrigações legais: segurança social e impostos. Com efeito, a contabilização desses encargos corresponde a 35% do meu "salário" inicial. 

 

Com o meu magro salário, este gráfico é incomportável. Porém, é um bom excelente de partida. Suspeito que, para a generalidades das pessoas, as despesas com habitação consistam em bastante mais qu os 35% de rendimentos disponíveis.

 

 

Exemplo para €500/mês: 

 

Habitação35%175 €
Custos de vida25%125 €
Transportes15%75 €
Dívida15%75 €
Poupanças10%50 €

 

O mês de Março termina com um pedido de ajuda

Descontos, 03.04.13

Adiei a publicação porque estava com esperança de chagar a alguma conclusão. Não cheguei. Como referi anteriormente, as contas deste mês estão completamente enviezadas, nem o que gastei reflecte os meus gastos com alimentação e bens de primeira linha para a casa, nem o saldo em cartão reflecte real poupança.

 

Tipo de gastoValor facturadoValor desconto em cartão Continente (obtido com essa conta)Vales fornecedorReembolsoTotal descontoTOTAL (valor factura - desconto)Valor pago CCPAGO com dinheiro  (total - pago com cartão Continente)
TOTAIS€ 393,40€256.40€27.10€ 19.86€297.86€346.44€ 253.73€ 110.71

 

Saldo em cartão: €61.70 

 

 

 

Ou seja, brinquedos a 100% misturados com mercearias e pagos com esse crédito. Isso não reflecte absolutamente nada.

 

Assim, impõe-se uma alteração ao meu ficheiro de registo que andava adiada à muito. Ignorar a fase de pagamento e imputar os valores de desconto em cartão ao preço inicial do produto. Mais, começar a separar os produtos dentro do talão, de acordo com o tipo de produto (percebem agora porque andava a adiar?).

 

É que para mim, é completamente irrelevante a "percentagem de poupança". Não a considero realista porque ao preço inicial não compraria o produto. 

 

O pedido de ajuda: têm alguma sugestão que melhore o registo?

Pág. 2/2