Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Bombeiros Voluntários Portugueses

Descontos, 31.08.13

Ao contrário do que eu acreditei, os Bombeiros Voluntários parecem ter esperança no movimento de portugueses. Encontrei alguns na entrada, à nossa espera.

 

É muito triste passar pelas bandeiras a meia haste, mas muito pior sabê-los lá, sentados à nossa espera, na esperança que - pelo menos hoje, simbolicamente hoje - sejamos capazes de reconhecer o quanto fazem todos os dias do ano. 

 

Reinventar uma camisola básica com aplique

Descontos, 25.08.13

Há quem diga que não tem jeito, eu acho que é falta de prática. Há quem diga que não tem os materiais e eu recomendo que se fiquem pelos projectos que requeiram o menor investimento possível. 

 

Hoje decidi pegar na máquina de costura (que não domino, como irão perceber) para experimentar fazer um aplique numa tshirt básica. Comecei por experimentar com pedaços de tecidos velhos. 

 

Notam as linhas tortas? Também não fica muito melhor em linhas rectas. Estou a aprender. Este teste vai ser lavado alguma vezes para confirmar se a malha não desfia nas lavagens. Posteriormente actualizarei o post.

 

 

Para este projecto escolhi um coração. Utilizei um desenho da internet (pesquisa no google imagens "heart pattern") que transferi para papel vegetal da cozinha. 

 

Na frente da tshirt coloquei o desenho e na parte de trás o tecido. Prendi ambos com alfinentes à tshirt. 

 

 

 

Costurei por cima do papel, seguindo o desenho. Como não ainda estou a aprender, uma boa parte do desenho foi costurada rodando manualmente a agulha. Para contornos, levantava o pé quando a agulha estava enfiada no tecido (para não sair do sítio), rodava-o um pouco, voltava a descer o pé e continuava a costurar.

 

 

O verso:

 

 

Ao recortar o coração, convém deixar uma margem com cerca de 1 cm. em relação à linha de costura. 

 

A frente, depois de tirar o papel (sai facilmente) e recortar o interior do coração:

 

 

 

Uma alternativa é costurar o aplique com ponto zig zag, prendendo a margem. Confesso que gosto mais da versão inicial. Ainda assim, aqui fica a segunda versão:

 

 

 

No Google Imagens, se procurarem por "reverse applique" vão encontrar centenas de ideias com este tipo de técnica. Aliás, é uma técnica muito útil para dar nova vida a uma peça de vestuário básica (por exemplo para tapar publicidade) ou até para remendar um rasgão ou nódoa.

Os meus saldos

Descontos, 22.08.13

Confesso, os gastos andam descontrolados. 

 

Decidi fazer uma pausa e tirar férias. Não, não fui de viagem, para um hotel ou passeei pelo país. Eu fui aos saldos e comprei material escolar. Decidi que também não ia fazer o somatório dos valores gastos. Achei que merecia uma pausa (?).

 

Esta semana já não são saldos, são refugos de saldos com itens a €1.00 ou menos e acho um desperdício não aproveitar para comprar umas pecinhas de roupa para as sobrinhas (x3).

 

A tia, como adiou a tarefa de minimizar o guarda roupa, não teve direito a nadica! Está de castigo. 

 

Mas entre meias calça (para o inverno) a €0.67 e sweats da Minnie a €5.00... é difícil resistir.

 

Mas cheguei à conclusão que, procurando ser prática, acabei por tornar-me a tia que compra cuecas e meias. Crise a quanto obrigas.

 

Decidi colocar €45.00 para orçamento de saldos (€15/pessoa). O plano é comprar as peças com a melhor qualidade/preço, sendo que irei privilegiar peças que possam ser utilizadas na próxima estação, quando surjam.

 

Depois conto o que consegui comprar. 

 

E os vossos saldos? Que fantásticas oportunidades conseguiram?

Poupar com material escolar - 1

Descontos, 21.08.13

Como já tenho referido, no que se refere a poupança em material escolar, há estratégias que adopto anualmente:

 

Não levo as crianças às compras

 

As crianças compram com os olhos nas cores e nos desenhos; se os adultos têm de comprar com os olhos na etiqueta do preço, levar as crianças a estas compras (especialmente em mochilas) é sujeitar-se a uma pressão emocional desnecessária. 

 

Os folhetos já são suficientemente extensos para poder seleccionar alguns produtos com base no preço e depois deixar à criança a escolha, dentro do orçamento. 

 

Material que se compra no ano anterior

 

Eu faço stock de algum material escolar com promoção. Desta forma, no início das aulas tenho apenas de comprar algum material mais específico, que algum professor necessite.

 

Naturalmente as necessidades variam muito consoante o ano escolar, mas a experiência vai-nos dando essa informação.


O que aprendi é que Outubro/Novembro e Junho/Julho são os meses em que encontro maior e mais económica variedade de material escolar como mochilas, estojos, cadernos e capas.

 

Alguns exemplos das minhas compras:

 

 

Mochila 1: €3.00

Mochila 2: €1.00

 

É perfeitamente possível comprar mochilas com trolley entre os €5.00 - €10.00.

 

 

capas de arquivo de lomba grossa a € 0.50

cadernos A4 com microperfuração (com separação para disciplinas) a € 1.00

cadernos A4 agrafados a €0.25

cadernos A5 a € 0.25 (capa dura e encadernação espiral)

estojos a € 0.50

estojos carregados (com material) €3.00 a €5.00


Se, por exemplo encontrou um estojo com material em que falta um ou dois marcadores, considere se não compensará comprar um pequeno conjunto de marcadores, para substituir.


 

"Investir" de acordo com necessidade reais



Quando planeio as minhas compras há algumas regras que vou seguindo, que são um misto de senso comum e experiência de anos anteriores:


O material é necessário durante todo o ano: se existe uma forte promoção em cola, não comprem apenas um tubo porque irão necessitar de comprar mais até ao final do ano. As promoções devem ser aproveitadas.


Há material em que compensa pensar na qualidade do produto. Dou como exemplo os marcadores: na escola primária podem comprar qualquer material, mas se os marcadores "chiam" e "secam" depois de meia dúvida de utilizações, então "o barato torna-se caro". É preferível fazer uso de uma boa promoção numa boa marca. O mesmo exemplo para os lápis de cor: não ficarão mais baratos se estiverem constantemente a partir, inclusivé quando são afiados.


Só conhece se testar. Utilizando os exemplos anteriores, só conhecerá os produtos se os testar. Utilizando o mesmo exemplo, porque não (quando o orçamento o permitir) comprar um conjunto de marcadores ou lápis da marca branca para comparar a sua qualidade com outras marcas? Poderá fazer isso durante o ano, em actividades de lazer. 

 

A minha experiência pessoal: compro marcadores Giotto para a escola (no 5º ano foi solicitado pela escola Giotto ou Stadler) e depois uma marca branca para as pinturas de desenhos em casa. 

 

Um pequeno truque: como o material escolar fica na escola, compro apenas o mínimo (12 marcadores) e uma caixa maior para trabalhos de casa/lazer (24 ou 36, dependendo da promoção). Tenho notado que há marcadores, que são as cores preferidas da miudagem, que nunca sobrevivem o ano completo. Ao introduzir maior variação da mesma cor (por exemplo vários tons de azul) consigo evitar comprar novo pack de marcadores.

 

Reutilizar. No final do ano escolar, o material escolar é guardado (como por exemplo compassos e esquadros). Apesar de poder ser utilizado durante as férias em qualquer altura, considero que o acto de verificar o estado do material e reservá-lo para o ano seguinte é pedagógico.


O material de pintura, como por exemplo marcadores e lápis de cor, passam para a caixa de material para os trabalho em casa. E isto não só para actividades de lazer, porque poderá fazer parte do material escolar que é utilizado em trabalhos de casa.

 

Há material que é óbvio e recorrente. Será sempre necessário ter esferográficas, lápis, borrachas, cola, afias. Por isso, um olho atento para as promoções durante o ano, poderá revelar-se uma poupança significativa no início do ano escolar.

Poupar com comunicações - ligue grátis

Descontos, 12.08.13

Se recorrerem às Páginas Amarelas (www.pai.pt) para procurar um contacto, é possível fazer chamadas gratuitas sem a necessidade de qualquer tipo de registo.

 

Basta clicar no botão que diz "ligue grátis" e inserir o número de telefone que desejam utilizar na ligação. Aguardam que o telefone toque e atendem a chamada.

 

Como funciona até com telemóveis, poderá ser uma excelente ferramenta para poupar em comunicações.

 

Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Descontos, 04.08.13

Associação Portuguesa de Famílias Numerosas é uma instituição que tem por missão o apoio a famílias numerosas (com 3 ou mais filhos, podendo a inscrição ocorrer ainda durante a gravidez do terceiro filho). 

 

Os seus associados pagam uma quota anual podendo beneficiar das parcerias da instituição, entre outros apoios: descontos em farmácias, lojas, hotelaria, serviços diversos, seguros,....

 

Outros apoios a famílias numerosas (não dependentes da condição de associado):

 

Tarifário Familiar da Água

 

Programa das Famílias Numerosas do Intermarché (não dependente apenas se possuir um cartão municipal de famílias numerosas)

 

- Cartão Municipal de Famílias Numerosas: Câmara de CoimbraCâmara de Vila RealCâmara de Tavira e Câmara de Póvoa do Lanhoso

 

 

Quando da inscrição no site Para Mim, o Mário (um generoso contribuidor em várias discussões salutares deste espaço) interessou-se pela associação e gostaria de alargar o debate:

 

Recebi um e-mail a convidar à inscrição gratuíta por uma ano (no valor de 35€). Acedi pela curiosidade de ver como funcionava e que efeitos teria no meu caso.

Com as "boas vindas" vieram vários vales Para Mim entre outros, e-mails com aconselhamento, propostas de férias a baixo custo, etc.


O efeito maior foi na chamada de atenção para a tarifa da água... um assunto tratado há anos mas nunca terminado pela companhia da água da minha zona. Tal foi retomado e esta semana fomos ressarcidos no valor de 160€ por cobranças em excesso.! 


Então, pensei que apesar de não viver "no centro do mundo" e por isso não usufruir da maioria das atividades promovidas, já fui beneficiado por pertencer a esta associação.

 

No final do ano farei o balanço e verei se vou continuar a pertencer ou não, mas para já, não tenho nada a perder.

 

Aconselho então, apesar da minha parca experiência, a testarem se convosco também funciona...

 

Muito obrigado,

 

Mário

Conheça a sua máquina de lavar louça (intimamente)

Descontos, 02.08.13

Vou ser honesta, nunca prestei muita atenção à minha máquina de lavar louça. Com efeito, só recentemente percebi que era o único electrodoméstico para o qual não possuía o manual de instruções. Ela tem quase 10 anos e desde o início que ando para ver a diferença entre os programas.

 

Pois bem, a necessidade aguça o engenho (e afasta a preguiça). Depois da limpeza geral que ilustrei aqui, fui à procura do manual na internet e finalmente descobri que sou uma idiota.

 

Percebi que o programa de 30 minutos foi desenhado para "sujidade fresca" e que há programas em que a maior diferença em relação aos restantes programas passa pela inexistência de pré-lavagem e de secagem.

 

 

Como devem imaginar, o custo energético de um programa com secagem será bastante diferente de um programa sem secagem. Precisávamos mesmo de secar a louça? A minha experiência é que o calor acumulado dentro da máquina (afinal de contas do programa de 30 minutos lava a 60ºC) é mais que suficiente para isso.

 

 

Obviamente passarei a utilizar de modo mais frequente o programa de 30 minutos, em relação aos restantes. 

 

E desse lado? Conhecem a vossa máquina de lavar louça?

 

Pág. 1/2