Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

É possível fazer as compras do supermercado com €100.00/mês? – Parte 4

Descontos, 26.11.13

A terceira coisa que aprendi: planear refeições


Ao combinar a gestão de um stock (de produtos comprados em promoções) com refeições planeadas, poderão reduzir o vosso custo por refeição de forma considerável, atrever-me-ia a dizer que o poderão reduzir a metade.

 

Se forem comprando os vossos itens alimentares com promoções de "Leve 2, Pague 1" ou "50% desconto", é fácil de perceber que o custo por refeição decrescerá. Porém, nem sempre o que está em promoção é a melhor opção para uma refeição económica e nutritiva. Há que usar o bom senso.

 

Por exemplo, dificilmente encontrará um nutricionista que não recomende que a refeição deverá começar por uma sopa, as doses do restante deverão ser mais reduzidas do que é praticado e terminar com uma peça de fruta.

 

Recomendo as refeições sugeridas por um projecto denominado Comer Barato e Bem aqui (página da Associação Portuguesa de Nutricionistas).

 

Recentemente adoptei a estratégia de adoptar um tipo de refeição por dia da semana que me permite:

- não ter de me preocupar com o que vou preparar nessa semana (ou até nas seguintes);

- antecipar o que tenho de retirar do congelador nessa manhã;

- utilizar os produtos comprei antecipadamente (stock) sem a preocupação de repetir refeições;

- evitar repetir sempre as mesmas refeições (as preferidas) com impacto na variedade de nutrientes que consumo;

- evitar repetir sempre as mesmas refeições por ter de gastar o stock;

- evitar ter muito trabalho a planear as refeições.

 

Assim, divido o calendário semanal com: 

  • dia sandes + sopa ou vegetariano
  • dia carne branca 1 + arroz
  • dia peixe ultracongelado
  • dia conservas 
  • dia carne branca 2 + batata
  • dia peixe fresco grelhado
  • dia livre

É muito simples e basta ter 4 receitas de cada tipo para não ter de repetir a refeição no mesmo mês.

 

E para demonstrar o quanto se pode tornar económico, eu comprei peixe de 4 qualidades, para 10 porções, por €4.80 (ver aqui). Planeio consumi-lo nos dois dias de peixe, durante as próximas semanas, variando a qualidade e como é cozinhado.

 

No que respeita a conservas como, uma vez por semana, atum natural. Forma preferida? Acompanhado de batatas cozidas ou macedónia de legumes ou feijão frade. Se utilizam também conservas de carne, basta alternar as de carne com as de peixe.


Compro o que está ao melhor preço, planeio com o que está nos armários/frigorífico e os custos vão diminuindo. 

É possível fazer as compras do supermercado com €100.00/mês? – Parte 3

Descontos, 25.11.13

A segunda coisa que aprendi: compras inteligentes

 

O que quero dizer com compras inteligentes? Fazer render cada cêntimo. A minha estratégica começou (como muitas/os de vós) com o programa Extreme Couponing que descobri no You Tube há cerca de 2-3 anos. Foi aí que descobri a estratégia de comprar em maior quantidade, quando o preço está mais baixo, permitindo que, através da gestão do stock/inventário, APENAS COMPRAR QUANDO ESTÁ O PREÇO MAIS BAIXO. 

 

Em suma, a ideia é ter sempre o produto disponível até á próxima promoção, que vos permita atingir um preço ideal para esse produto (que varia com marca e até época do ano). Desta forma, o valor que gastam em determinado produto tem a potencialidade de descer consideravelmente. O vosso inventário deverá ser adequado ao tempo de validade do produto, as vossas possibilidades de "investir" num inventário a longo prazo, espaço, etc...

 

Aqui (mantendo a coerência com o título) é importante lembrar que existem muitas e frequentes promoções, permitindo não ter de comprar quantidades muito elevadas de cada produto.

 

É perfeitamente possível criar um stock apenas investindo num item por mês. Ou se tem apenas um valor disponível de €10.00 mensais para criar um stock, faça-o porque é possível e o que irá poupar, irá permitir reduzir progressivamente a despesa mensal. Poderá aproveitar esses €10.00 para comprar alguns produtos que, apesar de não necessitar no imediato, estão com uma excelente promoção a que pode aditar um vale de desconto.

 

Importa lembrar que o princípio de comprar antecipadamente a um preço mais baixo não está limitado a bens de higiene e limpeza, também se aplicando (embora com as necessárias adaptações a bens alimentares).

 

E porque não fazer pequenos sacrifícios para libertar algum dinheiro para poder investir numa promoção? Em vez de comprar a pasta de dentes de €3.50 que está a precisar no imediato, compre a de €0.75 da marca branca. Os dentes não irão apodrecer por esse facto e até poderá descobrir que o produto é igualmente eficaz. Permita-se guardar a diferença para "investir" noutra promoção e aguardar melhor preço para o seu produto preferido.


Daqui a nada perceberá que as suas compras habituais estão reduzidas aos frescos e uma ocasional promoção mais forte.

Paguei em dinheiro o conserto do meu carro e aprendi a lição

Descontos, 22.11.13

Recordam-se da minha lista de tarefas relacionadas com a manutenção do carro? Ficaram adiadas. Resultado: um conserto de €550 que poderia ter sido evitado se tivesse sido mais pró-activa.

 

Acresce a isso o facto de ser neste mês que pago o seguro do carro. E a conta da luz já chegou... 

 

Tudo combinado é um valor superior ao meu pequeno fundo de emergência de €1000. Foi um momento um pouco assustador, constatar que tinha de fazer as contas e perceber se não seria necessário utilizar o fundo de emergência. Assustador por perceber que as coisas podem acontecer de forma muito rápida e o que pensávamos ter estabilizado é, na verdade, bastante precário.

 

Mas, a realidade é que não podemos antecipar tudo que nos acontecerá nas nossas vidas. Mas podemos prepararmo-nos. Eu tinha um fundo de emergência. E no final, é isso que importa reter. Pode não ser um sentimento agradável ter de o utilizar, mas seria muito pior não o ter.

 

Eu paguei com dinheiro o conserto do meu carro. E definitivamente aprendi a lição de que o carro tem de ser cuidado com mais atenção.

É possível fazer as compras do supermercado com €100.00/mês? – Parte 2

Descontos, 22.11.13

A primeira coisa que aprendi: Cortar 

 

Não há fórmulas mágicas. Se houver onde cortar, é tempo de o fazer.

 

Ao deixar de comprar um produto, o que gastaria poderá ser utilizado num outro item. Se esse item estiver em promoção, permitindo comprar em dobro, é assim que começa a poupar.

 

Se comparassem o que tinha no frigorífico antes e depois de começar a poupar intencionalmente, saberiam que tenho muito menos. Mas não tenho menos porque me falta ou porque como pior, mas apenas porque deixei de comprar porcarias que utilizava uma vez, acabando o resto do frasco no lixo. Ou então, cortei em comida processada.

 

 

Coisas em deixei de comprar ou que compro muito pontualmente:

 

- comida processada - deixei de ter comida processada no congelador, deixei de comprar molhos e afins (que geralmente eram utilizados uma vez e depois acabavam no lixo);

- sobremesas - deixei de comprar pudins, mousses e afins; deixei de ter crepes no congelador; deixei de comprar um doce (geralmente M&M´s) em todas as visitas ao supermercado;

- refrigerantes/sumos (tenho 3 de 6 latas de Coca-Cola da penúltima promoção de 50% em todos os refrigerantes;opto por afastar desejos numa ou outra ocasião rara em que almoço fora);

- produtos de limpeza descartáveis (reduzido quase a zero, uso panos como toalhitas, passo por água e vai tudo para a máquina).

- cosmética - não uso, pese embora as tentativas (dispendiosas).

 

 

 

 

É possível fazer as compras do supermercado com €100.00/mês? – Parte 1

Descontos, 21.11.13

Às tantas, pergunto-me o porquê da reiterada menção a 100 euros como o valor que reflecte um objectivo atingido para todos os que querem poupar. Quanto o criei para mim foi não o ponto de partida, mas de chegada. Eu gastava (com desperdícios diversos) cerca de €150.00/mês (1 pessoa) e face ao que desperdiçava, achei que obrigar-me a uma redução de €50.00 era castigo justo e atingível.

 

Para muitas pessoas, o orçamento mensal para alimentos não é uma opção, é simplesmente o que sobra depois de pagar casa, luz e água. Por isso, sem prejuízo dos diversos textos de alerta que fiz sobre o facto dos meus €100.00 serem os meus (se quiserem ler mais: aqui), eu nunca tomo de ânimo leve um pedido de ajuda para chegar até €100.00 de gastos mensais na alimentação, higiene pessoal e limpeza para a casa. No fundo, quando mo pedem, estão a pedir para gastar menos do que provavelmente gastam, porque necessitam de o fazer.


Por isso, antes de se colocarem a fatídica questão que reflecte apenas experiências de outras pessoas, sejam generosos convosco e coloquem-se três questões iniciais:

a) quanto gasto mensalmente com esse tipo de despesas?

b) é possível poupar um pouco mais ou é possível rentalizar melhor o pouco que há disponível?

c) estou disposta/o a investir em poupança adicional?


Eu acredito que a generalidade de nós encontra pequenos espaços para melhorias: desde terminar com os malditos desperdícios (culpada), a melhorar a forma como fazemos as compras (culpada, culpada) ou a decidir onde cortar (culpada, culpada, culpada). 


(mensagem pessoal: Inspirada a prosseguir?)

5 Formas de se manter quente sem ligar o aquecedor

Descontos, 15.11.13

O texto que inspirou este post foi lido aqui (bargainbabe), com 9 dicas, mas eu achei que 5 seria um bom começo. 

 

Vestuário quente

 

Surpreende-me a forma como algumas pessoas se vestem. Eu nunca compreendi o conceito da camisola em lã com manga três quartos. Das duas uma, ou está frio para lã e como tal o frio certamente vai até ao fim (ou início?) do braço ou está calor para andar com camisola 3/4 e aí não se usa lã. Mas o pior, o pior mesmo são as camisolas de gola alta com manga curta. Alguém me explica isso?

 

Eu sou fã de camisolas interiores. Queria comprar uma "termotebe" mas disseram-me que faleceu. Há herdeiros?

 

 

Roupa da cama quente

 

No pico do inverno, a minha roupa da cama consiste em:

base de aquecimento + lençóis de flanela + edredão 1 + cobertor 1 aberto + cobertor 2 dobrado + manta 1 + manta 2 (tipo passadeira) + edredão de "enfeitar"

nos pés: meias de lá grossa + botija 1

botija 2 (porque a base de aquecimento é só utilizada para aquecer a cama antes de me deitar)

 

Friorenta? Eu????

 

Este ano decidi investir num edredão de aquecimento do IKEA que tem um sistema de graus de calor. Na verdade, eu escolhi o edredão apenas por causa dessa informação já que tendo 2 edredões na cama, nunca achei que aquecessem coisa alguma. Por isso, decidi testar um edredão nº 5 na escala de 6. Pareceu-me uma boa aposta face à ratio aquecimento/peso do edredão na cama/peso do edredão na carteira.

 

Neste momento tenho:

lençóis de flanela + edredão de aquecimento + edredão 1 + cobertor 1 aberto + edredão de "enfeitar" + manta do sofá dobrada

hoje vou procurar uma botija e ainda não estamos no pico do frio

 

Descobri que o edredão até mantém o calor bastante bem, mas não me parece que irá substituir a minha super-manta. Peço ajuda, mas apenas às/aos friorentas/os que tenham edredões de aquecimento: Acham que deva investir num segundo edredão? É que às tantas, com tantos cobertores, o peso faz com que seja difícil voltar-me. Acordo cansada. 


No que respeita a pijamas, já aderi à moda dos pijamas de malha polar. E a não ser que me digam que, cada vez que visto um, um urso polar irá morrer de hipotermia, não me demovem. Ele tem pêlo e eu não... pensando bem, não vamos por aí.

 

Meias grossas. Sempre fui gozada pelo meu hábito de enfiar o pijama dentro das meias para dormir. Mas nem conseguiria dormir de outro modo. Meias de desporto (algodão) são as minhas meias de eleição para a caminha e por cima meias à-la-Serra-da-Estrela. Por vezes é difícil calçar os chinelos de quarto, mas há sacrifícios que fazem, é assim a vida.

 

E a super dica é: chapéu na cabeça. A bargainbabe lembrou (e bem) que perdemos calor pela cabeça, em especial se todo o resto do corpinho está debaixo de cobertores. Estou a pensar fazer uma espécie de gorro de malha polar, mas a resistir à ideia de incorporar um tapa orelhas porque é demasiado ridículo (mas digam lá que, neste momento, não sabia bem uma mantinha a aquecer as orelhas frias?).

 

Líquidos quentes dentro

Não confundir com líquidos frios que aquecem o corpo. O objectivo é que o líquido já entre quente, ok? Chá, leite, chocolate quente... escolham o vosso veneno.


Líquidos quentes fora

Se ainda não têm um botija de água quente, eu recomendo vivamente. É uma forma de rapidamente aquecer o corpo, estejam ou não na cama. Até a utilizo para as costas da cadeira quando estou no escritório. Aqueço a água de forma muito rápida na chaleira e o conforto é garantido.

 

 

 Calor do microondas


Eu tenho um saquinho de pano com interior de trigo, que se aquece no microondas. Há quem faça o enchimento com caroços de cerejas, milho (ouvi dizer que são os melhores), arroz e outros retentores de calor. Há para todos os gostos e feitios e se não têm inclinação para as manualidades, encontrarão um em feiras de artesanato urbano. Há quem junte alfazema e outros mimos e há quem coloque um desses enchimentos dentro de uma meia (tipo desporto por ser maior) e amarre a ponta (prático, barato e até podem partilhar a outra meia).


Que vos parece, vou bem lançada para mais uma temporada de frio?

E vós, como se mantêm quentes antes de ligar os aquecedores?

Seguro automóvel - como escolher?

Descontos, 01.11.13

Decidi mudar de seguro automóvel. Ocorreu-me que, na comparação entre serviços, é preciso saber que perguntas fazer:

 

a) Que valor atribuem à viatura (usada);

b) Que assistência no acidente (reboque, viatura de substituição);

c) Cobertura no caso de furto e vandalismo (não tenho garagem);

d) Cobertura no caso de fenómenos da natureza;

e) Cobertura na quebra de vidros, faróis, capotamento;

f) Franquias aplicáveis.

 

Há alguma outra questão que deva considerar? É ou não importante a existência de um balcão de atendimento, em oposição aos seguros por atendimento meramente telefónico?