Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

24
Mai14

Eliminei mais uma despesa e ganhei mais €20/mensais

Descontos

Depois de algumas reservas, optei por terminar mais uma despesa (cerca de €20.00 mensais): pacote net+voz. 

A net, velhinha ADSL (dentro de casa com WIFI) tem-se mostrado cada vez mais incapaz de lidar com as potentes fibras que me rodeiam. Resultado, há dias que pára de funcionar. Os serviços técnicos tentam mudar de "canal" mas sem grandes melhorias. Aliás, tenho mais "barrinhas" (força do sinal) vindas das casas dos vizinhos que do meu router. 
Assim, decidi render-me à internet da casa dos meus pais (onde tenho passado a generalidade do tempo e que posso partilhar).
E foi assim que optei por terminar também com o telefone fixo e substituí-lo por uma solução intermédia - vodafone casa - em que mantenho o número fixo, mas sem assinatura mensal. Funciona com um cartão que pode ser colocado num qualquer telemóvel (julgo conseguir arranjar um desactivado).
Um outro benefício é o fim dos imensos fios junto ao telefone e router. 

E assim fico com mais €20.00 mensais no meu orçamento.
 A primeira mensalidade vou gastá-la numa maluquice (ainda não decidi o que será). 
As restantes mensalidades serão alvo de transferência automática para a minha poupança respeitante às obras da casa. É que para mudar um telhado é preciso MUITA poupança.
22
Mai14

A importância de um fundo de emergência

Descontos

De acordo com a Eurostat (Pordata) 35,9% da população portuguesa não tem capacidade para assegurar o pagamento de despesas inesperadas. A percentagem refere-se a dados de 2012, sendo que em 2004 era apenas 19,5%.

 

Fazer um fundo de emergência foi das mais importantes estratégias de poupança que utilizei. Impedia que voltasse a recorrer ao cartão de crédito (com custos acrescidos) para pagar as despesas inesperadas, que na realidade, são tão certas como a morte.

 

Um fundo de emergência pagará aquela avaria do carro, o electrodoméstico que avariou, o período de baixa médica, um período de desemprego. Tudo dependerá da necessidade e do tamanho do fundo de emergência.

 

 

Um especialista financeiro dizia que 90% das emergências podem ser cobertas com um fundo de emergência de 1000 dólares (cerca de 740 euros). Eu diria que um fundo de emergência começa-se com um pouco de cada vez:

 

- se puder, tire imediatamente uma parcela do salário para o fundo de emergência (pode ser 5%, 10%, uma quantia certa... o que puderem); não ter o dinheiro acessível no saldo da conta, ajuda-me a controlar gastos;

 

- pense numa despesa que ainda consegue cortar (para mim foram os almoços no trabalho em que substituí a restauração pela marmita e os lanches por uma termos; foi a forma mais rápida que encontrei de poupar rapidamente uma elevada quantia de dinheiro);

 

- crie um envelope para um gasto que quer cortar, o dinheiro que sobrar no envelope reforçará o fundo de emergência.

 

-  venda artigos usados e sem utilidade;

 

- tente cortar uma despesa fixa (plano de telemóvel, televisão paga, ...; eu cortei em ambos e tenho um plano de chamadas sem carregamentos obrigatórios e em que pago €0.35 mal faça a 1ª chamada do dia [é um desincentivo] e cortei a TV cabo ).

 

 

No blog encontrarão diversos textos sobre o fundo de emergência (o meu e outros), bastará utilizar a caixa de pesquisa.

21
Mai14

Como construir um guarda roupa sem sair do armário - II

Descontos

Impunha-se que explicasse que método utilizei. Na verdade foi muito mais simples do que imaginava: tira-se tudo e o que sobrar mete-se num saco ou armário.

 

1º 

Separei as todas as peças neutras (sem decoração) para os 3 blocos de cor (seja um top ou umas calças)

 

2º Escolhi 4 peças por bloco: azul marinho, bege e vermelho (neste último, apenas 3 que já possuo)

 

3º 

Agrupei as restantes peças - apenas as peças para utilizar fora de casa - em grupos:

- calças

- tops/camisas neutros com mangas compridas

- tops/camisas neutros mangas curtas ou 3/4

- tops/camisas neutros cavedados

- tops/camisas decorados com mangas compridas

- tops/camisas decorados mangas curtas

- casacos/malhas

- jeans

 

3º 

Escolhi 4 peças que que combinassem em simultâneo com os dois neutros (azul marinho e bege): casaco sem mangas azul escuro, camisola tricotada em algodão fino, camiseiro em linho, camisola mais desportiva em castanho.

 

Escolhi os essenciais: 2 jeans, 2 tshirts e 1 sapatilhas.

 

Escolhi tops para utilizar no dia a dia: uma camisa branca, uma blusa 3/4 branca e outra em verde azeitona e uma tshirt mais casual.

 

Finalmente aloquei os acessórios aos 3 blocos de cor. 

 

 

O que ficou de fora para organizar e destralhar: roupa de andar por casa.

20
Mai14

Como construir um guarda roupa sem sair do armário - I

Descontos

Como fui adiantando nos posts anteriores, decidi "construir" o meu guarda roupa, mas sem sair do armário. Eu acabo sempre por vestir as mesmas peças, logo a minha vida ficará facilitada se retirar o que está a mais do guarda fatos ou das gavetas (ok... do cesto de passar a ferro, confesso).

 

A poupança no acto da compra também é fácil de ver, já que acaba o período de saldos em que acabamos por comprar aquela peça "tão baratinha" que acaba por não combinar com nada (ou que tu não sabes combinar - como é o meu caso).

 

Inspirada no método "Vivienne Files" e no projecto 333, construi um guarda roupa para primavera (culpa do S. Pedro) pelo que terá de ser adaptado nos próximos tempos (à medida que aquecer mais). 

 

O que aprendi ao tentar criar um guarda roupa 333:

 

- tenho peças a mais em determinados grupos/categorias (ex: tenho 3 camisas brancas, 2 delas quase idênticas, 2 tops caveados brancos, 2 tops caveados pretos);

- além dos básicos (para mim é o azul escuro, castanho escuro, bege, cinza), tenho blocos de cor (nunca me tinha apercebido disso): rosa, vermelho, verde, bordeaux;

- é possível mudar um bloco de cor ( apenas 4 peças) e assim criar um guarda roupa completamente diferente;

- não voltarei a comprar peças "híbridas", no que respeita a temperaturas - malhas com manga curta são um excelente exemplo (se está frio para uma malha, também tenho frio nos braços);

- o meu guarda roupa tem um excesso de peças "velhas para andar por casa";

- tenho peças que nunca usei e que continuam com etiqueta;

- utilizando a estratégia dos blocos de cor, posso destralhar peças que estão a mais.

 


O que mudei:

 

Na verdade, o meu guarda roupa tem 39 peças que incluem bijutaria, cintos, calçado e carteiras (omisso em exemplos de 333 que encontrei). O meu objectivo é "obrigar-me" a usar acessórios, nomeadamente bijutaria. Para cada bloco de cor, inseri uma carteira, um cinto, uns sapatos, brincos e colar. 

 

Noto que os 33 itens são possíveis apenas excluindo os 3 colares e os 3 pares de brincos.

 

 


O que irei mudar:

 

Eu sou muito sensível a temperaturas pelo que, quando a temperatura subir, irei substituir algumas peças mais grossas e de manga comprida por itens mais frescos. Porém, por cada peça que entre, outra tem de sair.

 


O que irei comprar:

 

As minhas compras passarão apenas por 3 itens que já planeava comprar:

- calças azul marinho clássicas em sarja ou algodão: neste momento não tenho um único par clássicas que me sirva; tenho 2 pretas que estão largas;

- mocassins: faz parte da minha lista de compras de calçado mais confortável; vou procurar uns com marinho/bege/vermelho para serem o mais flexíveis possível e que possa utilizar para trabalhar (e já vi alguns modelos assim);

- sapatilhas azuis escuras: faz parte da minha lista de compras de calçado mais confortável; para utilizar com jeans e possa utilizar mesmo para trabalhar.

 

Todas as restantes peças que se encontram na imagem, foram escolhidas de entre o que já possuía.

 

No futuro, espero ir substituindo algumas peça chave de menor qualidade por peças de melhor qualidade. Em particular nos grupos de cor neutra em que esse investimento compensa porque são peças clássicas e intemporais.

 

Também tenho como objectivo substituir os brincos de bijutaria por brincos em prata que resistem ao tempo (não enferrujam) e que não me provocam alergias. Eu gosto de peças pequenas e clássicas pelo que comprar uns brincos de prata pequenos com um elemento azul (por exemplo) não é uma despesa de relevância. 

 

 

My Spring wardrobe

 

Pág. 1/4

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Ricardo_A

    1. Taxa moderadora sempre foi um termo péssimo. Se...

  • Ricardo_A

    Segundo a notícia " o documento aprovado prevê exc...

  • Descontos

    E a moda das máquinas calculadoras científicas? As...

  • Descontos

    Correcto, mas olhe que é uma pena que as pessoas n...

  • Descontos

    Considerando as minhas razões e as suas, acho que ...

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D