Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Pai Natal Solidário

Descontos, 27.11.15

www.painatalsolidario.pt 

 

Adoro esta iniciativa dos CTT. Sabiam que podem ser um/a Pai Natal/Mãe Natal e comprar o presente desejado por uma criança? Aqui está uma excelente actividade a ser realizada em família.

 

Já estou ler as cartas que as crianças escreveram ao Pai Natal com os seus pedidos e já escolhi duas. Estou a fugir a sete pés das cartas que pedem animais de estimação e a recolher tudo que mencione livros ;)  

 

ctt.JPG

Estamos a terminar Novembro. Como andam os envelopes?

Descontos, 19.11.15

Em contagem decrescente para o final do ano, decidi com o salário de Novembro acabar de encher os meus envelopes físicos (2 meses), com excepção para o envelope da electricidade que são €55.00 mensais.

 

O panorama é este:


Presentes, €15/mês

Sobram €34.40. Apesar de ter já feito quase todas as compras para o Natal, parece-me que irá ser insuficiente.

 

Casa/Material de escritório, €10/mês 

Só me restam €5.50 e ainda tenho de comprar uma bicha para a torneira da cozinha. 

 

Quotas, €8/mês 

Ainda tenho €48.00 mas apenas porque a cobrança está a ser muito irregular.

 

Livros/Material escolar, €5/mês

Este ano foi necessário ajudar uma familiar na compra de livros. Esse extra de €70.00 foi o suficiente para que a poupança mensal não fosse o suficiente. Tenho de considerar um valor semelhante em 2016 (?). 

 

Saúde 1, €12/mês

Ainda sobram €25 do valor que tenho alocado para medicação e taxas moderadoras. Falta ainda comprar a vacina da gripe, a taxa moderadora de enfermagem (para a tomar) e uma taxa moderadora de ecografia. Ainda assim, 2015 acaba dentro do orçamento.

 

Saúde 2, €30/mês

Ainda tenho €91 do valor que destino a consultas de ginecologia e dentista. Felizmente não tenho precisado de mais (+30 em Dezembro).

 

Miúdas, €10/mês

Como diria o outro, esse barco já levantou vela. Ou seja, ultrapassei o orçamento à grande e à francesa (em cerca de €150 euros), depois de dois passeios de um dia que fiz este ano. Mas tenho de confessar que não me sinto muito culpada por isso. Eu não faço férias e apresentar às minhas sobrinhas partes do país que elas não conhecem, dá-me imenso prazer. 

 

Carro, €50/mês

Só faço um envelope virtual para despesas com reparações, imposto e seguro. Desse valor ainda tenho €60.00 (+60 em Dezembro).

 

Vestuário, €5/mês

Envelope com saldo negativo. Realmente, não tinha contabilizado idas ao cabeleireiro (porque estava somente a deixá-lo crescer) e isso estragou-me as contas. Muito provavelmente terei de repensar este envelope.

 

Electricidade, €55/mês

Estou à espera da conta em Novembro, mas ainda tenho €242.70 (+55 em Dezembro).

 

É tempo de fazer um último esforço para não ultrapassar os envelopes e repensar alguns para 2016. Desde já, apercebi-me que falhei imenso no registo das despesas, impedindo-me de fazer uma melhor avaliação.

 

Televisão gratuita - cinema

Descontos, 14.11.15

Sábado
15:15, SIC - O aprendiz de feiticeiro
15:15, SIC - O fantástico Homem-Aranha
15:53, TVI - O incrível Hulk
22:15, RTP1 - Akaash Vani
22:45, RTP2 - A flor do equinócio
00:00, TVI - O rei escorpião: a batalha pela redenção
00:45, RTP1 - Por favor não me mordam o pescoço
01:30, SIC - Um amor de natal

 

Domingo
16:01, RTP1 - Viagem ao centro da Terra 2
17:46, RTP1 - Doce Novembro
23:24, RTP1 - Blue Jasmine
00:45, SIC - Puro Aço
01:18, RTP1 - O candidato

Viver com um dólar por dia [documentário]

Descontos, 12.11.15

 

Tenho aproveitado o mês gratuito do Netflix para ver documentários, algo que geralmente não temos acesso na televisão portuguesa. Na página Netflix, poderão encontrar o documentário com legendas em português.

 

O documentário é brilhante e embora estivesse à espera de algumas coisas, chocou-me a descrição de um pai de como as crianças ficam letargicas e não brincam, quando não há comida suficiente. E por vezes não se trata de não haver nada para comer, mas comer calorias suficientes num dia para ter energia para brincar. 

 

Por outro lado, este documentário reforçou a ideia que tenho da importância do microcrédito na vida de uma pessoa pobre. 

Diário das minhas finanças pessoais - Outubro

Descontos, 10.11.15

Cada vez mais me convenço que o sistema de envelopes funciona e não pensem que ando com muita coisa. Um porta-moedas/documentos com dinheiro para o supermercado (para o qual nem tenho limite) e para os extras que não planeei. Depois tenho um porta-moedas quase sempre só com moedas e que utilizo para a minha semanada de €10.00 para restauração. Já nem necessito de mais envelopes físicos na carteira.

Mas os envelopes e os seus limites estão sempre na minha cabeça e isso ajuda-me imenso a controlar as compras impulsivas.

 

Gastei €11.82 (de €10.00) em maluquices

Um livro e umas despesas de CTT para trocas e pum! Lá se foi o orçamento.

 

Gastei €12.00 em vestuário

Na verdade fui cortar o cabelo. Agora que está curto, ou corto, ou fica todo o espetado. Já deu para perceber que o cabelo curto permitir-me poupar no champô e no tempo de secador, mas não no cabeleireiro. 

A pensar que ainda tenho €130 euros em cartões presentes que ainda não gastei. Até nesses eu poupo. Linda menina!

Infelizmente já ultrapassei o orçamento anual em €33.80

 

Gastei €45.23 em restauração 

Estou a precisar de reduzir este valor e as porcarias que como com ele. 

 

Gastei €10.95 em restauração extra

Gastos com as saídas com a mamã. Inevitáveis e perfeitamente aceitáveis.

 

Gastei €23.99 em casa

Comprei uma chaleira eléctrica (toda em inox) e fiz um DIY de pichelaria. Dentro do orçamento do meu envelope.

 

Gastei €118.58 em supermercado

Aqui está um valor que não compreendo. Quase não como em casa. Tenho de fazer uma melhor análise de para onde está a ir este dinheiro.

 

Gastei €500.71 no carro

Entre parque, gasolina e seguro anual. O seguro anual foi pago com o meu envelope virtual de poupança para o carro: €50/mensais.

 

Gastei €23.34 em miúdas

A frase anterior é estranha, mas correcta. Só €15.00 foram para entradas num evento. Mas o envelope está praticamente vazio. Já não dará para custear um passeio que já tenho planeado. Já tomei a decisão que irei ultrapassar este orçamento.

 

Gastei €18.82 em prendas

O Natal está à porta e já comecei a comprar algumas coisas, não só presentes mas também materiais para fazer presentes caseiros. Mas o valor saiu do respectivo envelope.

 

Todo o remanescente foi doado para o UNHCR na Grécia.

Viver do capital

Descontos, 09.11.15

Nos blogs dos EUA não faltam histórias de casais que se reformaram bastante novos, depois de investirem (de forma muito agressiva) nas suas poupanças. 

Vivem dos rendimentos: há quem invista em propriedades que arrenda ou simplesmente viva dos juros. Mas como calcular o quanto necessitariam de poupar?

 

Por exemplo, eu estou convencida (face aos meus gastos actuais) que poderia viver com €500. Ou seja, precisaria de €6.000 por ano.

 

Para "viver dos juros", teria então de calcular o depósito, que renderia num ano essa quantia, e ainda considerar a taxa de imposto que seria aplicada (este ano a taxa liberatória de IRS de juros é de 28%, mas estou a simplificar o que poderia ser pago). 

 

Continuemos a fazer de conta: €6.000 x 0,28 = €1.680. Ou seja, um total de  €7.680 (juros+imposto). Arredondemos: preciso afinal de €8.000/ano.

 

Sendo eu muito conservadora, o máximo que iria almejar em juros, seria 1%. Para obter €8.000 de juros anuais (taxa de 1% + imposto) eu teria de ter poupado €80.000.  €800.000

 

Arredondando muito bem, seriam cerca de 10 90 anos a trabalhar com o meu salário actual, mas sem gastar um cêntimo até lá. 

 

Concluindo, é capaz de ser um pouco tarde para o meu plano de reforma antecipada, mas se forem jovens, ainda vão a tempo.

Como apertar uma camisola de lã? Com um bocadinho de coragem.

Descontos, 08.11.15

Coragem, foi apenas o que precisei para finalmente cortar uma camisola de lã tornando-a menos largueirona. 

 

Primeiro vesti-a, do avesso (muito mais fácil), para marcar a definição do corpo. 

DSC_0001.JPG 

Depois alinhavei com uma linha de cor para saber por onde deveria costurar (ponto corrido). 

DSC_0002.JPG

 

Finalmente, cortei e finalizei com duas passagens com ponto zig zag para não correr o risco de desfiar.

DSC_0003.JPG