Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Sistema de envelopes para 2017

Já terminei o meu orçamento e sistema de envelopes para 2017. 

 

Envelopes físicos Envelope virtual em conta bancária Pagamento pontual directamente do salário
Supermercado - €80/mês Saúde 2 - €50/mês + €308 (transitou de 2016) Telefone - €7/mês (valor sujeito a actualização)
Restauração - €40/mês Auto - € 50/mês Gasolina + estacionamento - €55/mês (aproximadamente)
Maluquices - €10/mês Poupança reforma - €65/mês Obrigações fiscais/reforma - €200
Experiência natal - €5/mês   Estacionamento - sem verba orçada
Vestuário - €5/mês   Restauração extra - sem verba orçada
Electricidade - €60/mês + €50 (reforço)    
Quotas - €5/mês    
Material escolar/livros - €5/mês    
Casa - €10/mês    
Saúde 1 - €12/mês            
Férias - €25/mês (6 meses)    
Miúdas - €15/mês    
Presentes - €15/mês    

 

As minhas finanças pessoais estão organizadas da seguinte forma: tenho os envelopes físicos, tenho contas poupança a prazo a que chamo "envelope virtual" com transferências programadas e tenho o remanescente do salário para ir pagando alguns itens com o cartão multibanco. 

 

Mantive quase todos os envelopes e verbas para cada um intactos. Agora só falta a disciplina para os cumprir.

 

 As rubricas:

Supermercado - €80/mês

Inclui alimentação, higiene, limpeza e lavandaria. 

 

Restauração - €40.00/mês

Inclui refeições em saídas de lazer, almoços no trabalho e até os extras com bolos e afins. Assim, quando mais marmitas, mais sobra para o lazer. É uma rubrica em que quero poupar mais, por razões de saúde.

 

Maluquices - €10/mês

O meu dinheiro livre de culpas, desde despesas CTT com trocas, um bilhete de cinema ou um item que desejasse comprar. Livros!!!! Para gastar livremente.

 

Casa diversos - €10/mês

Inclui itens tão diversas como papel e tinteiros ou líquido para desentupir canalização. Não inclui extras como grandes reparações ou obras. 

 

Vestuário - €5.00/mês

Em 2017 tenho dois cartões presente. Este ano, conto precisar de calças de ganga (um número acima) e algumas camisolas básicas. 

O meu objectivo continua a ser utilizar o que possuo e transitar para vestuário usado ou feito por mim.

 

Electricidade - €60/mês 

Senti a necessidade de actualizar o valor (mais €5/mês). Reforcei com €50 que sobraram do envelope das quotas.

 

Quotas - €5.00/mês 

Pagamento de quotas de associações diversas. Decidi não continuar a apoiar uma instituição que está a passar por uma fase menos boa (em termos de direcção) pelo que reduzi o valor de €8 para €5.

 

Material e livros escolares - €5.00/mês

A reutilização de manuais escolares tem-me permitido poupar neste envelope. No ano passado pude fazer uma doação com o valor que sobrou.

 

Saúde 1 e 2 - € 12 + € 50/mês 

O primeiro envelope é físico e serve para medicamentos e taxas moderadoras.

Já o segundo envelope é apenas virtual (com transferências automáticas) e serve para pagar valores maiores como consultas no sector privado ou lentes para óculos. Senti a necessidade de aumentar de €30 para €50 porque preciso de marcar pelo menos 2 consultas e óculos novos (dois pares) que vão ser cerca de €500-€600. 

 

Férias - € 25/mês (6 meses)

Numa tentativa de substituir coisas por experiências, em 2016 fiz uma longa viagem para que a pequenada conheça o nosso país (Santarém - Tomar) e outra a Soajo com a minha mãe. Mas entre portagens, gasolina, entradas e refeições, é fácil atingir os €200. 

Porque gostaria de ter €150 quando chegarem as férias escolares, vou juntar €25/mês nos próximos 6 meses. Depois, a despesa passa a despesa anual (o que aliás já deveria ter acontecido em 2016).

 

Miúdas - €15/mês

É uma despesa que desejo controlar porque apesar de resistir facilmente a comprar coisas para mim, já não é tão fácil quando se trata das minhas sobrinhas. Criar este envelope ajudou imenso e tenho sido mais cuidadosa em diminuir "tralhas". O meu objectivo é substituir coisas por experiências ou comprar roupa em saldo, mesmo que seja para stock.

Também inclui entretenimento.

 

Presentes - €15/mensal

A minha lista de presentes já está delimitada às pessoas mais próximas, ainda assim ultrapassei o orçamento. Este ano (outra vez) o meu objectivo é que, pelo menos, 50% dos meus presentes sejam caseiros.

 

Auto - €50/mês

Inclui seguro, imposto automóvel, inspecção anual e despesas com manutenção e ainda reparações de pouco valor. Este ano foi uma enorme paz ter esse dinheiro poupado, quando uma reparação ultrapassou os €200.

 

Poupança reforma - €65/mês

Poupança feita com transferências automáticas para uma poupança a prazo, no início de cada mês. Quando atingo €1000 transfiro para certificados de aforro porque os juros são basicamente os mesmos. 

 

Telemóvel - €7.00/mês

Este valor poderá ser alvo de actualização.

 

Gasolina + estacionamento - €55/mês (aproximadamente)

É mais prático e rápido pagar na bomba exclusiva para pagamentos por multibanco e via verde, por isso sai directamente do salário. 

 

Obrigações fiscais/reforma - €200/mês 

 

Restauração extra (sem verba orçada)

Essencialmente os lachinhos, os cariocas e pequenos-almoço (depois das análises) de saídas com a minha mãe. 

Disciplina é a palavra do ano 2017

Sinto-me contra a corrente.

Leio posts a estabelecer como objectivo principal ser feliz, simplificar,... e quando penso no que foi 2016 só me ocorre disciplina. 

 

DISCIPLINA vai ser o meu objectivo para 2017. Eu sinto que o meu orçamento é realista e confortável, que já estou a ser bastante consistente com o registo diário de despesas e que tenho bons hábitos de poupança (quando os pratico). O que me falta é disciplina para poupar.

 

Poupar não me é natural. Eu tenho de me esforçar, criar hábitos e até estratégias para poupar, pois a minha tendência natural e gastar. Eu sou uma consumista.

 

Poupo porque preciso. Eu não tenho um bom salário. Nem pertenço à geração rasca (dos €1000). Preciso de poupar porque tenho de conservar uma casa antiga, onde não pago renda. Uma boa parte do que poupo vai para as obras maiores - arranjar o chão (que tem uma caixa de ar por debaixo) para meter um pé num buraco, arranjar o telhado para não chover dentro de casa. Felizmente tenho essa casa, já que com o meu salário pagar uma renda seria bastante pior. 

 

Não tenho uma fortuna no banco. Depois das obras que irei fazer este ano, as minhas poupanças deverão ficar a zero (salvo a da reforma). Isso é sempre um pouco assustador. Além do que poupei para a casa e para a reforma, todas as restantes "poupanças" são, na verdade, despesas para as quais me antecipo. 

 

Poupo por temer o futuro. Todos os meses poupo €65 para a reforma. Não toco nesse dinheiro. Quando chego ao final do ano, nem €1000 são. A poupança de um ano, quase que só dá para um mês de despesas e isso é assustador. Por isso, também pago €200 para reforçar o meu sistema de previdência, mas ainda demorará 10 anos de descontos para atingir o número de anos mínimos para receber - poderia já os ter, se não fossem as imbecilidades da juventude.

Sou sozinha pelo que só posso contar comigo para ganhar (e para gastar). E se não se importam, prefiro não confiar em caridade alheia.

 

2017 poderá ser pior. Adiei mais um ano, mas 2017 poderá ser aquele em que deixo de ter um salário. Tenho de estar mais preparada para isso. 

 

E agora poderá haver quem conclua que a minha poupança está associada a inseguranças em relação a coisas que poderão nunca se concretizar. Não é assim. 

 

Disciplina será a palavra de 2017 porque tenho uma anemia apesar de ter aumentado o peso. Porque consigo não gastar, num ano, os € 60 euros que destinei a roupa + cabeleireira, mas não consigo deixar de gastar mais de €50/mês em restauração. 

Gasto quase tanto em restauração como em poupança para a minha reforma. Não estou a comer melhor, mas pior e ao ponto de se reflectir na minha saúde. 

Por tudo isso, DISCIPLINA.