Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Electricidade - comercial ou regulado

Descontos, 29.12.17

Preço da energia desce no mercado regulado, mas a EDP comercial aumenta. À Renascença, Jorge Seguro Sanches diz aos consumidores: "se quiserem voltar ao mercado regulado, a partir de dia 1 de Janeiro podem fazê-lo".

Rádio Renascença

 

luz

A página https://poupaenergia.pt permite comparar tarifários de energia, mas não só. Possui um leque alargado de informações, com FAQ´s e legislação.

 

Como podem voltar ao mercado regulado?

 

De acordo com a Portaria n.º 348/2017 de 14 de novembro, os consumidores têm a opção de escolherem entre todas as ofertas existentes, quer as tarifas do mercado liberalizado quer as do mercado regulado, nas quais se prevê uma descida de preço para o ano de 2018.

 

O direito de opção é pode ser exercido a partir de 1 de Janeiro de 2018até 31 de dezembro de 2020.

 

O exercício do direito de opção pelo regime de preços é concretizado através de solicitação, por qualquer meio ou suporte de comunicação, incluindo canais remotos, do cliente final ao comercializador responsável pelo fornecimento a respetiva ̀ instalação consumidora, que dispõe de 10 dias úteis para resposta ao cliente final.

 

Se o fornecedor responder não aplicar o regime de preços equiparado ao das tarifas transitórias ou reguladas, esta resposta deverá ser na forma escrita, constituindo esta resposta comprovativo suficiente para que o cliente final celebre contrato de fornecimento com o comercializador de último recurso.

 

A ferramenta poupaenergia.pt/tarifarios, permite consultar quais os fornecedores de tarifa regulada.

 

De notar que os fornecedores terão já comunicado à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, se disponibilizam ou não o regime equiparado regulamentado.

 

Se o comercializador divulgou publicamente que não disponibiliza o regime equiparado ao das tarifas transitórias ou reguladas, respondeu negativamente ou não respondeu no prazo de 10 dias úteis ao cliente, este tem direito a cessação do contrato ̀ de fornecimento por celebração de novo contrato com o comercializador de último recurso, estando essa cessação isenta de quaisquer ónus ou encargos para o cliente, incluindo as penalizações relativas a eventuais períodos de fidelização, que não decorram estritamente da faturação dos consumos medidos.

 

Não sou perfeita

Descontos, 28.12.17

O dinheiro de Pedrogão Grande continua algures. A julgar pelas pessoas que ainda dormem em casa de familiares e tendas (como vimos nas reportagens de Natal, 6 meses depois), não chegou a quem queríamos dar. Raríssimas. A máfia partidária a legislar em proveito próprio.

 

Hoje, risquei um carro ao estacionar. A cabeça estava noutro sítio. Pouca coisa, mas estava lá. Decidi andar. E andei 5 a 10 metros a dizer-me que o meu carro estava cheio de riscos não assumidos, que só eu sou "parva", que provavelmente não vão querer nada.

 

Não sou perfeita. Estou cansada de lutar contra moinhos. Não queria mais uma coisa a ter de gerir.

 

Voltei para trás, mas estou cansada.

Presentes de Natal: um balanço

Descontos, 26.12.17

O que recebi

 

Depois de pedir à minha mãe, como presente, uma tarde de serviços da senhora que passa a ferro em casa dela - um luxo a que não me permito - ela ofereceu-me uma panela de pressão

 

Depois de muita hesitação, ela resolveu a questão por mim. Espero não explodir a casa.

 

E depois de negociar com o meu irmão, a minha sobrinha ofereceu-me dois livros usados. Um deles escolhido por mim (o meu livro preferido dos últimos anos) e outro para "ajudar a moça" que os vendeu. Perfeito: zero pegada ambiental, ajudei alguém a destralhar e a melhorar as suas finanças pessoais.

 

Recebi ainda um jogo de lençóis de malha polar.

 

O que fiz/dei

 

 

Para as crianças, apenas livros. Zero brinquedos. 

Para a adolescente, os chocolates preferidos, dinheiro e uns brincos (comprados com um cartão presente que tinha de gastar). 

Para a mamã, exactamente e apenas o que ela me pediu: uma planta e chocolates sem açúcar (Arcádia).

Ainda 3 presentes caseiros e 1 de comer.

 

Este ano, a minha decisão de simplificar e realmente colheu frutos. E se tivesse sido mais organizada e antecipado algumas coisas, teria sido perfeito. 

 

Estou muito motivada para subir o nível, no que respeita a presentes caseiros.

O hospital de brinquedos cá em casa, precisa de especialistas à distância

Descontos, 20.12.17


Não sei se alguma vez vos contei que tenho um hospital de brinquedos, cá em casa. 

Não só separo, limpo e reparo brinquedos doados a uma instituição (que confia que eu lhos devolvo), como sou menina para recolher sacos de brinquedos deixados junto aos contentores do lixo, para que encontrem nova casa.

Gosto de pensar que também estou a reduzir a minha pegada ambiental, ao dar novas utilizações a coisa que iam ser lixo.

 

 

É que o lixo de uns, é o brinquedo especial de outrem.

DSC_0388

Hoje, o meu objectivo é perceber o que trouxe ontem para casa e o que pode ser aproveitado. Era o lixo de alguém. Peças soltas, nomeadamente de puzzles, tudo misturado dentro de um saco grande.  

 

Importam-se que vos peça ajuda? É que há coisas que não consigo identificar.
DSC_0390

A bolinha é uma espécie de transformer, isso eu percebi. Pela cor, as peças grandes pertencem-lhe, mas não percebi como.

DSC_0391

E esta? Faz parte do lote anterior?

 

Estudar compensa?

Descontos, 14.12.17

Um comentário noutro blog acabou por avivar algo que ouvi recentemente, num podcast do Público/Fundação Francisco Manuel dos Santos. 

 

O podcast referia-se à publicação dos resultados de um estudo de investigação, sobre os benefícios económicos do investimento familiar num curso superior.

 

A conclusão é que ainda compensa, pelas vantagens salariais e até na própria probabilidade de estarem empregados. Segundo os entrevistados, os indivíduos com maiores qualificações, nomeadamente ao nível do ensino superior, encontram emprego mais rapidamente e têm uma menor probabilidade de se encontrarem numa situação de desemprego. E mesmo quando desempregados, são capazes de regressar mais rapidamente a uma situação de emprego.