Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

50 coisas que provavelmente não sabiam sobre mim

Numa tentativa de levantar um pouco a (minha) moral depois dois, muito deprimentes, posts anteriores, aqui ficam 50 informações sobre mim.

 

1.

Eu chamo-me mesmo Cristina Sousa, como... na vida real, estás a ver?

2.

Eu gosto muito mais de cães que de gatos. Tenho pena de matar aranhas e por isso tenho algumas de estimação, como a que habita a janela da minha casa de banho.

3.

Eu adoro ler. ADORO.

4. 

A minha pessoa preferida é a minha mãe.

5.

Eu acho esta curta metragem a coisa mais triste do mundo. Do mundo é exagero, mas percebem o que quero dizer, certo?

6.

Quando era criança, a minha madrinha dava-me caramelos. Até hoje sonho em comer caramelos como os que ela me dava, que se agarravam aos dentes.

7.

Não pratico desportos.

8.

Adoro ler e leio vários géneros. Leio em média 1 a 2 livros por semana.

9.

Aprendi a costurar no Youtube.

10.

A paixão da minha adolescência foi o Patrick Swayze. 

Patrick-Swayze-1990-017.jpg

 

 

Ser honesta é sentir-me revoltada (2)

Eu sonho com a possibilidade de não depender do meu salário e assim poder deixar de trabalhar e cuidar dos meus, enquanto os tenho.

Vou continuando a trabalhar, "esticando a corda" enquanto posso, na esperança que nada de irreparável aconteça entretanto. 

 

Por isso custa-me particularmente receber constantes propostas para publicidade encapotada:

"haverá vários artigos disponíveis para publicação, não sendo necessário colocar os direitos autorais"

"Para si seriam 4 artigos/mês"

"150€ cada", "Paypal pronto pagamento"  

 

Ou para publicitar (aí de forma perfeitamente transparente) serviços que vão contra os meus valores: encorajamento a créditos, a subscrição de cartões de crédito ou a páginas de apostas online.

 

Custa-me porque precisava desse dinheiro e não o posso receber sem ser desonesta, para com os outros ou para comigo.

 

Por isso, acho que é mais que razoável que toda/os sejam obrigada/os a divulgar claramente quando recebem contrapartidas para divulgar uma marca ou produto. É que uma coisa é uma recomendação pessoal e outra completamente diferente é publicidade paga.

Mobiliário Low Cost - a minha mesinha de cabeceira

Quando me apercebi que a minha mesinha de cabeceira e cómoda tinham bicho da madeira, tentei salvá-las. Porém, confesso que rapidamente desisti.

 

O que tinha na cómoda passou para dentro do guarda-vestidos (improvisei um organizador com caixas de cartão) e a mesinha de cabeceira foi substituída por duas caixas de cartão (que já tinha), que ainda por cima têm imensa arrumação.

IMG_20190124_133008_014.jpg

Neste momento, não equaciono comprar uma peça de mobiliário a que fique presa. Na verdade, estou seriamente a considerar eliminar as caixas.

 

O candeeiro, há muito que fixei na cama e fi-lo com peças do antigo. 

Mais recentemente, fiz um organizador para a cama, onde tenho espaço para o e-reader, um ou dois livros, um bloco de notas e lápis e até uns cremes. Um dia destes, mostro-vos como o fiz, utilizando amostras de tecidos, que uma loja de decoração descartou.

DSC_0182.JPG

Eu poderia ter comprado uma nova cómoda e mesinha de cabeceira. Não teria gasto mais de 100 euros nas duas peças. Mas neste momento, o objectivo é eliminar as caixas.

 

Cada despesa que faça é menos dinheiro que poupo e menos um objecto na casa, para arrumar, limpar ou arrastar para limpar o chão. 

 

Na ciência comportamental, frugalidade tem sido definida como a tendência a adquirir bens e serviços de forma contida, e utilização dos próprios bens económicos, recursos e serviços, para alcançar um objetivo de longo prazo. - Wikipédia

Pág. 1/6