Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Melhores finanças pessoais em 2019: Um orçamento equilibrado (um método)

Descontos, 12.01.19

Post inicialmente publicado em 04.04.13

2013

A primeira vez que pensei que teria de pensar na forma como gastava dinheiro foi a ver a Oprah e um programa que trabalhava com os casais métodos para eliminar dívida. 

 

O programa começou por pagar dívidas, dando a estas pessoas uma segunda oportunidade. Porém, parece que a apresentadora terá sentido que isso não seria nem suficiente nem pedagógico e foi aí que começou a vertente "Debt Diet" que no fundo se traduz em fazer dieta, no que respeita às finanças pessoais com vista ao pagamento da dívida pessoal.

 

Recordo-me que a primeira coisa que fiz foi testar os meus rendimentos e gastos face à planificação da guru das finanças pessoais: Suzie Orman. De acordo com esta, os nossos rendimentos deveriam dividir-se da seguinte forma:

 

35% HabitaçãoDespesas com hipoteca, seguros, impostos,  manutenção e gastos com consumos como água, luz, telefone, gás,...

 

25% Custos de vida: Despesas com alimentação, limpeza, saúde, entretenimento (ex: cinema, jantar fora, férias...), vestuário e presentes.

 

15% TransportesDespesas com combustível, seguros, impostos, manutenção, estacionamento, multas, passes, bilhetes.

 

15% DívidaDespesas com pagamento de créditos pessoais e/ou cartões de crédito.

 

10% Poupanças

 

 

O meu problema sempre foi o facto de os meus "rendimentos" terem uma forte componente de obrigações legais: segurança social e impostos. Com efeito, a contabilização desses encargos corresponde a 35% do meu "salário" inicial. 

 

Com o meu magro salário, este gráfico é incomportável. Porém, é um bom excelente de partida. Suspeito que, para a generalidades das pessoas, as despesas com habitação consistam em bastante mais qu os 35% de rendimentos disponíveis.

 

2019

HABITAÇÃO: Se excluir as obras de manutenção. E confesso que quanto a isso, estou em fase de balanço, as minhas despesas habitação estão bastante baixas: 10% dos meus rendimentos.

CUSTOS DE VIDA: Neste momento estão em 28%, muito próximo do ideal (que é 25%). Sou um pouco crítica quanto a esta rubrica porque entre alimentação, saúde são muito distintas de entretenimento.

TRANSPORTES: Estou a gastar um pouco mais do que seria desejável: 17% em vez de 15%.

DÍVIDA: zero por cento!!!!!

POUPANÇAS: Incluí aqui poupanças propriamente ditas e pagamento de prestações para sistema de reforma. Se não o fizesse, a poupança seria de cerca de 10%, em vez de 26%.

OUTROS: 19% dos rendimentos não estão alocados em rubricas fixas, funcionando como margem e se possível, poupança. 

 

Em 2013 terminei o post com Com o meu magro salário, este gráfico é incomportável. Em 2019, sinto que está muito próximo do recomendado, porém, concluo o mesmo: Suspeito que, para a generalidades das pessoas, as despesas com habitação consistam em bastante mais qu os 35% de rendimentos disponíveis.

Melhores finanças pessoais em 2019: Cartões de cliente

Descontos, 10.01.19

Uma forma de poupança também é aproveitar ofertas e promoções pelo que este post entre no leque de mini dicas.

1 (561).JPG

Nunca vos aconteceu perguntarem pelo cartão de cliente e não o terem, simplesmente porque não podem/querem andar com dezenas de cartões? 

Eu sou uma dessas pessoas. Por isso, tenho um papelito no porta-documentos que tem os números dos meus cartões-cliente.

Foto: AbsolutVision on Unsplash

Melhores finanças pessoais em 2019: I´m a material girl

Descontos, 08.01.19

Eu tenho plena consciência que o meu estado natural é ser consumista e materialista. Eu gosto de coisas. Se tivesse como pagar, onde ter e quem limpar, a minha casa seria um museu + biblioteca + zona de lazer e com piscina aquecida, claro.

A realidade é uma casa com fissuras, muitos livros e poucas estantes para os livros que tenho. Por isso começo o ano com uma operação Destralhar e, ao contrário de anos anteriores, serei muito mais incisiva.

 

Neste momento, porque tenho muitas limitações no que respeita a saídas, a casa e o que faço dentro dela será o meu principal foco: limpezas, obras de conservação, destralhar e organizar.

 

Quanto mais temos, mais gastamos, desde a aquisição à manutenção. Não só dinheiro, mas também em tempo. 

 

E porque sei que sou uma pessoa visual (no meu caso é: longe da vista, longe do cérebro), em 2019 irei fazer um registo específico do que entra e do que sai (excluído alimentação e consumíveis de limpeza), ou seja, do que comprei e do que destralhei. 

 

Alerta mensal no google calendar com o nome: operação destralhar

Criei um evento no meu calendário pessoal e nas definições indiquei que repetia mensalmente. 

Caderno físico

Fui buscar um resto de um bloco de notas para usar como registo físico. Ficará pousado junto ao computador, um local onde estou diariamente.

O caderno estava a desfazer-se por isso cobri a capa com recortes de revistas e fita cola larga.

IMG_20181230_180031_731.jpgIMG_20190101_190958_236.jpg

Fotos = lembretes

Vou utilizar a câmara fotográfica do telemóvel para me enviar lembretes do que compro ou do que destralho, se estiver fora de casa.

 

Ou seja, vou tentar anotar o que gastei e fazer um balanço mensal. O objectivo é que esse balanço mensal me faça reavaliar as compras que fiz e seja uma forma de avaliar futuras compras: Preciso? Porque quero? Vai ajudar nos objectivos das minhas finanças pessoais? O que vou deixar de comprar, para comprar isso?

Melhores finanças pessoais em 2019: Atitude positiva

Descontos, 06.01.19

Eu não sou da opinião que devemos aceitar todas as nossas circunstâncias, em especial quando são injustas. E é injusto trabalhar 40 horas por semana e viver no limite da sobrevivência, enquanto tantos enriquecem às nossas custas.

 

Porém, isso não quer dizer que não seja importante ter uma atitude positiva e pró-activa que, no mínimo, me ajude a procurar soluções alternativas para os problemas que necessito resolver:

- criar alternativas;

- aprender com erros passados;

- manter-me motivada para atingir os meus objectivos;

- valorizar os sucessos.

 

A minha vida, comparada com a de muitas pessoas, é bastante privilegiada, pelo que o mínimo que posso fazer é valorizar o que tenho e tentar não perder tempo a remoer aspectos menos positivos. No fundo, quero encontrar um equilíbrio.

Melhores finanças pessoais em 2019: Atitude pró-activa

Descontos, 04.01.19

Uma das tarefas que coloquei na lista de 2019 foi mudar as escovas limpa brisas do carro. Sei que o tenho de fazer antes da inspecção porque pelo menos uma delas está a limpar mal, talvez seca pelo verão prolongado.

Mudei há cerca de 1 ano e fiquei fula quando depois de encomendar, surge uma promoção L2P1, precisamente para o que tinha acabado de comprar.

Agora, precisando de escovas decidi colocar a página da loja online como a página inicial do meu browser de acesso à internet.

Assim, não tenho de me lembrar de ir procurar a promoção, nem corro o risco de a perder, se ela ocorrer.

Se tiver sorte e aparecer a promoção antes de ir à inspecção, a poupança será na ordem dos €25 (3 escovas Bosh).

Balanço

Descontos, 03.01.19

Confesso que ainda não fiz a revisão das despesas mensais de 2018. Todavia, sei que os saldos negativos, a existirem, são resultados de má gestão minha e não de necessidade de ajustes no orçamento.

Alguma coisa foi bem feita, porque cheguei a Dezembro sem gastar mais do que tinha e só não poupei porque achei necessário ajudar alguém e assim cheguei a cerca de €40 em donativos. Em suma, Dezembro terminou a zero.

 

Como resultado do que fui poupando, entrei em 2019 com os seguintes valores:

saúde - €33.28

auto - €109.21 (vou precisar para colocar 2 pneus e escovas, antes da inspecção) 

fundo de emergência: €70 (um valor a reforçar com urgência)

reforma: €900 

vestuário: €5

quotas: €45

luz: €91 

 

Neste momento, o meu foco principal é reforçar o fundo de emergência e para isso já ordenei uma transferência automática de €20, no início do mês, além dos valores que conseguir poupar mensalmente.

 

Espero que o vosso ano tenha sido melhor.

Orçamento para 2019

Descontos, 03.01.19

Já terminei o meu orçamento e sistema de envelopes para 2019, com poucas alterações em relação ao anterior.

2 (5).PNG

 

Electricidade e gás de aquecimento - Toda a casa tem equipamento eléctrico, com excepção de um aquecedor a gás, que utiliza botijas.

Restauração - o objectivo é não gastar mais que €7,5/semana, em café ou almoços. Posso poupar, de uma semana para a outra, mas no final do mês, o saldo positivo vai para o envelope de fundo de emergência.

Maluquices - verba para o que quiser gastar, seja em restauração, entretenimento ou livros. Os saldos, sejam negativos ou positivos, rolam para o mês seguinte.

Vestuário - inclui vestuário e cabeleireira.

Presentes - todos os presentes que compro durante o ano.

Quotas - pagamento de quotas de IPSS de que sou associada.

Casa - pequenos extras como tinteiros, acessórios de cozinha, etc.

Saúde 1 - Para medicamentos, taxas moderadoras, etc. 

Saúde 2 - Para despesas maiores como consultas no privado e mudança de lentes.

Auto - Para cobrir reparações, impostos, inspecção e seguro.

Poupança reforma - para não tocar até ser velhinha (espero eu).

Comunicações - telemóvel num pacote de comunicações.

Gasolina + estacionamento - custos em fase de reavaliação.

Obrigações fiscais/reforma - o obrigatório.

Restauração extra - as saídas com a mamã não têm orçamento.

Supermercado - Comida, limpeza e higiene.

Miúdas - Pequenas saídas com a pequenada. Como é esporádico, já não necessita de orçamento. 

Melhores finanças pessoais em 2019: Sentimento de privação

Descontos, 02.01.19

Nos últimos anos, tenho associado o sentimento de privação à menor frequência com que passei a ir ao cinema, uma despesa que cortei de forma intencional. 

Mas a realidade diz-me que é um falso sentimento de privação:

- tenho gravado inúmeros filmes e séries para ver em momentos de lazer, mas ficam por ver porque tenho sempre outra coisa que quero fazer;

- sempre que tenho ido ao cinema, tenho saído irritada com a falta de civismo de terceiros;

- uma ou duas vezes por ano tenho 1 bilhete de oferta do banco; este ano até acabei por oferecer um voucher porque não me apeteceu ir ao cinema;

- quase todos os anos tenho tido ofertas de serviços de cinema, se não são convites da Netflix para voltar, são novos serviços que aparecem (no final de ano foi um mês grátis no filmin.pt, que estou a adorar). 

 

Há sentimentos de privação que, na realidade não são realistas e preciso de lembrar-me que não ir (seja porque motivo for) é uma opção minha e não uma privação. Eu escolhi gastar esse dinheiro noutras coisas.

Pág. 2/2