Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Até que ponto...

Descontos, 07.10.13

Neste momento estou a ver os extremos da frugalidade (ou da excentricidade), uns mais exigentes que outros:

 

- pedir restos de comida das mesas de outros clientes em restaurantes;

- procurar presentes em caixotes do lixo; 

- dividir rolos de papel higiénico de duas folhas em dois rolos;

- utilizar panos higiénicos em vez de papel (certamente implicará esforço, mas decididamente será muito mais confortável);

- comprar comida com prazos de validade ultrapassados;

- procurar moedas perdidas;

- apanhar ervas comestíveis para saladas, em parques;

- comer partes de animais menos "nobres";

- entrar num sistema de trocas (trocar a declamação de um poema por um donut é uma doçura).

 

 

Comecei com os habituais juízos de valor - como esse que fez quando leu a primeira estratégia. Sim cara/o leitor/a, estou a falar consigo.

 

Depois, atinge-me o verso da medalha: este homem e os seus extremos de frugalidade permitem-no proteger, alimentar e relocalizar milhares de cães. E começo a pensar se os meus pudores do que é socialmente aceitável serão assim tão válidos.

 

Muitas das atitudes que vi neste programa não são mais que actos que poderiam ser enquadrados numa atitude de consumo consciente e sustentabilidade: reutilizar, banir o descartável, consumir tudo o que é produzido, combater o desperdício.

 

Eu cá vou lavar os dentes com a pasta de dentes que está escondida no tubo ;)

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.