Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Bata "Doutora Brinquedos" por €1.00

14.11.14

A sobrinha mais nova adora a Doutora Brinquedos, melhor dizendo: está na fase em que adora a Doutora Brinquedos. Já tinha um "kit médica" (100% desconto) que não é da boneca, mas serve para o efeito. Só faltava a bata para o "fazer de conta" ficar completo.

 

Comprei uma camisa branca (tamanho 40) na Remar por €1.00 e o resto são imagens:

bata_doutora_brinquedos_1.JPG

Como fazer uma bata "Doutora Brinquedos" por €1.00:



bata_doutora_brinquedos_2.JPG

 

bata_doutora_brinquedos_3.JPG

 

 

 

 

 

Para os bolsos, aproveitei o punho, assim o topo ficou já costurado. Os moldes são: o grande para recortar a peça e o pequeno para moldar a parte redonda e costurar.
bata_doutora_brinquedos_4.JPG



bata_doutora_brinquedos_5.JPG

bata_doutora_brinquedos_6.JPG

 O resultado foi uma bata exactamente igual à da Doutora Brinquedos (sim, porque nos desenhos animados ela não usa uma bata com o logotipo dela).bata_doutora_brinquedos_1.JPG

 Aditei uma pequena fita para o cabelo, muito parecida com esta

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Descontos 19.11.2014

    Inês, querida Inês. Este comentário é demasiado importante para o deixar aqui. Poderia passa-lo a post? Ou é demasiado exposto?

    Há tanto para discutir que nem sei bem por onde começar. Eu acredito em duas coisas: poupar na alimentação não é sinónimo de comer pior e há um limite para a poupança na alimentação que se traduz numa barreira entre uma alimentação mais pobre e mais rica (nutricionalmente falando). E o seu desabafo acerta na mouche de ambas.

    O meu primeiro passo consistiu precisamente no seu - eliminar alguns alimentos, nomeadamente os mais processados. Isso resultou de imediato em poupança - unidoses processadas ficam muito mais caras que os ingredientes para cozinhar de raíz. Essa mudança mais a substituição dos almoços de trabalho na restauração, por almoços/marmita resultou ainda numa melhoria significativa na minha saúde (perdi peso e gordura abdominal que havia adquirido apenas em 1-1 1/2 ano de comida de restaurantes - nada mais, nada menos que 15 a 20 kg.
    Note-se que não fiz dietas, simplesmente eliminei carne vermelha, as sobremesas de pudins e afins sempre no frigorífico, comida processada e pouco mais.

    Aqui, temos a mundança para uma alimentação saudável perfeitamente aliada à poupança.

    Porém, como veio a descobrir, chega um ponto em que poupar mais significa roubar à qualidade. Alimentos biológicos e integrais são mais caros que os demais. Não há vales de desconto para alimentação saudável ou frescos.

    Quando chega a este ponto (é onde eu estou), eu procuro "esticar" a poupança com o conhecimento:
    1. Todos os alimentos "biológicos" são tão diferentes dos demais? Porque na verdade podemos encontrar alimentos que, naturalmente já não serão alvo de químicos e pesticidas pelo que a diferença não se coloca. Há alguns mais tóxicos que outros?
    (iniciei o tópico aqui: http://descontos.blogs.sapo.pt/1370392.html)
    Onde é possível comprar alimentos biológicos/integrais mais económicos? Estou em fase de recolha de informação, mas os meus primeiros indícios para mercearia seca é o Lidl.
    A mercearia do bairro é o local certo para alimentos não tóxicos?

    2. É possível criar os próprios alimentos? Há um quintal onde plantar ou criar animais?

    Como vê, também tenho muitas dúvidas. Ficam as pistas para reflectir no sentido de encontrarmos as respostas.

    Aproveito para lhe dizer que eu não compro cereais a não ser corn flakes ou aveia. Eu não como iogurtes gregos mas definitivamente compro bolachas maria (são as mais "leves" dentro da actual oferta).

    E para complicar mais um bocadinho, ainda sou esquisita quanto à origem dos produtos - uma das coisas que me afasta das "frutarias de bairro" é não identificarem o país de origem dos produtos. Acho que romantizam demasiado estes locais, quando, na verdade têm pilhas de caixotes de produtos espanhóis. Não quero com isso dizer que o ser português é sinónimo de qualidade, mas é bem conhecido o mercado de compra de produtos portugueses por espanhóis porque reconhecem a qualidade e o escoamento dos seus produtos "menores" no mercado português.

    Como referi... mais dúvidas que respostas.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.