Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Como poupar e estourar o orçamento em livros

fabian-blank-78637-unsplash.jpg

 

Eu tenho uma relação de amor e ódio com os livros. Adoro tê-los, lê-los, falar sobre eles, mas odeio o que gasto com eles. Desde o início do ano, tenho gasto uma média de €32 na rubrica cujo orçamento era €10/mensais. Eu tenho plena consciência de que não preciso de comprar livros para alimentar o meu "vício".

 

Neste momento, eu adquiro livros por diversos meios: 

 

1.

Bibliotecas púbicas

Tenho cartões de 3 bibliotecas públicas, sendo que utilizo com maior frequência a que fica junto ao meu local de trabalho, que é também a que possui o melhor catálogo.

Livros grátis, variados, modernos ou antigos, consoante os meus desejos do momento. E ainda compram livros que eu sugira. 

Tem a vantagem de, mesmo quando pego em livros por impulso (que nem chego a ler), isso não me custa dinheiro.

 

2.

Lojas solidárias

É onde estouro o orçamento, dado os preços que encontro. Tenho de implementar um sistema realista em que vendo alguns para suportar os custos dos outros, caso contrário, os gastos fogem do meu controle. 

O problema das pequenas despesas, é que estas se acumulam.

 

3.

OLX e alfarrabistas

Já começa a ser muito raro, mas quando quero adquirir um livro para a minha biblioteca, começo por procurá-lo em páginas de livros usados.

 

4.

Winkingbooks

Esta plataforma de trocas de livros continua a minha preferida. Na verdade, neste momento, é o único local onde estou a fazer trocas de livros.

 

5. 

BookFinder

Eu tenho a vantagem de ler em inglês sem dificuldades pelo que posso comprar livros muito mais económicos no mercado internacional. Para isso, comparo os preços com o comparador de preços bookfinder. Não é perfeito, mas é muito bom.

 

6.

NetGalley

 

O NetGalley é um serviço que disponibiliza, de forma gratuita, versões iniciais e finais de livros para revisão/opinião por leitores profissionais ou amadores. É, neste momento, a minha fonte de leitura de livros contemporâneos, tal é a oferta.

Explico melhor o funcionamento aqui.

 

7.

AwesomeBooks

Esta foi uma das melhores dicas que recebi para a compra de livros usados. Aqui tenho conseguido comprar alguns clássicos, especialemente escritos por mulheres, que não chegam ao mercado nacional. Tem a vantagem de ter portes de envio de cerca de €3, independentemente do número de livros.

E a quase totalidade dos livros que compro são entre os €2 e os €2.50.

 

8. 

Livros digitais

Recentemente comprei um tablet usado (irei falar sobre isso), o que aumentou consideravelemente o meu consumo de livros digitais. 

Há inúmeras plataformas de livros digitais gratuitos que utilizo (além do já referido NetGalley): Kobo, Kindle, Project Gutemberg, Luso Livros, ...

 

Em suma, só ultrapassa o orçamento mensal em maluquices, por causa de livros, quem não tem juízo nenhum.

9 comentários

Comentar post