Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais - semana 32/2014

Descontos, 13.08.14

Que atraso no meu "diário".... 

 

O sistema dos envelopes

 

Estou em férias pelo que não faria sentido manter a separação entre restauração e "maluquices". Assim, decidi ignorar a distinção e fazer uma pausa, unindo os gastos supermercado+maluquices+restauração.

 

Entretenimento

 

A semana foi calma, com excepção à saída para a Feira Medieval de Santa Maria da Feira. Foi um dia completo e cheio de divertimentos. Um cálculo mal feito fez com que fossemos de manhã, quando só abriam às 15h00. Mas isso trouxe vantagens porque até essa hora não se pagavam entradas. Assim, pudemos entrar, passear no castelo, almoçar (piquenique) e voltar a entrar sem qualquer custo.

 

Levamos piquenique e encontramos um campo que servia de parque de estacionamento, com um fantástico castanheiro e um relvado com menta. Um excelente local para um almoço ao ar livre (com vários itens com 75% de desconto ou mais).

 

 De resto, as minhas férias têm sido passadas entre organizar a casa pós-obras e a descansar com muitos filmes DVD. Com efeito, tenho-me entretido a ver filmes que estavam por visionar - ofertas de revistas ou jornais (inclusive doados pelo meu pai),  ex-aluguer que consegui quando o videoclube fechou, etc... Faz parte de uma resolução pessoal - vejo ou tenho de os destralhar.

 

Poupança na cozinha

 

O quintal está a dar os seus frutos pelo que estou numa fase de organização do congelador. A produção de tomates tem sido fantástica pelo que o desafio tem consistido em congelar de forma a ocupar o menor espaço possível. Por isso, além dos tomates congelados inteiros, também os desfaço com a varinha mágica e congelo em unidoses mais compactas (como aqui e aqui).

 

E é preciso gastar o que se comprou. 

 

Por exemplo, hoje é dia de organizar as arcas congeladoras da casa dos meus pais e inventariar o que há.

 

DIY

 

Tenho investido bastante no meu DIY, fazendo remendos, embelezamentos e até umas coberturas para uns bancos. Tudo que faço, são coisas que não preciso comprar.

 

Faca partida

 

Acreditem ou não, parti uma faca ao cortar Magnum. Era parte de um cutelo que a minha mãe me ofereceu quando passei a viver sozinha. Já tem uns bons 15 anos. Era a minha faca preferida. 

Fomos à casa onde ela a comprou para ver preços e qual não é a minha surpresa quando a funcionária me informa imediatamente que iria contactar a marca no sentido de a mesma ser trocada (sem garantia). 

Ainda não tenho a resposta, mas ainda assim é um excelente serviço. Comércio tradicional + marca portuguesa ICEL ;)

 

As minhas poupanças 

 

Finalmente chegou a hora de pagar as obras em casa. É tão triste ver as nossas poupanças diminuirem abruptamente numa única transferência. No próximo ano tenho de reparar o telhado. Estou a orçamentar (por alto) 2 a 3 mil euros para isso. Já tenho €1.000 pelo que tenho de conseguir poupar cerca de €166/mês para atingir o meu objectivo.

 

Por isso, férias em casa, gastos contidos, "maluquices" controladas e todas as estratégias de poupança que puder em acção.

 

Sabem o que me diverte? Poupar €50.00 e adiantar um mês no envelope da electricidade.

 

(Bolas, esqueci-me de dar a contagem da luz; fi-lo agora e deu-me a mensagem "foi considerada fora dos limites" e eu adorooooo essa mensagem). 

1 comentário

Comentar post