Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Objectivo 2020: Usar o que tenho

07.09.20

Ao contrário do que poderá pensar a generalidade das pessoas que lê este blog, eu sou tendencialmente consumista. Gosto de ter e de comprar.

 

Todos os dias, preciso contrariar essa tendência e tentar não gastar.

IMG_20200831_213348_172.jpg

Um excelente exemplo é o meu novo passatempo (bordado livre), para o qual tenho já uma lista mental de coisas a adquirir.

 

Usar o que tenho e resistir a comprar novo, para mim, implica disciplina.

 

Os extras que quero comprar, não são necessidades, são desejos que:

- aumentam as minhas despesas,

- aumentam a minha pegada ambiental,

 - aumentam o número de objectos que tenho de arrumar em casa.

 

Frequentemente, somos confrontados com escolhas: comprar ou gastar o que tenho.

 

Ontem acabou-se o meu hidratante corporal xpto (que deveria usar mais do que uso) e por isso, em vez de comprar um novo, vou gastar os diferentes cremes e loções que que ainda tenho.

 

Também não vou comprar queijo fatiado até terminar de comer o queijo fundido (a terminar o prazo de validade).

 

E não vou comprar uma garrafa térmica nova, quando tenho dois copos térmicos que foram ofertas de produtos. Sei que estou a adiar, mas quem sabe se não há uma oportunidade futura que torne a compra inútil.

 

Para poupar, eu sei que tenho de gastar o que tenho, seja em materiais de bordado, a comida no frigorifico, a roupa que visto ou os produtos de higiene e limpeza.

 

Este é um exemplo em que menos consumo = maior poupança.

(continua)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.