Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Porque poupo para a reforma

07.06.18

Utilizei a ferramenta de simulações da Segurança Social Directa e uma coisa é certa, se tiver de adivinhar, quase aposto que daqui a + 20 anos, o valor será inferior:

Capturar (125).JPG

Se aos meus 20 anos, eu soubesse o que sei hoje, as minhas escolhas teriam sido diferentes. Teria investido muito mais na minha "velhice". 

É por isso que, neste momento poupo para a reforma, pois isso contribui para a minha paz de espírito. Eu sei que, sendo uma mulher solteira, tenho dois factores de risco para pobreza (dados Pordata). 

 

limiar da pobreza " é o termo utilizado para descrever o nível de renda anual com o qual uma pessoa ou uma família não possui condições de obter todos os recursos necessários para viver" (Wikipédia). Ora, em Portugal o limiar de risco de pobreza é de €5.443 (valores de 2016), ou seja, €453/mensais. 

 

Assim e enquanto puder, continuarei a fazer outras poupanças para a minha reforma:

- contribuição para um segundo subsistema contribuivo;

- poupança de €100/mensais (transferência automática, no início do mês, para um depósito a prazo).

 

Objectivo: chegar à velhice a ter com que viver, em vez de sobreviver.

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Descontos 07.06.2018

    Não Ana, lamento mas é um subsistema de pensões. Ou tem uma profissão que tem um subsistema ou não pode descontar por aí.
  • Sem imagem de perfil

    Ana Pereira 07.06.2018

    Então não posso mesmo. Trabalho por conta de outrém. Desconto para a Segurança Social. Ouvi falar de um seguro para compensar a reforma, mas ainda não descobri como funciona. Também ando a pensar nisso! Obrigada
  • Imagem de perfil

    Descontos 07.06.2018

    Está a referir-se aos certificados de reforma do Estado?
    http://www.seg-social.pt/certificados-de-reforma

    Tendo em conta que há um período mínimo de permanência de 1 ano (a renovação é anual), permita-me uma sugestão: primeiro desconte o equivalente a 1 ano para uma conta a prazo e depois inscreva-me, ficando sempre com esse ano de reserva, como fundo de emergência. Assim, se tiver alguma dificuldade, sabe que consegue continuar a pagar nesse ano, sem ter chatices com a SS.

    Mas tenha sempre em atenção que é um fundo de investimento e que não há garantia de capital. Pelo que andei a ler, a rentabilidade anda pelos 4.4%, mas sempre com a desvantagem que não poderá tocar no dinheiro até à reforma. Já num PPR privado, isso seria possível, com penalizações, mas possível.
  • Sem imagem de perfil

    Ana Pereira 07.06.2018

    Acho mesmo que era a esses que se referiam quando falaram comigo sobre o assunto. Mas se há risco associado já não me interessa. Vou reforçar o PPR que tem capital garantido e é resgatável nalguma eventualidade. Obrigada, não tinha entendido assim no site da SS.
  • Imagem de perfil

    Descontos 07.06.2018

    Confesso que ainda não me decidi por um PPR, mas dê uma espreitadela neste artigo: https://www.deco.proteste.pt/investe/ppr-do-estado-ganhou-4-em-2017-s5164744.htm
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.