Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Revolut - Aplicação com cartão de crédito / débito pré-pago

Descontos, 05.03.18

[05-03-2018: Actualizado com nova data de oferta grátis]

 

O email começava com: Já ouviste falar? A resposta era: claro que não! 

a

www.revolut.com/pt/

 

O Mano, nas viagens de trabalho fora do país, começou a utilizar uma aplicação com cartão de crédito / débito pré-pago, cuja principal vantagem é não cobrar taxas internacionais.

 

 

Como funciona:

 

Instalas a aplicação e pedes o cartão de crédito / débito por 6 € [Grátis até 9 de Março]. Dura 4 anos por isso, já bate a anuidade de muitos cartões de débito.

Depois podes carregar por transferência ou por outro cartão. Tens controlo total dos movimentos, podes desactivar o cartão, a banda magnética do cartão, o contactless do cartão, enfim, tens mais controlo.

Mas o que é fixe é que, nos movimentos lá fora (e ao contrário de outros cartões), não te cobra taxas internacionais.
E os câmbios são aceitáveis, nada de exorbitante. 

 

 

Nas minhas finanças pessoais, também uso um "cartão de crédito" pré-pago, sem custos, para poder pagar, com segurança na Internet. 

Para já não preciso de converter moeda, mas parece-me útil, para quem viaje em férias ou trabalho. Fica a dica.

 

 

Não, este blog não é patrocinado e nem tem link de afiliado. 

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Ricardo_A 12.12.2019

    Não percebi exactamente o que pretende fazer por isso vou deixar vários pontos que talvez respondam à questão:
    - Não se pode usar um cartão multibanco de um banco português (por exemplo da CGD) como se fosse Revolut.
    - Aquilo que pode fazer é criar um MBWay com esse cartão CGD, criar um cartão de crédito virtual no MBWay e com esse cartão carregar a conta Revolut. Este processo penso que seja gratuito em todos os bancos.
    - Também pode carregar a conta Revolut fazendo uma transferência da CGD para a conta Revolut, usando o IBAN que tem na Revolut (pode ter custos de transferências internacionais na CGD).
    - Finalmente, como já foi dito no comentário anterior, pode pedir um cartão de débito à Revolut. Penso que custa 5 euros. Esse, sim, é como se fosse um cartão de débito e pode ser usado para compras em comerciantes da rede Mastercard.
  • Imagem de perfil

    Descontos 12.12.2019

    Não esquecendo que, sendo uma conta internacional, deverá ser declarada às finanças, penso que só com o IRS.
    Não sei se em outro momento declarativo isso deverá ser feito, mas parece-me importante ter isso presente.
  • Sem imagem de perfil

    Ricardo_A 12.12.2019

    Até agora era uma área cinzenta (as próprias finanças emitiram um comunicado por altura da entrega do IRS https://observador.pt/2019/04/18/financas-esclarecem-duvidas-contribuintes-nao-tem-de-declarar-contas-no-revolut-no-irs/).
    Contudo, na semana passada a Revolut obteve oficialmente a licença bancária para a UE e, como tal, vão começar a operar como se fossem um banco normal a partir de meados 2020, salvo erro. A partir daí será mesmo obrigatório incluir esta informação.

    Eu, por precaução, tenho declarado (anexo J quadro 11 ) até porque o futuro esquecimento desta obrigação pode fazer com que o prazo de caducidade do IRS passe de 4 para 12 anos (LGT artº 45 nº7).
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.