Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

14 semanas para uma revisão das minhas finanças pessoais - 4 e 5

Descontos, 08.03.16

O 4º passo para uma revisão das minhas finanças pessoais é contabilizar toda a dívida. As minhas contas foram fáceis de fazer: zero. 

 

 

Não admira que me tenha esquecido de publicar o post na semana passada. Sugiro a leitura deste post.

 

Por isso, decidi saltar para o 5º passo que é de rever o meu orçamento. Porque é expectável que tenha um corte no salário, num futuro próximo, é importante rever o meu orçamento, nomeadamente para perceber onde posso cortar - e felizmente eu tenho onde cortar.

 

Outra coisa em que tenho reflectido é na criação de rendimentos adicionais. Não tenho trabalhado suficientemente nessa área do meu orçamento, mas sinto que estou mais organizada/estruturada para pensar em formas de gerar mais dinheiro. 

 

Para esta semana, o meu plano está estabelecido.

14 semanas para uma revisão das minhas finanças pessoais - 2

Descontos, 21.02.16

Esta semana estive a mudar de sistema operativo e tudo se atrasou. O meu objectivo era, nesta revisão das minhas finanças pessoais, analisar os meus rendimentos e despesas, mas ainda não terminei.

 

Quando decidi assumir um percurso de maior responsabilidade, almejando uma vida livre de ansiedade financeira, este foi precisamente o primeiro passo. Coloquei os rendimentos e as despesas numa simples folha excel e os resultados foram francamente assustadores: as minhas despesas correntes eram superiores aos meus rendimentos.

 

No fundo é rever estes pontos: património, rendimentos, dívidas, despesas, a situação financeira.

 

Para mim, foi uma tarefa extenuante e geradora de grande ansiedade e durante algum tempo, adiei a análise da minha situação financeira.

 

Uma das coisas que esta tarefa me obrigou a fazer foi imputar mensalmente os valores dos pagamentos anuais, o que alterou por completo a visão que eu tinha do meu orçamento. É que uma coisa é dizer que gasto 50 euros mensais com o carro por causa da gasolina, outra coisa é somar-lhe a média mensal de reparações, seguro e imposto de circulação.

 

Nisso, os envelopes têm sido uma ajuda preciosa. Eu já não sinto que vivo de salário a salário porque me aparecem contas extras num determinado mês que "comem" o salário. Isso acontece porque deixei de as considerar como extras. Garanto-vos que isso me trouxe uma considerável paz financeira.

 

Próximo post: alguns recursos para registar despesas/receitas.

 

Todavia, não precisam de nada mais que uma folha de papel, um lápis e uma calculadora.