Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Finanças pessoais em tempo de pandemia

Descontos, 07.05.20

Se estes dias forem passados com comida na mesa e os números continuarem a ser apenas números, então estamos com sorte.

 

Sorte por ter um emprego que continua a pagar o nosso salário, sorte porque não fomos (ou os nossos) atingidos pela doença e morte. Ou sorte por ter nascido numa família que me pode ceder uma casa livre de rendas, por exemplo.

 

Sinto-me igualmente grata pela sorte de ter nascido num estado social e democrático que tem conferido alguma protecção aos seus cidadãos, no âmbito desta pandemia.

 

A seguir à arbitrariedade da vida, entram as nossas escolhas pessoais e aí, sinto-me grata ter aprendido em tempo útil que era importante não ter créditos para pagar, ou mensalidades disto e daquilo. Também de que precisaria, para tempos mais duros, de ter um fundo de emergência.

 

A minha atitude catastrofista também me tem ajudado. Porque espero o pior, preparo-me para o pior e isso tem sido útil.

 

Mas o que dizer a outros, que não soe a moralismo ou vanglória?

 

Apenas me resta continuar a ser honesta nas partilhas, a tentar promover a ideia dos méritos de uma vida sem dívidas (algo em que acredito com paixão) e da frugalidade como caminho para uma vida mais livre.

Não sou perfeita

Descontos, 28.12.17

O dinheiro de Pedrogão Grande continua algures. A julgar pelas pessoas que ainda dormem em casa de familiares e tendas (como vimos nas reportagens de Natal, 6 meses depois), não chegou a quem queríamos dar. Raríssimas. A máfia partidária a legislar em proveito próprio.

 

Hoje, risquei um carro ao estacionar. A cabeça estava noutro sítio. Pouca coisa, mas estava lá. Decidi andar. E andei 5 a 10 metros a dizer-me que o meu carro estava cheio de riscos não assumidos, que só eu sou "parva", que provavelmente não vão querer nada.

 

Não sou perfeita. Estou cansada de lutar contra moinhos. Não queria mais uma coisa a ter de gerir.

 

Voltei para trás, mas estou cansada.