Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Reset

Descontos, 07.08.20

A difficult lesson to learn Your most persistent d

Ultimamente tenho repensado as minhas finanças pessoais, nomeadamente sobre os motivos que resultaram num constante adiar de objectivos e metas.

 

A pandemia demonstrou que posso poupar mais, evitanto a restauração e "maluquices" e isso poderá trazer-me uma rápida reconstrução do meu fundo de emergência.

 

Por falar em fundo de emergência, esse e cerca de 400 € da minha poupança "reforma" foram utilizados para obras em casa, de modo a adaptá-la a pessoas com mobilidade reduzida. Ainda me faltam uns corrimões exteriores.

 

A "urgência" dessa obra também surgiu com a pandemia, que reforçou algumas ansiedades, como por exemplo a minha decisão se me exigissem voltar ao trabalho, quando eu considerasse ser demasiado arriscado para a minha mãe.

 

Estou a aproveitar este momento de calma para repensar algumas estratégias e rubricas no meu orçamento.

Penso que é o momento para isso, especialmente por não sabemos o que os próximos tempos nos trarão.

Diário das minhas finanças pessoais - Junho 2020

Descontos, 03.07.20

Como andam essas despesas mensais?

As minhas bem e recomendam-se.

desp.JPG

E perguntam... mas ainda não mudaste de rede tlm? Pois...ando esquecida, é o que é!

O supermercado está a voltar a níveis normais.

Já as maluquices, foi o saco onde enfiei muita coisa que não deveria estar aqui. Tenho que revisitar as rubricas e adequá-las a algumas alterações.

 

poup.JPG

Já as poupanças deste mês, foram excelentes, atingindo 50% do meu salário, o que é o meu ideal.

Se bem que estou a fazer um pouco de batota porque a saúde e o carro não são, na verdade, poupanças, mas despesas anuais para as quais estou a guardar a verba necessária.

 

Julho à vista

- espero que a máquina de lavar louça volte reparada (com a conta);

- se tudo correr bem, vou fazer uma pequena, mas importante obra na casa de banho, orçada em €1230;

- vou comprar uns patins usados para uma sobrinha, 15 €;

- vou gastar alguns dinheiro na reparação da bicicleta para outra sobrinha;

- quero reforçar o stock de bens alimentares e vou aproveitar as melhores promoções de cada semana de modo a poupar.

 

Por isso, acabaram-se as maluquices.

Julho é mês de apertar o cinto em tudo que não seja essencial. Preciso de poupar o máximo possível para a obra que, já de si, vai "comer" o meu fundo de emergência... outra vez.

Diário das minhas finanças pessoais - resumo

Descontos, 01.06.20

Não é que não fosse registando as despesas, nos últimos meses, mas a verdade é que optei por não me preocupar com isso, quando estava em casa. Tenho os registos diários, mas sei que têm buracos.

 

De relevo, os quase 300 € que gastei com o carro em Março. Duro, mas necessário. É para isso que serve a poupança mensal de 50 €: para cobrir despesas que inevitavelmente terei, no decurso de um ano.

Em poupanças para despesas anuais (saúde + carro) tenho cerca de 900 €.

 

Poupei IMENSO em gasolina. Gastei cerca de 80 €, desde o início de Março e tenho o tanque cheio. Também tenho um voucher de 25 € para gasolina, que já comprei no ano passado.

 

Naturalmente que também poupei em restauração, mas gastei mais em donativos e comprei alguns livros para ajudar pequenas livrarias independentes. Aqui, ficou mais ou menos equilibrado.

 

Tenho comprado cerca de 2 revistas por semana, para a minha mãe, que tem estado em confinamento estrito. Ou seja, o orçamento para prendas já bateu no tecto. Mas eu tenho margem e ela merece e precisa da distração.

 

Em poupança extra, para o meu fundo de emergência, foram mais de 400 €. Mas 70 € já foram para o picheleiro e estou a contar com uns 200 € para a reparação da máquina de lavar louça.

 

Gastei muito mais em supermercado. Notei que paguei mais pelo mesmo, até porque quase sempre me circunscrevi à mercearia local. Mas foram gastos feitos em tranquilidade. Muito grata por isso.

 

E já estamos em Junho...

Finanças pessoais em tempo de pandemia

Descontos, 07.05.20

Se estes dias forem passados com comida na mesa e os números continuarem a ser apenas números, então estamos com sorte.

 

Sorte por ter um emprego que continua a pagar o nosso salário, sorte porque não fomos (ou os nossos) atingidos pela doença e morte. Ou sorte por ter nascido numa família que me pode ceder uma casa livre de rendas, por exemplo.

 

Sinto-me igualmente grata pela sorte de ter nascido num estado social e democrático que tem conferido alguma protecção aos seus cidadãos, no âmbito desta pandemia.

 

A seguir à arbitrariedade da vida, entram as nossas escolhas pessoais e aí, sinto-me grata ter aprendido em tempo útil que era importante não ter créditos para pagar, ou mensalidades disto e daquilo. Também de que precisaria, para tempos mais duros, de ter um fundo de emergência.

 

A minha atitude catastrofista também me tem ajudado. Porque espero o pior, preparo-me para o pior e isso tem sido útil.

 

Mas o que dizer a outros, que não soe a moralismo ou vanglória?

 

Apenas me resta continuar a ser honesta nas partilhas, a tentar promover a ideia dos méritos de uma vida sem dívidas (algo em que acredito com paixão) e da frugalidade como caminho para uma vida mais livre.

Balanço de uma década (?)

Descontos, 26.12.19

Achei muito curioso ouvir num podcast que a revisão anual é muitas vezes uma revisão mensal,  porque basicamente temos má memória.

É mais fácil lembrar os sucessos e fracassos recentes e esquecer os progressos e erros de Janeiro e Fevereiro.

 

O título de um post sobre finanças pessoais, colocava uma questão desafiante: estás melhor hoje, que há um ano atrás?

 

Inevitavelmente, a minha mente vai para o meu fundo de emergência, "comido" pela segurança social.

 

Depois, pensei na última década que praticamente coincide com a criação do blogs e assustou-me pensar no pouco que tinha poupado para o meu objectivo final: ter uma poupança que me permitisse vir para casa e cuidar da minha mãe.

 

Só depois de muitas horas de frustração, é que me veio à memória o facto de ter poupado para eliminar dívidas, para mudar o soalho (que estava a abater), para mudar o telhado (que estava a deixar entrar água). Começo a fazer as contas por alto e passa os €15.000.

 

Esse dinheiro, é um misto de recuperação de erros e de responsabilidades. É também um sentimento de dever cumprido.

 

Assim, um pouco mais tolerante comigo própria, concentro-me no reforço do fundo de emergência.

Diário das minhas finanças pessoais - Novembro

Descontos, 02.12.19

Confissão: eu não gosto nada de Dezembro. Passo o mês a contar os dias para ser Janeiro. Demasiado frio, demasiados gastos, demasiado stress, demasiado trânsito, demasiado escuro...

Mas a vós, desejo-vos um excelente mês de Dezembro...

 

Mas voltemos atrás porque preciso apresentar as minhas contas de Novembro. Outubro foi uma desgraça, mas em Novembro consegui recuperar o saldo negativo do mês anterior.

 

Gastos de Novembro

Saúde: €18.39

Aquecimento/luz: €25

  • apenas uma garrafa de gás

Restauração: €29.89

Restauração extra: €31.90

Supermercado: €84,10

  • Apesar de ter ficado acima do orçamento mensal, há aqui muita poupança. Comprei várias coisas para stock (azeite, atum, enlatados...)

Maluquices: €23.59

  • Continuo a gastar acima do meu orçamento (€10). Ai os livros...

Carro: €90.78 + €232.58

  • Mais do que pensava, mas cheguei ao final do mês com meio tanque de gasolina.
  • Os €232.58 são do seguro auto que, por inércia, não revi este ano. É um assunto a tratar em 2020.

Casa: €5.50

Telemóvel: €14.40

Prendas: €84.87

  • O meu envelope está vazio. Mas tenho quase todos os presentes de natal comprados.
  • Também está aqui o presente Pai Natal Solidário CTT.
  • Aqui estão mais de €50 em ajudas técnicas para a minha mãe, que ela não compraria para ela por desconhecimento ou porque eu quero manter assim. Só entra em "prendas" porque me pareceu ser o envelope mais indicado, mas são necessidades.

Vestuário: €4.00

 

Poupanças na conta bancária

€ 50 - envelope saúde 2

€ 50 - envelope automóvel

€ 60 - envelope reforma

€ 20 - envelope fundo de emergência

 

Não está mau, mas poderia estar melhor.

Não vale a pena reforçar o fundo de emergência com o que sobrou, porque sei que o gastarei em Dezembro.

 

Hoje é dia de rever a lista de presentes por comprar.

Mas também ver se vou a tempo de fazer (em vez de comprar). Pouparia imenso se aproveitasse o que já tenho (tecidos e materiais) para fazer três ou quatro presentes caseiros.

 

Quero muito fazer deste mês um bom final de ano.

Diário das minhas finanças pessoais - Outubro

Descontos, 01.11.19

Uau!

 a vossa influenciadora (a preferida, claro) conseguiu a proeza de, em Outubro,  terminar o mês com um saldo negativo de 160 €.

 

E vocês perguntam como? E eu respondo: com uma série de disparates, mas também com alguns gastos controlados.

 

Com o carro gastei 88,97 € quando meu orçamento  prevê 80 € por mês.

 

Gastei 33,80 € em restauração, ultrapassando o orçamento em 3,80 €.

Também gastei 22,38 € restauração extra. 

 

Na rubrica maluquices,  em que podia gastar 10 € por mês, gastei  47,25 €. Metade esse valor, foi em livros.

 

As despesas com o supermercado, que não costumam ultrapassar os 80 € do orçamento,  chegaram a 155 €.  

Este é um dos casos de despesas controladas.  Fiz despesas extra em stock e ainda em alguns ingredientes especiais, como por exemplo 15 € em adoçante stevia para cozinhar no natal.

O meu envelope para a casa continua negativo e este mês gastei 53 €, ao comprar ferramentas para a bicicleta, vouchers da Media Markt e do  MEO videoclube (ambos com cerca de 50% de desconto) e uma nova agenda.

 

Gastei também, mas dos envelopes 13 € para prendas e 13 € para a saúde. Ou melhor,  eu penso que gastei do envelope, pois na verdade não me recordo se tirei o dinheiro ou não.

 

Mas como,  no envelope ou na conta bancária, o dinheiro é meu,  não me preocupo com isso.

 

Quando eu digo que entrei com saldo negativo,  não significa tivesse efetivamente saldo negativo na conta mas simplesmente que paguei contas que recebi em Outubro ( e para mim,  o mês de recepção é o mês de pagamento), já com o salário para Novembro.



E como Novembro é para mim o mês em  antecipo as compras de Dezembro (antecipação que já comecei em Outubro),  vou necessitar uma considerável gestão e disciplina para não repetir o saldo negativo.


Espero sinceramente que se tenham portado melhor que eu, este mês.

Diário das minhas finanças pessoais - Setembro

Descontos, 01.10.19

Depois de um interregno para limpar a mente e fazer alguns testes, retornei à minha zona de conforto, com registos diários e revisão semanal.

 

Cheguei ao final do mês "apenas" com as poupanças habituais e uma extra de €16.

 

E aqui podemos dividir dois grupos de pessoas:

- as que pensam que €16 é nada, nem vale a pena sair do porta-moedas e "rola" para o mês de Outubro;

- as que encaminham os €16 euros para a conta poupança do "fundo de emergência".

 

Eu não sou perfeita. Não sou um guru de finanças pessoais (DE TODO)! E irão constatar a minha falta de disciplina nas contas abaixo.

MAS, eu sou das pessoas que persiste, mesmo quando (enquanto) faz asneiras. E por isso, ainda que lenta e penosamente, vai avançado.

 

Hoje, o meu fundo de emergência, depois deste episódio, ultrapassou a primeira barreira: €100, graças aos magros €16.

 

Mantenho-me em dia para comigo mesma:

- as poupanças habituais em dia;

- zero dívida em cartão de crédito ou outro (mesmo quando uso o cartão de crédito para qualquer pagamento na internet, faço pagamentos pontuais a 100% para o manter a zero).

 

Gastos em Setembro:

€ 32.30 em restauração - Basta uns dias a não levar a marmita e lá se vai o guito.

€ 12.40 em restauração extra - Esta verba não é para poupar, é para aproveitar. Pingos e lanches com a mamã.

€ 70.38 em maluquices - Esta rubrica foi um descalabro... de livros.

E depois andei a jogar no euromilhões (€5.00/semana enquanto não saem os 190 milhões. Teria sido pior se não tivesse vendido alguns livros no OLX e ganho €10 no euromilhões.

€ 83.69 em casa - Ando a fazer melhorias no meu portátil. Comecei por um disco SSD que custou €55. Depois 2 pens, por avaria de uma que tinha. Em Outubro planeio comprar memória RAM.

Ainda aproveitei para comprar um voucher da MediaMarkt por €14.50 que vale €25.00. Era um bom investimento.

€ 90.97 em supermercado - Algumas compras seriam desnecessárias, se tivesse planeado melhor. A corrigir.

€ 56.81 em carro - Vou ter muitas saudades da poupança que andava a fazer com os vouchers da CEPSA.

€ 15 em miúdas - Para reforçar os respectivos mealheiros. :)

€ 16.00 em vestuário - Comprei uma sapatilhas usadas-novas-para-mim e um casaco de malha.

 

Espero que o vosso mês tenha corrido melhor.

Outono, aqui vou eu.

Diário das minhas finanças pessoais - Março

Descontos, 18.04.19

18.04.2019 - Descobrir que tinha este post nos rascunhos, quando pensava já ter publicado. Aqui vai...

 

O mês de Março terminou com saldo negativo (-35€). Porém, sem que tal me deixasse muito preocupada.

 

Por um lado, foi um mês em que gastei €286 com o carro, um valor que não estava inteiramente coberto pelo que tinha poupado no envelope "AUTO". Na verdade, faltou-me cerca de €70 euros. Ponto positivo: só gastei €45 em gasolina (quase metade do habitual).

 

Por outro lado, foi um mês extraordinário em donativos, mas essa despesa foi quase toda coberta por vendas que fiz este mês e que quase chegaram aos €30.

 

Fiz batota e não recorri ao fundo de emergência. Adiantei-me com o salário de Abril e digo-vos já que planeio recuperar o dinheiro "perdido".