Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Calendário Escolar 2019/2020

Descontos, 19.06.19

Capturar.JPG

Foi publicado em Diário da República o novo calendário escolar para 2019/2020.

 

No que respeita aos estabelecimentos públicos da educação pré -escolar e do ensino básico e secundário, o calendário é o seguinte:

 

1º Período lectivo:
entre 10 e 13 de Setembro de 2019 a 17 de dezembro de 2020

 

2º Período lectivo:
6 de Janeiro de 2020 a 27 de Março de 2020

 

3º Período lectivo:
14 de abril de 2020 a 4 de junho de 2020 (9.º, 11.º e 12.º anos), 9 de junho de 2020 (5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos) e 19 de junho de 2020 ( Educação pré -escolar e 1.º ciclo do ensino básico)

 

Férias escolares:

18 de Dezembro de 2019 a 3 de Janeiro de 2020

24 a 26 de Fevereiro de 2020

30 de Março a 13 de Abril de 2020

Desabafo - Sobre as festas escolares

Descontos, 04.06.19

Quando percebi que os professores estavam a solicitar que os cadernos escolares fossem apenas os pretos - mais económicos e niveladores -, eu louvei a iniciativa.

 

Porém, parece-me uma acção absurdamente demagógica tendo em conta o que começa a verificar-se nas festas escolares de fim de ano, em que pedem aos pais fantasias que podem ascender aos €30-€40, para teatros e recreações históricas diversas. E se não são fantasias, são tshirts de uma cor com calças assim e assado.

 

Neste momento estou envolvida em 2 projectos de costura para esse tipo de eventos. Mais, conheço mais que uma mãe que  optou por tirar a filha da escola nesse dia, por não ter como incorrer na despesa.

 

Ao exigirem este tipo de extras aos pais, estão na verdade a sobrecarregá-los ou a excluírem as crianças cujos pais não podem/querem gastar esses valores estapafúrdios em fantasias. Uma ou outra opção são inadmissíveis, nos dias que correm.

Livros e material escolar

Descontos, 04.09.15

Esta semana, um dos cabeçalhos noticiosos reportava que há pais a incorrerem em dívidas para pagar o material escolar. Não me surpreende, pois apenas em livros podem gastar uma boa parte dos seus rendimentos mensais.

Apesar da lei obrigar à manutenção dos manuais escolares durante 6 anos, isso continua a ser uma ficção, graças à cumplicidade entre professores, escolas, editoras e governo. Escolas a exigir as novas versões e as editoras a ganhar dinheiro à custa dos pais.

É neste período, que o meu envelope de material/livros me é precioso, pois nele vou poupando uma pequena verba mensal.

Durante o ano, aproveito todas as promoções e oportunidades. Por exemplo, comprei uma almejada mochila mais resistente de €40.00 que ficou por €15.00 depois de utilizar um cupão de €5.00 (obrigada S.) e 50% desconto em talão (fácil de converter noutro material, mas também tenho quem mo gaste).

 

Claro que o meu mini envelope de €5.00/mês (€60.00) não é suficiente para todas as despesas. Mas grão a grão...

 

Fica a sugestão: que tal começarem por um único envelope? Advirto, porém, que isto de poupar para envelopes é viciante.

Livros infanto-juvenis

Descontos, 17.06.15

As notas só sairam ontem, mas eu já estou a pensar no próximo ano lectivo da pequenada. Uma das minhas preocupações, todos os anos, é incentivar a leitura. É por isso que troco livros, procuro informar-me sobre o que é importante, sobre promoções, sobre livros usados...

 

A qualidade de tia não me permite responsabilizar-me por recolhas e entregas de livros de bibliotecas pelo que fiz uma biblioteca caseira.

 

Mas o que escolher? O que é indicado para a idade X ou Y? O que será necessário/útil para a escola?

 

Os livros

Eu faço as minhas escolhas utilizando como indicadores duas fontes: Plano Nacional de Leitura e as listas que aparecem nas "METAS CURRICULARES DE PORTUGUÊS" (em fase de actualização). 

 

As "METAS CURRICULARES DE PORTUGUÊS" podem ser consultadas aqui (listas de livros nas páginas 70 e seguintes). Houve uma pequena alteração que poderão consultar aqui. Tenham em atenção que a lista pode sofrer alterações, mas isso não faz com que a obra deixe de ser relevante. Ler é bom!

 

Geralmente, para as férias tento ter sempre dois livros, um do ano que terminou e outro do ano lectivo seguinte. Procuro sempre escolher um livro interessante, de acordo com os gostos pessoais da miudagem.

 

Os poemas e os contos

Eu também aproveito para imprimir alguns textos que já possam estar no domínio público, com ou mais embelezamentos. Por exemplo, é bastante fácil fazer uma compilação dos poemas indicados. 

 

É muito fácil encontrar poemas e contos online. Mais, como são curtos, geralmente é o que aparece publicado nos manuais escolares, por isso, são os últimos na minha prioridade.

 

Outros formatos

Não se esqueçam que há muitos contos e poemas que estão em formato audio ou vídeo. É tudo uma questão de procurar. 

 

A título meramente exemplificativo:

1º Ano

Dez dedos, dez segredos

2º Ano

Fala bicho

Uma flor chamada Maria

3º Ano

(ainda não encontrei)

4º Ano

A maior flor do mundo

 

Mas por favor, nada de fichas de interpretação! FÉRIAS!

A pensar no início do ano escolar

Descontos, 19.07.14

A minha cabeça já está no início do ano escolar. É que já só faltam 2 "fins do mês" para esticar a poupança para os gastos adicionais que aí vêm. Na minha lista mental estão:

 

- vestuário Outono/Inverno;

 

- material escolar (rever o stock + orçamento para itens das listas dos professores);

 

- livros escolares.

 

 

Vestuário Outono/Inverno

 

Confesso que não tenho planos para comprar roupa de criança nos saldos deste ano, a não ser que apareçam bons itens como: roupa interior, camisolas grossas, sobretudos e sapatilhas. 

 

Coisas como calças de ganga ou vestidos, eu consigo facilmente em lojas sociais ou trocas e são itens que dão para vestir durante quase todo o ano.

 

Material escolar

 

Felizmente tenho um bom stock de coisas que fui conseguindo comprar a bom preço durante o ano, desde mochilas a cadernos. Naturalmente há itens que, com um bom desconto, se podem comprar sempre:

- marcadores,

- guaches,

- lápis de colorir,

- lápis e esferográficas,

- afias com depósito,

- borrachas de apagar, etc.

 

Depois há itens em que compro apenas com descontos de cerca de 75% porque a sua utilização fica muito dependente do que os professores querem nesse ano. Por exemplo, eu sei que posso comprar sempre guaches Giotto porque é uma marca sempre preferida pelas escolas, mas não sei se vão querer cadernos pretos agrafados ou capas de argolas. 

 

Mas há itens em que o investimento pode não compensar face aos preços praticados nas papelarias dentro das escolas. 

 

Também tenho sempre material "extra" para as "pintoras" utilizarem em casa, tentando diminuir o desgaste do material de escola (geralmente a opção mais cara).

 

Neste momento não vejo promoções relevantes. Em regra, primeiro começam a vender com desconto as sobras de itens de verão (cadeiras, brinquedos, etc.) e depois aparecem sobras de itens escolares, antes da próxima época. 

 

Livros escolares 

 

Confesso que aqui tenho sempre optado por livros novos. Nos primeiros anos de escolaridade a generalidade dos livros têm diversos exercícios tornando-os praticamente descartáveis. 

 

Cada vez mais há quem opte pelas trocas de livros, bancos de livros escolares e até compra de usados. Que experiências e recomendações têm neste tipo de aquisição de livros escolares.

A pensar no novo ano escolar

Descontos, 18.07.14

Como já referi, eu troco livros no WinkingBooks. E como as minhas aquisições (compras ou trocas) já estão no novo ano escolar, já comecei a procurar livros do Plano Nacional de Leitura para determinado ano escolar (sempre da lista de leitura orientada, porque é mais provável que seja uma obra cuja leitura é solicitada pelos professores).

 

 

Mas não me fico por aqui. Tento perceber se o autor já está no domínio público (sem direitos de autor) o que permite imprimir a obra a partir de um repositório, como o site http://www.gutenberg.org.

 

Por exemplo, no 7º ano surge uma obra de José Trindade Coelho (Meus Amores) e esse título já está disponível para impressão.