Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

A ler "Dinheiro à vista"

Descontos, 21.03.14

A ler "Dinheiro à vista"* de João Branco Martins (é de 2009, mas mantém-se actual) e encontro esta frase:

 

Se é daquelas pessoas que só agora se deu conta que estamos a viver tempos difíceis, se sempre foi adepto do ditado "chapa ganha, chapa gasta", é natural que esteja a sentir que andou a vida toda a desperdiçar e a gastar mais do que devia... e podia, Contudo, nunca é tarde para mudar e deve começar, hoje, a alterar os seus comportamentos.

 

 

Qualquer coincidência entre este parágrafo e o meu post, é pura coincidência ;)

 

 

 

* Comprado com o meu dinheiro. Só para clarificar.

 

Sinais de problemas financeiros - 15 sinais

Descontos, 11.02.13

Hoje recebi este fantástico post no meu feedly do blog Budgets are Sexy que se traduz como: orçamentos são sexy. Um título absolutamente brilhante, na minha opinião.

 

Reconheço que as evidências que são elencadas no post são mesmo reflexo de problemas instalados (contas com avisos de atraso de pagamento - que não são resultado de esquecimentos, claro; devedores à porta, estar à espera do dia pagamento do salário para pagar as contas do mês, pedir dinheiro emprestado, ter dívida em cartões de crédito a serem pagos com outros cartões de crédito...) ou potenciais problemas (não ter um fundo de emergência equivalente a pelo menos 3 meses de salário, transferir dinheiro das poupanças para a conta à ordem, não saber "onde gasta o dinheiro"). Assim, recomendo a leitura.

 

O registo de "por onde anda o dinheiro" é algo em que falho recorrentemente. Retomei esse registo agora em Fevereiro, mas surpreende-me sempre que não tenha muito a noção de quanto tenho no banco. E juro-vos que não é assim tanto. Como referi anteriormente, nem fundo de emergência tenho que cubra 3 meses de salário.

 

Mas hoje passei mais uma barreira psicológica no meu percurso de eliminar toda a dívida. Na sequência do pagamento da prestação deste mês, a minha dívida já é inferior a um salário mensal.