Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Como me motivo quando vejo o saldo minguar

Quem acompanha o blog há algum tempo, sabe que eu utilizo como motivação para poupar, duas estratégias combinadas:

 

Poupanças automáticas

 

No início do mês, retiro da conta à ordem, as verbas que quero poupar para despesas não mensais e supresas: €50/mês para carro (reparações + seguro + impostos, etc)

 

2º 

O que sobra também é poupança

Todo o valor de salário mensal que não gastar, chegado o final do mês, é encaminhado para o fundo de emergência.

 

Ora, como devem imaginar, quando o chega o final do mês, a minha conta à ordem está quase sempre a zeros, porque a folga é pouca e não tenho conseguido poupar. 

 

Isso é um pouco desmoralizador, se não complementar com lembretes do quanto tenho EFECTIVAMENTE poupado:

1 (361).JPG

Não tenho seguro de saúde, mas há dois tipos de consultas que faço no privado: dentista e ginecologista. Para essas consultas e exames extra, totalmente no privado, poupo sempre €50/mês.

4 (62).JPG

No início do mês, há uma transferência automática para reservar €50/mês para carro, que poderá servir para reparações, o seguro, imposto, inspecção...

Olhando para a verba, fico logo aliviada por ter já disponível o valor do seguro automóvel, apesar de este só ser pago em Novembro.

Se não houver surpresas, terei o suficiente para cobrir isso e novos pneus.   

2 (166).JPG

É a verba de que mais me orgulho. Há um ano usei o que tinha poupado nas obras da casa e desde então tenho poupado €100 por mês para a minha reforma, além do esforço que tenho feito para descontar para a SS + um segundo subsistema de previdência.

3 (92).JPG

O meu fundo de emergência é o que mais se tem ressentido com a minha incapacidade de poupar, nos últimos meses.

É uma das principais razões que me tenho de me recordar de tudo que poupo acima, mesmo que a poupança não seja "real" e uma mera antecipação de despesas anuais.

 

E depois há o dinheiro que aguarda em envelopes, para despesas que certamente virão:

Capturar (244).JPG

Viver num orçamento zero não é fácil, mas em qualquer dia da semana, eu prefiro ser das que se auto-impõe um orçamento zero, a realmente ter de viver com um. 

 

Por isso, nada como um lembrete do quanto realmente sou uma privilegiada, entre tantas dificuldades que vejo por aí.

O que fez hoje para cortar nas despesas mensais?

A questão no título, chegou-me através de uma comunidade sobre finanças pessoais. O que fiz hoje:

 

1. Saúde

Marquei uma consulta médica que ando a adiar há d-e-m-a-s-i-a-d-o tempo

Curiosamente, é uma excelente acção, já a comunidade Reddit sobre finanças pessoais, escolheu como desafio para Maio: Reduzir as futuras despesas de saúde

 

2. Saúde

Enviei um email para o meu posto médico, para pedir a emissão de uma receita, depois de ter deixado expirar a anterior.

 

3. Contas sem surpresas

Dei a contagem da electricidade

Estranhamente, hoje a leitura que introduzia no teclado do telemóvel não coincidia com a confirmação verbal do sistema. Tentei 3 vezes, antes de desligar. Voltei a ligar e a dar nova contagem, já sem problemas. Nunca tal me tinha acontecido.

 

4. Na cozinha

Usei o último iogurte comprado para fazer 6 iogurtes caseiros e fiz pão na máquina.

 

5. Usei a biblioteca municipal

O excesso de livros em casa, é a melhor forma de combater qualquer sentimento de privação, que me leve a compras impulsivas. 

Toda-a-Mafalda.jpg

Notícias de poupança: números 707 e cultura grátis

Estou a correr contra o tempo, por isso deixo apenas duas notícias que me parecem importantes: uma dica do Jornal Económico sobre como escapar aos números 707 e a divulgação do projecto de cultura grátis para jovens de 18 anos.

 

Sabia que pode escapar ao valor acrescentado dos números 707?

Esta notícia do Jornal Económico é muito interessante, já que nos avisa que, em regra, se existe um 707, existe o correspondente número 2 ou 9... Em suma, podemos evitar as linhas de valor acrescentado.

 

Jovens de 18 anos residentes em Portugal com acesso gratuito a Cultura

"Os jovens residentes em Portugal nascidos no ano 2000 vão ter acesso gratuito a vários espaços e iniciativas culturais até abril de 2019, no âmbito do projeto "És Cultura18"", um dos vencedores do Orçamento Participativo Portugal 2017.

A página do projecto é https://escultura.opp.gov.pt, onde podem consultar os equipamentos culturais com acesso gratuito, por área geográfica. 

Inclui teatro, cinema e festivais. Já colocar as bibliotecas municipais no leque de ofertas, parece-me um pouco "encher chouriços".