Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Outubro em revista

Cinema em casa

08.11.20

3.JPG

Manter uma espécie de diário visual*, do cinema e televisão que vou vendo, permite-me uma sensação de satisfação, que dificilmente teria, sem esse lembrete.

Qual de nós consegue fazer balanços positivos do que viu na televisão, em determinado período? Já uma lista, dá-nos uma completude.

 

Todos estes filmes foram vistos a partir da minha estante, emprestados ou vistos na televisão de sinal aberto. Alguns vistos pela primeira vez, outros revisitados.

 

Como já disse várias vezes, eu costumo ir gravando os filmes que me interessam (o meu aparelho de TDT tem essa opção) e depois vejo, num melhor horário e melhor dia.  Também uso a RTP Play, para filmes e séries.

Alguns clássicos, que sei que irei ver e rever, compro em lojas solidárias a 0.50 € -1.00 €.

 

Mesmo com o entretenimento é possível poupar dinheiro.

E como poderão ver pela minha selecção, poupança não é sinónimo de pouca qualidade.

 

* Este registo foi criado em Notion.

Ligar os pontos - versão para pessoas graúdas

21.06.19

Há quem prefira livros de colorir, mas há alternativas, como por exemplo actividades de ligar os pontos. Mas aviso já: isto não é para criancinhas e é viciante.

 

dots.JPGdots2.JPG

 

Algumas páginas que recomendo que imprimam em tamanho A4: 1 - 2 - 3 - 4 - 5 

 

Para encontrar estes e outros exemplos, pesquisei o google por "connect the dots" "dot-to-dot", combinando ainda com as palavras "extreme" e "printable". 

 

Também poderão encontrar versões mais infantis para a pequenada.

 

[post publicado originalmente em 30.06.2015]

Queremos sempre o que não temos

13.03.19

É uma sensação recorrente: almejar ter o que não se tem, em regra porque outros têm e sentimo-nos excluídas/os.

 

Nesta semana, munida de uma mensalidade grátis do Netflix, comecei de imediato a adcionar a uma lista, o que queria ver e os conteúdos de que tinha ouvido falar ("tens de ver"). Surpreendentemente (para mim), encontrei muito pouco conteúdo, em que quisesse investir o meu tempo.

 

E mais uma vez, concluí que nunca compensaria pagar uma assinatura da Netflix. Uma mensalidade por ano? Muito provavelmente, mas mais que isso, seria um desperdício do meu dinheiro.

 

Nos últimos 3 meses, tive acesso a:

  • 1 mensalidade gratuita do Scribd (uso para audiolivros),
  • 1 mensalidade gratuita do Filmin.pt (cinema independente),
  • 1 mensalidade gratuita do Netflix,
  • e planeio aproveitar a oferta da HBO Portugal, em Abril.

 

Acresce que duas das ofertas não são meses iniciais, mas convites das marcas para voltar a aproveitar uma mensalidade grátis.

 

Em suma, se for aproveitando todas as ofertas, não há motivos para o sentimento de privação, no que respeita a entretenimento.

E ao escolher privar-me, a curto prazo, de alguns produtos, consigo reforçar o meu fundo de emergência, que é um objectivo de longo prazo.

Fazer do nada, tudo

26.02.18

IMG_20180225_150257_606

Frequentemente associamos muitos dos nossos prazeres ao dinheiro.

 

Uma ida ao cinema, jantar fora, tudo despesas que pesam no orçamento; vamos passear nas catedrais de consumo, ou seja, centros comerciais. 

 

Neste domingo, a marginal junto à praia estava repleta de gente (até em fato de banho), patins, bicicletas, carrinhos de bebé, leitores/as.

Uma artista, fazia mais uma das suas obras efémeras - tenho descoberto várias, seja com pequenas rochas ou restos de madeira. 

 

Sinto que, cada vez mais, andamos a desaprender a utilização de lugares públicos. Preferimos lugares em que pagamos, como se isso nos concedesse o direito a ocupá-los.

 

Estou determinada a mudar esse paradigma.

 

Já agora, o próximo domingo promete chuva, mas podem aproveitar as entradas gratuitas em museus (até às 14h00). 

 

(A última frase foi corrigida porque mencionava o regime anterior, em que a entrada gratuita era apenas no 1º domingo de cada mês. Agradeço a correcção.)

Quase....

26.09.15

Ainda não foi esta semana que consegui poupar €10 de €10 na minha "semanada" para restauração. Mas consegui poupar €9.00... nada mau. 

 

Só gastei 1 euro numa água com gás. Estava indisposta e sem anti-ácidos na carteira. Senti-me melhor por isso foi uma despesa bem feita.

 

Agora tenho € 16.80 no meu frasco. É uma poupança rápida e vou gastá-la igualmente rápido. Decidi usar a poupança para levar as miúdas para um almoço de comemoração pelo começo das aulas. Depois vamos aproveitar para visitar um museu. 

 

É um fim de semana cheio de potencialidades: há as Jornadas Europeias do Património (com entradas gratuitas em museus e monumentos) e a Festa de Outono em Serralves (Porto).

 

Tantas coisas para fazer e tão pouco tempo...

 

Entretanto, já comecei a fazer arroz doce e pão. Amanhã à noite, vai ser dia de pizza caseira. Nhammmm 

 

Férias e actividades gratuitas

06.08.15

843522f62a61561891ef66c6c90643f0.jpg 38ª Feira Nacional de Artesanato - Vila do Conde

(até 9 de Agosto de 2015)

5ª - 17h00 - 24h00 / 6ª e Sáb. - 15h00 - 00h30 / Dom. - 15h00 - 24h00  

 

Ontem visitei pela 1ª vez a Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde. Pode ter sido a 1ª, mas garanto-vos que não será a última. É a mais completa que já visitei, com verdadeiros artesãos e com uma fantástica amostra de todo o país.  Mais, a entrada é gratuita

Pareceu-me acessível a pessoas com mobilidade reduzida e tem ao lado um parque infantil debaixo de árvores, para um momento de brincadeira com os mais pequenos.

 

Uma das coisas que é obrigatória: as rendas de bilros. Até existe um pavilhão em que podemos (e as crianças) experimentar e fazer um pequeno projecto (não é o que está na foto, claro). 

WP_20150805_005.jpgPara mim, as rendas de bilros estão sempre associadas à minha avó. Recordo-me vivamente de pedir, na mercearia, as tampas de plástico das garrafas de vinho: os bilros de rendilheiras pobres.

 

O verão está pontilhado de actividades gratuitas, por todo o país. Não deixem de acrescentar experiências diferentes às vossas memórias das férias.   

 

Próximo item na minha lista: visitar o Museu das Rendas de Bilros.

Ligar os pontos - versão para adultos

30.06.15

Há quem prefira livros de colorir, mas há alternativa como por exemplo actividades de ligar os pontos. Mas aviso já: isto não é para criancinhas e é viciante.

 

dots.JPGdots2.JPG

 

Algumas páginas que recomendo que imprimam em tamanho A4: 1 - 2 - 3 - 4 - 5 

 

Para encontrar estes e outros exemplos, pesquisei o google por "connect the dots" "dot-to-dot", combinando ainda com as palavras "extreme" e "printable". 

 

Também poderão encontrar versões mais infantis para a pequenada.