Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Hospital de brinquedos

Descontos, 20.05.18

Como já havia referido, tenho tentado ajustar os meus contributos às minhas possibilidades, nomeadamente usando as minhas (poucas) competências de bricolage para aumentar o valor de produtos à venda em lojas solidárias. 

 

Naquela em que gasto o meu dinheiro em livros e faço as minhas doações, já me conhecem e por isso, se peço para levar para casa uma boneca suja e despida, não mo recusam.

 

Uns restos de tecido e um pouco de tempo e está pronta para render uns trocos. 

Hospital de brinquedos (1).jpg

 

 

 

Lego grátis!

Descontos, 17.09.17

WP_20170917_004

 

Ainda ontem dizia a uma amiga "o lixo de uns...", numa conversa sobre desperdício e reutilização.
 
Hoje, vejo uns artigos junto aos contentores do lixo (tudo alinhado) perto de minha casa. É um bom dia, porque não há recolha de lixo.
 
Vi vários artigos de decoração e, entre eles, uma caixa cheia de peças da Lego.
 
Que sorte. As minhas sobrinhas adoram Lego. Ainda este Natal último comprei caixas e bases.
 
Agora vou desmontar tudo, meter em sacos de rede de lavar roupa e meter na máquina da louça (70º).
 
Obrigada, vizinha/o. A pequenada vai adorar!

 

Como fazer envelopes (robustos) com reciclagem de revistas

Descontos, 11.05.14


A ideia vi-a no vídeo da Whitney: fazer envelopes de papel a partir de revistas.

 

Uma excelente ideia para as minhas trocas de livros. É também forma de reutilizar as revistas da Tashen que são LINDAS e aposto que as brochuras de viagens também ficarão fantásticas.

 

 

Utilizei as dicas da Whitney:

- 3 folhas para robustez (e fica mesmo robusto);

- nas pontas passar a máquina algumas vezes (usar o ponto para trás - não faço ideia qual o termo técnico para isso) para que não seja possível puxar o fio;

- ponto largo para não rasgar o papel;

- costurar 3 lados (ou 2 se tiverem o papel dobrado) deixando apenas uma abertura (eu deixei a abertura mais estreita).

 

Fiz de diversos tamanhos e escolhi as folhas mais bonitas para o exterior (tão bonitas que estive quase para mudar a linha para combinar com as páginas).

 

Sem dúvida uma excelente alternativa para envelopes almofadados.

 

Não só é mais económico como poderá ser reciclado (ao contrário dos envelopes almofadados com plástico).

 

Como reutilizar lã

Descontos, 06.04.14

 

 

Por vezes, entrar na minha cozinha poderá ser uma experiência muito estranha. 

 

Depois de experimentar a técnica do ferro a vapor (que vi aqui) e a técnica que vêm na foto (depois de concluir que a primeira não funcionava que o meu ferro), optei por lavar a lã (como sugerido aqui). 

 

Erros de principiante e como os corrigir:

 

Quando desmanchei, fui deixando a lã cair no chão.

 

Achei que depois, com cuidado seria fácil de enrolar. Errado. Depois foi um pesadelo porque basta um bocado enlear-se e têm um verdadeiro nó. Arrependi-me de não desmanchar criando em simultâneo um novelo ou meada.

 

Criatividade

 

Depois de experimentar a técnica do ferro a vapor (que vi aqui) e a técnica que vêm na foto (depois de concluir que a primeira não funcionava que o meu ferro), optei por lavar a lã (como sugerido aqui). 

 

Como é o ditado? Depressa e bem não há quem. Pois bem, tentei ir por atalhos e acabei por ter o dobro do trabalho e ter de recorrer à técnica tradicional. Talvez o facto de ser a "tradicional" seja a dica - foi testada e aprovada e mantém-se verdadeira ao longo dos tempos como a mais eficaz. 

 

Material

 

Eu não possui nenhum dos aparelhómetros que tornam a tarefa mais fácil. E como também não tenho cadeiras que permitam fazer uma meada, recorri aos bancos da cozinha - coloquei um banco, de pernas para o ar, em cima de outro e isso deu-me uma base onde criar uma meada de lã bastante larga. Mais, ficou a uma altura perfeita para trabalhar.

 

Decoração sustentável com bastidores para bordar

Descontos, 23.12.13

Há muito que era um projecto adiado. Dois bastidores para bordar sem uso (na verdade acho mesmo que nunca os utilizei) efectivo, mas com perspectivas de serem úteis. 

 

As inspirações para os utilizar em decoração eram imensas, mas encontrava sempre projectos que sugeriam a inutilização dos bastidores com o tecido a ser colado nestes. Para mim, não só os bastidores deveriam manter a sua finalidade como o tecido deveria poder ser reutilizado em projectos futuros.

 

Por isso, optei por um método que permitisse a reutilização de todos os materiais utilizados (fora com o desperdício).

 

Coloquei o tecido, estiquei-o e cortei o excesso, deixando uma margem de cerca de 3 cm (a olho).

 


Cosi a toda a volta do tecido, em ponto muito solto (preto para melhor demonstrar), a cerca de 1 centímetro da margem exterior, para depois puxar. Quanto menor o ponto, mais difícil será puxar, mas melhor ficará apertado (dá apenas mais um bocadinho de trabalho).

 

Puxei o fio, fazendo com que o tecido ficasse apertado para o interior do bastidor.

 

 

Como estava muito largo, dei mais uma volta com a linha para apertar as dobras de tecido que estavam mais soltas.

 

 

A minha segunda tentativa ficou muito mais aprumadinha.

 

 

 

A versão final, com direito a bolsinho e tudo (que nada mais é que uma tira de tecido sobreposta). 

 

 

 Desta forma, quando precisar dos bastidores para bordar, estão funcionais e o tecido pronto a reutilizar.