Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário das minhas finanças pessoais

Um diário sobre finanças pessoais, produtividade e a busca pela positividade

Diário das minhas finanças pessoais

Um diário sobre finanças pessoais, produtividade e a busca pela positividade

Partilhar vendas?

05.09.22

Vendi a um preço ridículo: 20€ e ainda ofereci o capacete. Foi mesmo para desocupar.

 

Mais que uma pessoa me pediu para divulgar as minhas vendas. Sempre resisti porque não queria incentivar o consumo e/ou expor-me excessivamente, mas confesso que me debati muito com essa questão, nesta venda em particular.

 

Eu tinha consciência de que o preço era baixo e isso reflectiu-se nos contactos e a venda em dois dias.

 

Por isso, fiquei com uma espécie de amargo de boca, por não dar essa possibilidade, a quem me lê e que, por esse motivo, será uma pessoa com especial motivação (e/ou necessidade) para a poupança.

 

Até porque, também dou itens gratuitos (num grupo local do FB), simplesmente para desocupar.

 

Por exemplo, recolho muita roupa na rua. As lojas solidárias estão atoladas e, por vezes, nem nos grupos vêm recolher.

Eu doei estas sapatilhas. Pagariam portes de envio para as receber?

IMG_20220820_181106.jpg

Posso estar a criar mais problemas para mim, do que necessito.

Por exemplo, reclamarem que afinal o produto não vale os portes, que é contrafação (eu não tenho como saber isso) ou algo do género.

 

Mas a mudança de estação está aí e eu sei que vão ser sacos e sacos de roupa e calçado, pelas ruas.

Vendi a bicicleta

05.09.22

IMG_20191006_095437_348.jpg

O plano era reparar e aproveitar os kms de ciclovias à porta de casa.

Mas ser cuidadora é um trabalho a tempo integral e, depois de perder o espaço em que estava armazenada, tive de a colocar no corredor da casa, onde era um obstáculo.

 

Vendi a um preço ridículo: 20€ e ainda ofereci o capacete. Foi mesmo para desocupar.

 

Frequentemente me perguntam como vender de forma mais eficiente as tralhas lá de casa e onde. 

 

Vendi a bicicleta no Facebook Marketplace, mas prefiro o OLX

É a que prefiro, mas depende muito do item. Por exemplo, no seu caso, recomendaria também o Marketplace do Facebook (nem que crie uma conta só para vendas) para poder partilhar o anúncio em grupos de vendas locais e especializados.

O objectivo é divulgar ao máximo e localmente, especialmente em itens grandes e frágeis.

 

O Custo Justo é também uma plataforma nacional e generalista, mas depois há locais de venda específicos, como o TradeStories para livros ou grupos locais e especializados no Facebook, onde é possível divulgar anúncios.

 

O VINTED  é muito prático, desde que  respeitem os pesos das embalagens. Como há vários locais de entrega, até pode ser uma alternativa interessante para quem não tem possibilidade de ir aos CTT.

 

Uma das coisas que recomendo é que TIRAR BOAS FOTOGRAFIAS, que destaquem o produto.
Iluminar bem (de dia, mas sem sombras) e tirar fotos de áreas mais problemáticas e/ou defeitos.

 

Fotografar os defeitos: se eu disser que o item tem "este" defeito, as pessoas fazem o raciocínio: é honesta, só estes defeitos eu aceito; se ela mostrou estes defeitos, o resto está bom.

Pode parecer preciosismo, mas isso vai alterar o momento da decisão.

Uma coisa é decidir ir ver a coisa e no local vemos se compensa ou não; poucas pessoas saem de casa só para ir ver; até porque não queremos ir para dizer não ao vendedor.

Outra coisa é ver todos os pormenores e aí a decisão é tomada de imediato e só haverá mudança de opinião se o produto não estiver como nas fotos.

Por isso, para mim, as fotos são muito importantes, não só pela transparência como pela psicologia associada à venda.

 

Infelizmente, o dinheiro da bicicleta não chegará para pagar a madeira que vou necessitar para fazer umas prateleiras para os livros, mas decididamente terão mais uso e me darão mais prazer.

Curtas 25.05.2022

25.05.22

Mais uma venda. Não tenho feito muitas, ultimamente, mas tenho de me portar melhor e colocar mais anúncios.

IMG_20220525_191100_934.jpg

Confesso-me cada vez mais desprendida do livros físicos.

Este é um bom exemplo. Adorei o livro, quero ler mais do autor, mas sei que vai ficar encostado em minha casa. Com a venda, fico com mais 3 € para alimentar o vício.

Felizmente encontrei vários livros dele no SCRIBD*. Ou seja: grátis!!!

 

Uma coisa é certa, estou cada vez menos interessada em comprar livros novos, excepto como presentes, usando o saldo Wook.

Entre os livros físicos que tenho, o NetGalley e o SCRIBD, realmente tenho o que desejo.

 

* Link afiliado: eu recebo 1 mês grátis e vocês recebem 2 meses grátis.

O flagelo das pseudo-notícias

12.12.16

Um dos meus objectivos para 2017 é ser muito mais exigente com o meu tempo na internet e me proteger de pseudo-notícias. 

Por exemplo, este ano já comecei a utilizar uma extenção do Chrome que bloqueia determinadas páginas. Infelizmente, foi a homepage do Sapo que me fez começar, com os seus títulos clickbait e pseudo-notícias.

 

Por exemplo, um cabeçalho do Jornal Económico: Ainda tem um Nokia dos antigos? Pode render até 3 mil euros. Segundo a página, a publicação teve 6700 partilhas. Porém, bastou-me uma pesquisa no Ebay para ver que a realidade dos Nokia 3310 é serem vendidos a cerca de €15  e nos mais caros, apenas um ultrapassa dos €200.

 

Quanto aos Nokia 3390, o outro modelo mencionado: 

Capturar.JPG

Em suma, uma pseudo-notícia. Recordam-se do vídeos paródia ao OLX? 

 

 

 

 

Um sucesso de vendas e trocas

17.10.16

Este mês decidi investir algum tempo nas trocas e vendas de coisas que quero destralhar e tem resultado muito bem. Na verdade, incrivelmente bem. 

 

Em vendas no OLX, ja fiz €70 (depois de descontar portes de envio). E já tenho agendada outra venda, de um livro (entrega em mãos), para esta semana.

 

Fiz diversas trocas de bens por outros bens, quase sempre em coisas para as sobrinhas ou mãe.

Nestas gastei  €8.85 em portes de envio e hoje tenho um saco de coisas para enviar, mas sinto que esse dinheiro valeu o que recebi em troca. E como as vendas estavam a correr bem, decidi que iria aproveitar para amortizar esse valor.

 

Mais, irei ainda utilizar o que fiz no OLX para pagar os portes de envio de uma doação de livros

 

Prescindindo de coisas inúteis e pagando esses €8.85, consegui:

- um cortinado para a minha mãe (que já andavamos a procurar nas lojas e que custava - novo - cerca de €7/metro);

- uma camisola de malha, nova com etiqueta, para a minha mãe;

- três pares de sapatilhas (como novas e um par até é mesmo novo) e um saco de roupa para uma sobrinha;

- uma camisola de malha e um casado de fato de treino para outra;

- uma sapatilhas para mim (das boas, para a chuva e clássicas de modo a utilizar no emprego - exactamente o que procurava);

- umas calças de ganga (que agora vou tentar vender/trocar porque não serviram - é um risco que temos de assumir).

 

Nada mau, para €8.85 e uma ida ao centro da cidade para uma troca em mãos.

 

Hoje envio mais 3 encomendas (€1.40 x 3) e vou receber uma blusa para a minha mãe e dois livros.

 

Em suma, estou mais que disposta a apoveitar a "onda" e, quem sabe, conseguir algumas das prendas de natal... 

Rendimentos - vender objectos usados

15.03.14

Muito recentemente, o meu rendimento mensal diminuiu consideravelmente. Considero-me afortunada por ter conseguido implementar todas as medidas que me permitiram poupar o suficiente para ter um fundo de emergência que me permite ultrapassar este momento com alguma serenidade.

 

Isso fez com que voltasse ao ponto de partidasaber onde estou para saber em que direcção posso seguir. Hoje (e felizmente), o meu ponto de partida é muito diferente daquele de onde parti há dois anos: as dívidas integralmente pagas e um fundo de emergência.

 

 

Mas a quebra nos rendimento de trabalho implica que procure outras formas de rendimento, nomeadamente venda de objectos usados. Esta semana consegui - finalmente - vender um conjunto de mobiliário. Não foi ao melhor preço, mas foi a um preço realista e esse dinheiro irá TODO para o fundo de emergência (se tivesse alguma dívida, seria encaminhado para lá). 

 

A minha estratégia de venda consiste:

 

1) Boas fotografias que se destaquem do todo

 

Há milhares de negócios com milhares de fotos, mas há um punhado de negócios com fotos que se destaquem: com luz natural, bem focadas, que mostram bem o produto e as suas características.

Quando alguém vê as fotografias de negócios meus, vê bem o estado do produto e todos os defeitos (que faço questão de destacar e fotografar em pormenor).

 

Recentemente, um comprador referiu que me escolheu precisamente por isso, porque as fotos demonstravam claramente o estado das coisas.

 

2) Destacar como um investimento

 

De tempos a tempos, invisto num destaque a um anúncio. Julgo ser muito útil para trazer novas visualizações, novos compradores. Geralmente faço isso depois de acrescentar ao perfil um grande número de negócios.

 

3) Destacar sem custos

 

Há quem publicite os seus negócios junto de amigos e páginas de redes sociais, eu prefiro utilizar um blog pessoal para o efeito. Na coluna lateral do blog coloquei o link para as páginas em que vendo ou troco coisas. 

Há quem considere que é uma forma passiva de destacar os nossos negócios, mas eu acredito que mantendo um blog com conteúdos interessantes isso trará leitores/as e potenciais compradores/as.


4) Ser realista 

 

Vendi um conjunto de mobiliário por 16% do preço de compra (sem pensar em inflacções e afins). Mas eu comprei a "marca" e quem comprou, comprou a funcionalidade. E, o mesmo tipo de produto sem a marca, não ficaria muito longe desse preço, mesmo comprado novo.

 

Na verdade, foi um exemplo de compra irreflectida e má gestão financeira (se pudesse avisar a minha versão de 20 anos...). Libertei-me de algo que não me servia, não gostava e que não era mais que um estorvo na vida e na mente. 

 

Penso na diferença de preço como o preço de ter utilizado o mobiliário durante mais de 10 anos.  

 

A cadeira vendida foi substituída por uma cadeira que encontrei nos arrumos dos meus pais; o armário não será substituído (mais espaço); o módulo de gavetas não será substituído (mais espaço); a secretária será substituída por uma mesa simples, menor e low cost (uma prancha de madeira, umas pernas e um pouco de verniz).