Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Ter orçamento, não ter e algo pelo meio

Descontos, 08.07.15

Eu nunca consegui fazer um orçamento zero, ou seja, criar um orçamento no início do mês e saber o destino de cada euro e, finalmente, cumpri-lo. 

O que eu consigo fazer é ter as minhas rubricas/envelopes e tento cumprir cada um desses orçamentos. Na verdade, eu utilizo um método que combina o orçamento para algumas rubricas (em especial aquelas que eu quero controlar) e viver abaixo das minhas possibilidades no restante (que é igual a poupar cada euro em cada compra que faça).

Vendo bem as coisas, não deixa de ser um orçamento. Mas quem acompanha o blog, sabe que eu falho com frequência. Falta-me disciplina. 

 

Um dos truques para me manter na linha é precisamente a estratégia dos envelopes (sejam eles físicos ou virtuais, com transferências bancárias automáticas). Imediatamente no início do mês, a minha conta bancária é desfalcada: é o levantamento para os envelopes, são €65 para poupança da reforça, €50 para o carro, €30 para saúde...  

 

Ver o pequeno rendimento que fica, é um pouco "assustador", mas é uma forma realista de visualizar o que realmente posso gastar (porque o valor anual do seguro do carro tem de vir de algum lado, não vai aparecer miraculosamente no mês de pagamento). 

Deste modo, cada vez que utilizo o multibanco, sei que estou a diminuir ao que poderia poupar. 

Esse é o meu truque. Têm algum?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.