Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Diário das minhas finanças pessoais

Isto é mesmo um diário, mas também um bloco de notas e talvez um caderno de ideias (umas melhores que outras)

Um sonho...

Descontos, 27.07.14

Eu tenho um sonho específico para as minhas finanças pessoais. Confesso que ando para escrever este post há vários meses, mas sempre temi que fosse demasiado pessoal ou incompreendido face à realidade de famílias que sonham não ter de contar quanto poderão comprar com os únicos €10.00 que têm até ao final do mês.

 

Não é um sonho completamente irrealista como ganhar o euromilhões, mas um sonho difícil de atingir. Aliás, muito difícil de atingir. E se parar de trabalhar, então é tão irrealista como ganhar o euromilhões.

 

Mas é o meu sonho e eu sinto-me muito agradecida por o ter, em vez de sonhar em não ter de me preocupar com o que por na mesa.

 

Eu não vivo numa casa própria. Não pagar renda tem como contrapartida custear as despesas de manutenção/reparação numa casa com 100 anos (por exemplo um novo soalho e um novo telhado). Considerando que não pago renda de casa há mais de uma década e que vivo no local onde nasci, sou uma afortunada.

 

Mas eu sonho com a possibilidade de saber que a casa será minha na velhice, que não terei de me preocupar com ter onde morar quando ficar mais velha e os rendimentos - muito provavelmente - forem ainda menos. E quanto mais vejo a pobreza com que vivem os nossos velhos (e uso a palavra com um grande carinho, juro-vos) e mais ainda quando estão sós (como a solteira aqui do burgo), preocupo-me ainda mais.

 

Por isso eu sonho poder comprar a minha casa. Ou pelo menos poder comprar o direito de nela viver até ao final dos meus dias. Depois da morte, não precisarei dela e não tenho herdeiras/os a quem a deixar.  

 

A bater os 40 anos, gostava de ter sonhado isto muito antes. O sonho deixaria de o ser para ser um plano exequível. A idade da estupidez não perdoou... ganhei juízo a esta idade... poderia ter sido pior.

 

Ok... por favor reservem o juízo "esta-está-tolinha" para o final. 

 

As minhas contas são assim: com 30 000 euros eu conseguiria comprar um mini apartamento, construir uma mini casa (qualquer dia mostro-vos) ou comprar uma roulote para viver. Julgo que seria exequível.

 

Naturalmente almejaria conseguir comprar a casa onde vivo, esse é o meu sonho. Porém, seria uma verba que me asseguraria uma habitação.

 

30 000 euros a dividir por 10 anos dá 3 000/ano e esse valor dividido por 12 meses é igual a €250/mês

 

E se eu conseguisse juntar €250/mês durante os próximos 10 anos?

 

Uma pessoa pode sonhar, não pode?

27 comentários

Comentar post

Pág. 1/2